Homem martelando o computador
Shutterstock

O Bitcoin (BTC) e o Ethereum (ETH) perderam nesta sexta-feira (16) todos os novos ganhos obtidos após a publicação de dados otimistas sobre a inflação dos EUA nesta semana.

Mais de US$ 117 milhões em posições alavancadas em todo o mercado foram liquidadas, com o Bitcoin e Ethereum constituindo a maioria dessas posições.

Publicidade

Nas últimas 24 horas, o ETH registrou mais de US$ 45 milhões em liquidações, enquanto o BTC registrou cerca de US$ 33 milhões. Depois disso, a Dogecoin (US$ 3,3 milhões), e a Litecoin (US$ 3 milhões) foram as outras maiores liquidações, de acordo com dados de liquidação retirados do Coinglass.

O Bitcoin, a maior criptomoeda por capitalização de mercado, caiu quase 4% nas últimas 24 horas e agora está sendo negociado um pouco abaixo de US$ 17 mil, segundo o CoinGecko. Essas quedas também mandaram o Bitcoin para o vermelho semanalmente, com a criptomoeda caindo 1,2% nos últimos sete dias.

Enquanto isso, o Ethereum despencou quase 6% no último dia, de acordo com o CoinGecko. Ele está apenas a US$ 200 de voltar para a realidade dos três dígitos, sendo negociado a pouco mais de US$ 1.200.

Inflação sob controle?

Esse cenário de quedas vem logo após a publicação do relatório da inflação na terça-feira, o que sugeriu que a os preços aquecidos nos EUA podem estar esfriando.

Publicidade

Na terça-feira, o U. S. Bureau of Labor Statistics indicou que essa inflação continuava aumentando de acordo com as suas medições, mas o ritmo que vinha subindo era mais lento do que no mês anterior. Isto sugere que as tentativas violentas do Federal Reserve de travar a inflação desenfreada tiveram um efeito.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) mede a taxa de variação do preço de uma cesta de mercadorias, incluindo leite, carros usados e cuidados médicos. A taxa aumentou em novembro em 0.1%, índice menor do que a rapidez com que esses preços estavam subindo em outubro. Nessa altura, o relatório do IPC indicava que os preços subiram 0,3%.

Os mercados reagiram rapidamente, com ações e criptomoedas subindo na esperança de que o aperto contínuo das taxas do Fed diminuísse.

Juros mais altos

Mas com a inflação anual ainda acima de 7,1%, o trabalho do BC americano, o Fed, não acabou. Um dia após a divulgação do relatório, o Banco Central sinalizou que continuaria a aumentar as taxas, mas em vez do aumento de 0,75%, voltou a subir para 0,5%.

Publicidade

À medida que as taxas aumentam, o dinheiro torna-se mais caro para emprestar, o que pode ter efeitos em cascata em toda a economia, conforme o Fed tenta desacelerar os gastos. Também torna o ato de poupar dinheiro mais atraente, uma vez que as taxas de juro nos bancos comerciais também aumentam, dando aos investidores retornos menos arriscados do que entrar no mercado de ações.

Como esperado, as ações e as criptomoedas despencaram. E até que a inflação seja reduzida para menos de 2%, de acordo com os desejos do Fed, o mercado de cripto em baixa no momento mostra poucos sinais de retorno a novas altas históricas.

Participe da comunidade de WEB3 que mais cresce no Brasil. Clique aqui e venha conversar no Discord com os maiores especialistas do país.

VOCÊ PODE GOSTAR
Placa com o logotipo da b3

B3 começa a negociar contrato futuro de Bitcoin nesta quarta-feira

Contrato futuro de Bitcoin será equivalente a 100 do valor da criptomoeda em reais e terá vencimento mensal, informou a Bolsa de Valores
Uniswap, venture, criptomoedas, investimentos, web3

Manhã Cripto: Token da Uniswap despenca 17% após alerta de processo da SEC e Bitcoin recupera os US$ 70 mil

CEO da Uniswap, Hayden Adams, disse não estar surpreso, “apenas irritado, desapontado e pronto para lutar”
Imagem da matéria: Coinext lança gestora e abre captação para seu primeiro fundo cripto 

Coinext lança gestora e abre captação para seu primeiro fundo cripto 

A Coinext Asset estreia no mercado com o Coinext Crypto Strategy FIM IE, fundo multimercado com investimento 100% em cripto no exterior
Moedas douradas à frente de bandeira do Brasil

Fundos de criptomoedas têm semana negativa, mas Brasil registra entrada de R$ 15 milhões

Brasil segue momento positivo para fundos de criptomoedas, enquanto produtos ao redor do mundo têm semana negativa com queda dos preços