Imagem da matéria: Quando pode ocorrer o próximo rali do Bitcoin, segundo o MB Research
Foto: Shutterstock

A semana foi moderadamente positiva para a grande maioria dos criptoativos. O Bitcoin (BTC) e o Ether (ETH) apresentaram pequenos ganhos de 2,26% e 3,65%, respectivamente. O mercado segue lateralizado no patamar entre os US$ 27 mil e US$ 29 mil e o movimento pode ser explicado pela expectativa quanto à evolução da situação macroeconômica, principalmente no que tange a política monetária americana e a crise bancária internacional.

Preço e volume do Bitcoin e ethereum, apurado às 21h (UTC-3) do dia 02/04/2023 (Fonte: Messari)

Publicidade

Mesmo com o movimento recente, a dominância do Bitcoin ainda não superou o patamar de 48% que tem agido como um ponto de virada nos últimos meses. A falha em superar este patamar pode resultar em uma alt-season com a valorização explosiva de altcoins

Variação da dominância do Bitcoin (Fonte: TradingView)

Entretanto, quando olhamos para a dominância do Bitcoin, excluindo stablecoins, isto é, a porcentagem que o Bitcoin representa da capitalização de mercado total das criptomoedas sem  a participação de stablecoins, o panorama se torna bem diferente. Desde o início de 2022, esta métrica vem numa tendência de alta, mostrando que investidores têm tirado seu dinheiro de altcoins e investindo  em Bitcoin e stablecoins.

Variação da dominância do Bitcoin excluindo stablecoins (Fonte: TradingView)

Destaque da semana

Entre os ativos com US$ 10 bilhões ou mais de capitalização de mercado, o destaque da semana fica com a Cardano (ADA). A plataforma de criptomoedas do cofundador da Ethereum, Charles Hoskinson, teve uma performance de 9,58% nos últimos sete dias. Esse movimento pode ser resultado da acumulação da moeda por “baleias”, ou seja, carteiras com grande quantidade de ADA. Além disso, a atualização Hydra da rede pode estar contribuindo para os ganhos no curto prazo.

Ativos com Capitalização de Mercado superior a US $10 bilhões, apurado às 21h (UTC-3) do dia 02/04/2023 (Fonte: Messari)

Análise on-chain

Os investidores de longo prazo (LTHs) seguem acumulando moedas nos atuais patamares de preço. Com a lateralização das últimas semanas, os LTHs adicionaram cerca de 36 mil BTC a suas posições. A métrica ainda está num patamar abaixo do topo, alcançado no dia 26 de fevereiro que, apesar disso, o movimento recente parece sustentar a ideia de uma renovação da convicção dos investidores de longo prazo. 

Quantidade de bitcoins nas mãos dos investidores de longo prazo (LTH) – Fonte: Glassnode

Na última quinta-feira,  30 de março, notamos uma queda superior a 1% no saldo de Bitcoin que permaneceu sem movimentação por um ano ou mais. Embora essa queda pareça preocupante, é importante ressaltar que a explicação para essa distorção não é motivo para alarme. Discutiremos os movimentos que causaram essa distorção abaixo. 

Publicidade
Porcentagem dos Bitcoins na mãos de investidores há mais de um ano (Fonte: Glassnode)

Por outro lado, o saldo de bitcoins nas mãos de investidores a dois anos ou mais segue fazendo novas máximas, o que indica que a queda de mais de 1% no saldo de bitcoins sem movimentação ocorreu principalmente em contas com bitcoins parados há menos de dois anos.

Porcentagem dos bitcoins na mãos de investidores há mais de 2 anos (Fonte: Glassnode)

Observando o gráfico abaixo do lucro/prejuízo líquido realizado, podemos notar que houve uma realização massiva de prejuízos que ultrapassou US$ 5 bilhões, o maior valor em toda a história da métrica. Esse evento ocorreu no mesmo dia em que foi observado o movimento anormal no saldo de Bitcoin, que não se movimentou há um ano ou mais. Essa relação sugere que parte dos investidores podem ter tido prejuízo ao liquidar suas posições em bitcoins que estavam parados há mais de um ano.

Lucro/Prejuízo realizado dos últimos 2 anos (Fonte: Glassnode)

Entretanto, este não parece ser o caso. Abaixo, é possível observar os gráficos do prejuízo realizado e do prejuízo realizado ajustado por entidade. A principal diferença entre as métricas é que a versão não ajustada acaba considerando transações dentro de um cluster de carteiras pertencentes a uma mesma entidade. Após comparar os gráficos, podemos concluir que o movimento de realização de prejuízo ocorreu principalmente entre carteiras de uma mesma entidade, o que indica que essas transações não podem ser consideradas como uma realização de prejuízo propriamente dita.

Prejuízo realizado dos últimos 2 anos (Fonte: Glassnode)

Prejuízo realizado ajustado dos últimos 2 anos (Fonte: Glassnode)

Conclusão

O cenário atual do mercado de criptoativos permanece incerto, com possibilidade de continuação dos ganhos do Bitcoin em relação às altcoins, assim como um fortalecimento das altcoins, resultando em uma queda da dominância do Bitcoin. Investidores devem estar atentos às movimentações do mercado e à evolução da situação macroeconômica para administrar suas posições de acordo.

Publicidade

Apesar de algumas distorções nas métricas on-chain devido a transferências entre carteiras pertencentes à mesma entidade, a saúde geral dessas métricas permanece sólida. O crescimento na posição dos investidores de longo prazo e a persistência de novos recordes no saldo de bitcoins não movimentados por dois anos ou mais demonstram uma firme convicção na perspectiva de um rali de longo prazo.

Sobre os autores

André Franco: André é Engenheiro Mecatrônico e Analista de criptoativos desde 2017, foi eleito uma das 50 maiores personalidades cripto do Brasil pelo Cointelegraph, com vasta experiência no mercado. André é atualmente o diretor de Research do Mercado Bitcoin.

Rony Szuster: Rony é Engenheiro Químico com pós-graduação em Engenharia de Software, imerso no mercado cripto desde 2019 e contribuidor do Messari Hub em 2021 e 2022. Atualmente integra a equipe de analistas de criptoativos do Mercado Bitcoin.

Lucca Benedetti: Lucca é estudante de Engenharia Química e um entusiasta do mercado desde 2015, tendo se tornado analista de forma profissional em 2021. Possui experiência no nascente campo de finanças descentralizadas (DeFi) e atualmente integra a equipe de analistas de criptoativos no Mercado Bitcoin.

Bernard Pedra: Bernard é estudante de blockchain e criptografia digital e entusiasta do mercado desde 2019 com experiência prática no campo de tokens-não-fungíveis (NFT). Atualmente integra a equipe de analistas de criptoativos no Mercado Bitcoin.

Publicidade
VOCÊ PODE GOSTAR
Vitalik Buterin na ETH Taipei 2024. Foto: Rug Radio

Como o fundador do Ethereum, Vitalik Buterin, mantém suas criptomoedas seguras

“Descentralize sua própria segurança”, diz Buterin – mas ele não usa uma cold wallet para suas próprias criptomoedas
criptomoedas, criptoativos, regulação, Brasil, projeto de lei

Banco Central anuncia próximos passos da regulamentação do mercado cripto no Brasil

Sem definir datas, BC diz que irá fazer mais uma consulta pública no segundo semestre e um planejamento interno sobre stablecoins
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Ethereum (ETH) decola 20% com expectativa para aprovação de ETFs nos EUA

Manhã Cripto: Ethereum (ETH) decola 20% com expectativa para aprovação de ETFs nos EUA

A animação dos investidores fez aumentar em 219% o volume de negociação do Ethereum nas últimas 24 horas
Imagem da matéria: "Centavo épico" de Bitcoin é usado para inscrever música da Grimes gerada por IA

“Centavo épico” de Bitcoin é usado para inscrever música da Grimes gerada por IA

Ordinals com uma música gerada por IA da Grimes foi inscrito num satoshi “épico” de Bitcoin avaliado em mais de R$ 10 milhões