Imagem da matéria: Receita da Coinbase cai 28% com queda de negociações durante o inverno cripto
Foto: Shutterstock

A Coinbase divulgou nesta quinta-feira (3) que obteve uma receita líquida de US$ 576 milhões no terceiro trimestre, uma queda de 28% em relação aos US$ 803 milhões gerados no trimestre anterior.

A receita de transações caiu 44% em comparação com o segundo trimestre, já que menos usuários estavam ativos na maior exchange de criptomoedas dos EUA, de acordo com o relatório de ganhos da empresa. Esse tem sido um problema padrão das corretoras enquanto a capitalização do mercado cripto permanece estagnada em US$ 1 trilhão, US$ 2 trilhões abaixo do que era há um ano.

Publicidade

O número de usuários mensais transacionando na Coinbase caiu 5% e os volumes de negociação caíram 27% durante o terceiro trimestre, encerrado em 30 de setembro. Em carta aos acionistas, a exchange observou que o valor total dos ativos em sua plataforma cresceu 4%, de US$ 96 bilhões para US$ 101 bilhões.

O volume real de negociação na plataforma — a maior e única exchange de criptomoedas negociada na bolsa de valores dos EUA — caiu de US$ 217 bilhões para US$ 159 bilhões. Mas a empresa informou que sua receita de assinaturas e serviços cresceu durante o terceiro trimestre, de US$ 147 milhões para US$ 211 milhões.

Perdas e ganhos da Coinbase

A empresa também destacou acordos recentes com a BlackRock e o Google em sua carta aos acionistas, sugerindo que está otimista sobre a adoção institucional. A Coinbase afirma que 25% dos 100 principais fundos de hedge são seus clientes.

Ainda ontem (2), o diretor de produtos da Coinbase, Surojit Chatterjee, anunciou que deixaria o cargo no final de novembro. A Coinbase roubou Chatterjee do Google — e deu a ele um pacote de compensação que incluía US$ 466 milhões em opções de ações — no início de 2020, mas ele disse em um post no LinkedIn que é “hora de sair do carro e recuperar o fôlego”.

Publicidade

Esse foi outro golpe durante o que já foi uma semana difícil para a empresa. Na quinta-feira, sua ação, COIN, fechou em US$ 55,80 depois de ter caído 8% no dia anterior e 21% em relação ao final da semana passada.

Mas tem havido alguns pequenos sinais de otimismo.

Duas semanas atrás, a Ark Invest de Cathie Wood comprou COIN pela primeira vez desde que a empresa despejou quase US$ 75 milhões em ações em julho. Na época, Wood disse que a decisão foi tomada depois que a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) disse que nove tokens negociados na Coinbase eram títulos não registrados.

Fora de seus ganhos, a Coinbase está ocupada defendendo a indústria das criptomoedas  em nome de seus pares.

Desde seu última relatório de ganhos, a Coinbase apoiou o processo contra o Departamento do Tesouro dos EUA sobre a sanção de endereços associados ao serviço de mixing de criptomoedas na rede Ethereum, o Tornado Cash, e apresentou resumos de apoio à Ripple e Grayscale em suas batalhas judiciais com a SEC.

* Traduzido e editado com autorização do Decrypt.co

O MB oferece taxas regressivas de negociação e estratégia de investimento de acordo com o seu perfil. Junte-se à maior Exchange da América Latina e negocie mais de 200 ativos digitais, como tokens, renda fixa digital e criptomoedas. Abra a sua conta gratuita!

VOCÊ PODE GOSTAR
Moedas de bitcoin sob mesa escura com sigal ETF

ETFs de Bitcoin têm entrada de US$ 303 mi, impulsionados por Fidelity e Grayscale

Os fluxos de entrada de ETFs de Bitcoin à vista nos EUA atingiram uma alta de US$ 303 milhões em duas semanas, já que o preço do Bitcoin ultrapassou US$ 66 mil
Mão segurando celular com o logo da carteira de criptomoedas MetaMask

MetaMask lança sistema para acabar com prática que drena dinheiro dos usuários do Ethereum

Smart Transactions busca fazer com que clientes sejam protegidos da prática de máximo valor extraível na blockchain Ethereum
várias criptomoedas stablecoins sob uma mesa

Menos de 10% das transações com stablecoins são de usuários reais, diz Visa

Dados da Visa mostram que mais de 90% das transações com stablecoins foram feitas por robôs ou traders de grande escala
Imagem da matéria: Propina paga a Eduardo Requião foi usada para investir na pirâmide financeira do "Rei do Bitcoin"

Propina paga a Eduardo Requião foi usada para investir na pirâmide financeira do “Rei do Bitcoin”

Nova operação da Polícia Federal visando fraudes no portos do Paraná revelou uma curiosa ligação entre o irmão do Roberto Requião e um dos maiores piramideiros do Brasil