Imagem da matéria: Receita Federal altera IN e obrigará exchanges a informar dados de clientes
(Foto: Shutterstock)

A Receita Federal emitiu uma nova instrução normativa nesta quinta-feira (11) que altera a norma que obriga as corretoras de criptomoedas a prestar ao órgão informações relativas às operações realizadas com criptoativos. Conforme o que foi disposto no Diário Oficial da União, as exchanges vão ter um trabalho a mais e os clientes, um a menos.

A nova regra, emitida na quarta-feira (10) pelo órgão, acrescentou obrigações às corretoras de criptomoedas, mas também retirou a necessidade dos usuários informarem o endereço da wallet de remessa e de recebimento. As normas passam a valer do dia da publicação.

Publicidade

Dentre as mudanças, a de maior impacto para o mercado talvez seja a trazida no artigo 7º da IN 1.888/19. Esse dispositivo é o que trata do que deve ser informado à Secretaria da Receita Federal sobre cada operação.

Antes da IN 1.899/19, que reformulou a norma da Receita, as exchanges bem como qualquer pessoa que transacionasse cripomoedas teria de informar o endereço da wallet de remessa e de recebimento.

Essa obrigatoriedade, no entanto, deixa de existir, pois a nova norma excluiu os dispositivos que traziam essa obrigação ao contribuinte, independente se é uma corretora nacional ou usuário.

Novas regras da Receita Federal

De acordo com a nova instrução normativa, a entrega de endereço de wallet seja de remessa ou de recebimento das criptomoedas, se houver essa informação em poder dos contribuintes, será obrigatória apenas “na hipótese de recebimento de intimação efetuada no curso de procedimento fiscal”.

Publicidade

A Receita Federal, por outro lado, endureceu um pouco mais com as exchanges. Além de informar os dados das operações, as corretoras de criptomoedas terão também de informar os dados dos titulares.

Com a nova norma, o artigo 7º da IN 1.888/19, ganhou um parágrafo que obriga essas empresas a declarar à Receita Federal dados como o nome das pessoas física ou jurídica; o endereço; e o domicílio fiscal dos titulares das transações.

A identificação das pessoas que estão transacionando criptomoedas nessas corretoras ficará mais rígida.  Essas empresas terão de incluir também na declaração os números do CPF, no caso de pessoa física residente no Brasil; e CNPJ, se a pessoa que estiver transacionando as criptomoedas for de natureza jurídica.

Para transações realizadas por pessoas que residem ou estão domiciliadas fora do Brasil com as exchanges brasileiras, essas empresas serão obrigadas a informar o Número de Identificação Fiscal no exterior (NIF).  

Publicidade

Diferentes prazos

A Receita traz prazos diferentes para o cumprimento da entrega desses dados. Sendo os casos de “prestação da informação relativa ao número de inscrição no CPF ou no CNPJ, conforme o caso, é obrigatória a partir da data da entrega do primeiro conjunto de informações”.

De acordo com o parágrafo 1º do art. 8º da IN 1.888/19 (que se mantém em vigor), a entrega do primeiro conjunto de informações deverá ser feita em setembro de 2019.

 O mesmo não ocorre com a obrigatoriedade de informar os números de identificação fiscal no exterior referente a pessoas que não residem ou domiciliam no Brasil. As corretoras brasileiras, que transacionarem criptomoedas com essas pessoas, terão de informar esses dados em janeiro de 2020.

Menor burocracia

A Receita Federal, entretanto, retirou a burocracia que existia no artigo 3º. Antes o conjunto de informações enviado de forma eletrônica tinha de ser assinado digitalmente pela pessoa física, pelo representante legal da pessoa jurídica ou pelo procurador constituindo nos termos legais.

Com a mudança, só haverá a necessidade da assinatura digital mediante o uso de certificado digital válido, emitido por entidade credenciada pela Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP-Brasil), se houver exigência da Receita Federal. Essa nova redação também não faz mais menção sobre quem deve assinar digitalmente o documento como antes.

Publicidade

Compre Bitcoin na Coinext 

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Logotipo da LayerZero em branco no fundo preto

Binance e UpBit listam LayerZero (ZRO) nos pares com Bitcoin e stablecoins

A Fundação LayerZero também lançou ontem um site de checagem de elegibilidade do airdrop para 1,2 milhão de usuários; prazo encerra hoje
Imagem da matéria: Trump ou Biden? Por que as criptomoedas podem decidir o próximo presidente dos EUA

Trump ou Biden? Por que as criptomoedas podem decidir o próximo presidente dos EUA

Dados de pesquisas mostram que o apoio das criptomoedas pode desequilibrar a balança em uma disputa acirrada pela Casa Branca. Veja como isso poderia afetar Biden e Trump
Fachada da GameStop em Tyler no Texas

Memecoins da GameStop e Iggy Azalea encerram semana com perdas de até 50%

MOTHER – uma memecoin lançada pela rapper Iggy Azalea – despencou 38% nos últimos 7 dias
Imagem da matéria: Nvidia supera Microsoft e se torna a empresa mais valiosa do mundo

Nvidia supera Microsoft e se torna a empresa mais valiosa do mundo

A capitalização de mercado da Nvidia atinge US$ 3,34 trilhões, impulsionada por seu intenso foco em inteligência artificial e pesquisa ampliada em robótica