Imagem da matéria: Procuradoria multa Tether e Bitfinex em US$ 18,5 milhões e bane empresas de Nova York
Procuradora-geral de Nova York, Letitia James. Foto: Divulgação/Facebook

Após quase dois anos, a disputa judicial entre a Procuradoria Geral de Nova York (EUA), a exchange Bitfinex e a Tether finalmente teve um desfecho.

Em comunicado divulgado nesta terça-feira (23), a procuradora-geral Letitia James disse que o órgão e as duas empresas, que são irmãs, chegaram a um acordo.

Publicidade

Conforme o documento, o órgão baniu a Bitfinex e Tether do estado norte-americano. Além disso, multou as empresas – que terão que apresentar relatórios regulares ao governo para garantir que não atuarão mais por lá – em US$ 18,5 milhões.

As duas companhias também terão que apresentar a cada três meses um relatório sobre suas reservas de tether. Em contrapartida a esses ajustes, o processo foi encerrado.

O que a investigação descobriu

De acordo com a procuradora, as empresas enganaram clientes e mercado ao mentir sobre suas reservas e ocultar cerca de US$ 850 milhões em perdas ao redor do mundo.

“A Bitfinex e a Tether encobriram de forma imprudente e ilegalmente enormes perdas financeiras para manter seu esquema funcionando e proteger seus resultados financeiros”, disse.

Publicidade

“As afirmações da Tether de que sua moeda virtual sempre foi totalmente respaldada por dólares americanos era uma mentira. Essas empresas obscureciam o verdadeiro risco que os investidores enfrentavam e eram operadas por indivíduos e entidades não licenciados e não regulamentados que lidavam com os cantos mais sombrios do sistema financeiro”, completou.

A Procuradoria Geral afirmou que desde de 2017 a Tether não tinha acesso a serviços bancários e, por isso, não manteve – pelo menos por um tempo – as reservas para garantir que cada tether fosse lastreado em um dólar, como afirmava a empresa.

Disse também que a companhia tentou encobrir uma perda de US$ 850 milhões – gerada por causa de seu relacionamento com uma empresa do Panamá chamada Crypto Capital Corp – com falsas declarações.

“Em 7 de outubro de 2018, a Bitfinex afirmou ‘não entender totalmente os argumentos que pretendem nos mostrar insolventes’, quando, por meses, seus executivos vinham implorando à Crypto Capital para devolver quase um bilhão de dólares em ativos”, consta no comunicado da Procuradoria.

Publicidade

O que disse a Tether

Em um texto publicado nesta terça-feira em seu site, a Tether e a Bitfinex afirmaram que “estão satisfeitas por terem chegado a um acordo de processos judiciais com o Gabinete da Procuradoria Geral de Nova York”.

Entretanto, as duas empresas disseram que não cometeram qualquer “irregularidade”. Afirmaram ainda que o “valor do acordo que concordamos em pagar ao Ministério Público deve ser visto como uma medida de nosso desejo para deixar esse assunto para trás e focar em nossos negócios”.

VOCÊ PODE GOSTAR
Tela de celular do Telegram

Depois que Toncoin atinge alta histórica, Telegram lança a moeda “Stars” vinculada ao TON

A moeda no aplicativo, Stars, estará disponível para compra com moeda fiduciária por meio de compras no aplicativo via iOS e Android
celular com logo GameStop com fundo azul

Roaring Kitty reaparece e ações da Gamestop e token GME disparam de preço

Na noite domingo (2), as ações NYSE:GME subiram 19% enquanto a memecoin GME disparou mais de 200%
Imagem da matéria: Exchange japonesa DMM Bitcoin apresenta plano após perder US$ 300 milhões em BTC

Exchange japonesa DMM Bitcoin apresenta plano após perder US$ 300 milhões em BTC

Empresa já iniciou processo de captação para comprar a quantidade suficiente em Bitcoin para pagar os clientes impactados pelo ataque
Imegem aérea feita pela ANDE de fazenda de mineração de bitcoin em Canindeyú

Polícia do Paraguai desmonta fazenda de mineração de Bitcoin com 2.700 ASICs

Ação na cidade de Canindeyú contou mais uma vez com a ajuda da inteligência artificial para identificar variações na carga da rede elétrica