Imagem da matéria: Principal porto marítimo da Argentina vai receber upgrade com tecnologia blockchain
Foto: Shutterstock

O governo da Argentina vai modernizar seu principal acesso a embarcações com a tecnologia blockchain, o Porto de Buenos Aires. Segundo comunicado feito na última sexta-feira (16) pela Administração Geral Portuária (AGP), órgão vinculado ao Ministério dos Transportes, a seleção da empresa que fará o upgrade vai ocorrer por meio de avaliação de proposta enviada por e-mail, como previsto no edital ‘Licitación Pública 08/2021’.

De acordo com a AGP, com esta licitação, a entidade avança na implementação de um novo sistema, mais moderno e com tecnologia inovadora e mais benefícios para todas as partes envolvidas. Dentre eles, disse a entidade, podemos destacar a maior eficiência e agilidade nos processos portuários, principalmente por meio da automação e redução da burocracia, contribuindo para o transporte sustentável.

Publicidade

Na página oficial do Porto de Buenos Aires, a entidade sustenta que “a logística moderna depende de modelos de negócios eletrônicos” e até mesmo antecipa a nova empreitada: “Rumo a um porto sem papéis, sustentável e ágil”.

Atualmente, a administração do porto é feita pelo sistema ‘e-PuertoBUE’ — Intercâmbio Eletrônico de Documentos, que cobre toda interação marítima da jurisdição do Porto de Buenos Aires em sintonia com a Prefeitura e a Alfândega.

“A modernização do e-PuertoBUE colocará o Porto de Buenos Aires como um pioneiro e líder de inovação na região no uso dessas tecnologias disruptivas”, diz a publicação.

“Notário digital” em blockchain

De acordo com a proposta da AGP, a nova plataforma a ser desenvolvida deve ser baseada em ferramentas tecnológicas seguras, padronizadas e interoperáveis, de forma que permita aos atores da cadeia de comércio exterior compartilhar informações de forma eficaz e eficiente, bem como rastreabilidade de carga adequada.

Publicidade

“Para isso, será utilizada uma moderna plataforma de processos que serão tokenizados na rede Blockchain que atuará como cartório digital, evitando alterações das informações, realizando rastreabilidade e proporcionando um framework seguro, entre outros”, conclui a nota.

Em resumo, como comentou o Coindesk, a implementação do Blockchain atuará como um “notário digital”, evitando alterações de informações enquanto conduz métodos de rastreabilidade e fornece uma estrutura segura, capacidade intrínseca da tecnologia blockchain, que surgiu com Bitcoin.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Projeto de universitários brasileiros ganha R$ 50 mil em hackathon global da Solana

Projeto de universitários brasileiros ganha R$ 50 mil em hackathon global da Solana

Grupo criou aplicação para conectar via blockchain produtores de energia e estações de abastecimento, com a mira no mercado de carros elétricos
Ilustração da memcoin em Solana Bonk

Como criar uma memecoin em Solana com a Pump.fun

Protocolo viralizou ao permitir a qualquer pessoa criar uma criptomoeda por cerca de R$ 15