Imagem da matéria: Primo Rico faz investimento em mais uma empresa de criptomoedas
Youtuber Primo Rico (Foto: Reprodução/Youtube)

O youtuber de finanças Thiago Nigro, mais conhecido como Primo Rico, fez mais um investimento em uma empresa de criptomoedas, a Paradigma Education. Além disso, ele adquiriu outras duas do ramo de educação financeira, Top Invest e Edufinance. As informações são do site NeoFeed e foram confirmadas pelo Portal do Bitcoin.

À reportagem, o fundador da Paradigma, Felipe Sant’Ana, disse que foi uma aquisição de 10% da casa de análises e que eles seguem independentes:

Publicidade

“Temos um roadmap próprio de produto e de pesquisa/conteúdo. Eles [o Grupo Primo] vão nos ajudar a levar nosso trabalho para fora da nossa bolha, e lapidar a imagem pública dessa revolução a nível nacional”.

Conforme o empresário, que tem uma atuação antiga no mercado brasileiro de criptomoedas, o namoro já vinha sendo construído com três projetos já lançados: três coleções de NFTs na Polygon; dois cursos juntos com o Bruno Perini (Viver de Renda Cripto); e participação de Sant’Ana na grade de conteúdos do Grupo.

Além disso, Santa’Ana diz que houve uma relação de dupla vantagem entre as duas marcas: “Eles nos ajudam a escalar nossa distribuição e melhorar o nível do nosso trabalho. Nós ajudamos eles a navegar por essa nova fase da internet”.

O Grupo Primo já agrega várias marcas, como a plataforma Finclass, por exemplo. Nigro também é parceiro antigo da Biscoint, plataforma cripto que agrega preço de várias exchanges. Contudo, desta vez o empresário focou na formação de profissionais para o mercado.

Publicidade

A Paradigma Education é uma casa de análise voltada ao mercado de criptomoedas. Já a TopInvest é voltada para formação de profissionais para o mercado financeiro e a Edufinance em ‘valuations’, ou seja, atua na avaliação de empresas.

Trata-se do primeiro investimento da empresa fundada em 2019. “Sempre prezamos por o negócio se manter sustentável — já sofremos bastante em vidas passadas com a natureza cíclica do mercado: hiper-cresce no bull market, sangra até morrer no bear market”.

Procurado, o grupo Primo não comentou o assunto até a publicação desta reportagem. O valor do negócio não foi divulgado.

Primo Rico e criptomoedas

Thiago Nigro é autor do livro sobre finanças ‘Do Mil ao Milhão’, um dos livros mais vendidos no Brasil. Inicialmente focado no mercado financeiro tradicional, criticou o Bitcoin no passado, mudando de opinião depois. Em fevereiro deste ano, comprou Ethereum (ETH) com o dinheiro da venda de ações

Publicidade

No início do ano passado, por exemplo, Nigro afirmou que um dos maiores erros dele como investidor foi ter vendido seus Bitcoins em 2014. “Meu maior acerto em investimentos: Comprar BTC em 2014. Meu maior erro em investimentos: Vender BTC em 2014”.

Ultimamente, porém, o empresário vem comprando criptoativos e listando vários motivos para se comprar Bitcoin, usando termos como “Democrático e inconfiscável“, e também falando mais sobre o ecossistema cripto, como investimentos no mercado novo de NFTs.

*Colaborou Cláudio Rabin

VOCÊ PODE GOSTAR
Pessoa segura smartphone com logo BUSD com as mãos apoiado em uma mesa

SEC encerra investigação sobre stablecoin da Binance sem ações de penalidade

A SEC alegou que a stablecoin BUSD era um valor mobiliário em um processo movido contra a Binance no ano passado
Imagem da matéria: “Playboy do Bitcoin” mentiu sobre sequestro e roubo de criptomoedas, denuncia MP

“Playboy do Bitcoin” mentiu sobre sequestro e roubo de criptomoedas, denuncia MP

Marlon Gonzalez, o “Playboy do Bitcoin”, disse ter sido sequestrado, roubado e agredido, mas segundo o MP tudo não passou de um esquema
Moedas de bitcoin sob bandeira da Argentina

Argentina sanciona lei que permite aumento de capital de empresas com criptomoedas

Javier Milei também nomeou um especialista em blockchain para liderar Agência Federal de Segurança Cibernética
Ilustração de um hacker de Ethereum

Plataforma DeFi do Ethereum recupera R$ 42 milhões após atender exigências de hacker

Uma exploração que ocorreu na rede de segunda camada do Ethereum, Scroll, fez com que milhões fossem drenados da Rho Markets