Imagem da matéria: Regulador dos EUA diz que criptomoedas são “ameaça à segurança nacional" após colapso da FTX
Foto: Shutterstock

As criptomoedas podem ser uma ameaça à segurança nacional dos EUA e mais regulamentação é necessária no espaço, disse na quinta-feira (1º) o presidente da Comissão de Negociação de Futuros de Commodities (CFTC), Rostin Behnam.

Quando Behnam fez o pronunciamento, ele estava sendo interrogado por senadores sobre a falta de regulamentação no espaço na primeira audiência de supervisão do Congresso após a queda da exchange de criptomoedas FTX e seu fundador, Sam Bankman-Fried.

Publicidade

A FTX era uma das maiores e mais populares exchanges de criptomoedas do mercado até ruir no começo de novembro. Agora está ficando claro como a liderança da empresa administrou mal a corretora e suas entidades relacionadas e foi opaca sobre suas operações, o que levou a uma falência notavelmente rápida — e à perda de bilhões de dólares em ativos de clientes.

Behnam disse que as criptomoedas eram “potencialmente uma ameaça à segurança nacional” quando o senador Roger Wayne Marshall, que descreveu o espaço como uma “bomba nuclear explodindo”, perguntou sobre ativos digitais sendo usados por criminosos.

Conversando com membros do comitê de Agricultura do Senado, Behnam acrescentou que os ativos digitais existirão mesmo que o governo dos EUA queira bani-los do solo americano — observando que, apesar dos regulamentos e restrições conhecidos como geofencing (cerca geográfica, na tradução livre), 2% dos clientes FTX eram dos EUA, uma empresa com sede nas Bahamas que proibiu os residentes dos EUA de usar seus serviços.

“Isso não deveria acontecer”, disse ele. “As pessoas encontrarão uma maneira de obter exposição a entidades e atividades offshore, mesmo que sejam proibidas nos EUA – e temos que fazer algo sobre isso.”

Publicidade

CFTC de olho nas criptomoedas

Behnam disse aos legisladores que sua agência precisa ter o poder de escrever regras e supervisionar o trade de criptomoedas – incluindo impedir que as exchanges tenham entidades afiliadas que negociam com clientes na plataforma.

Parte da queda da FTX deveu-se ao suposto uso do dinheiro do cliente (sem que eles soubessem) para fazer apostas por meio da Alameda Research, uma empresa comercial também criada pelo ex-CEO da FTX, Sam Bankman-Fried. 

A Alameda negociou na FTX, na verdade apostando contra seus próprios clientes, e ainda assim tinha permissões especiais na plataforma que a impediam de ser liquidada na FTX, de acordo com o recém-nomeado CEO John J. Ray (o mesmo Ray que supervisionou a liquidação da Enron).

Em outras palavras, a Alameda supostamente usou o dinheiro dos clientes da FTX para negociar contra os clientes da FTX, jogando o jogo de acordo com suas próprias regras.

Publicidade

“Precisamos de registro de exchanges; precisamos de vigilância da atividade do mercado; precisamos de relacionamentos diretos com os custodiantes que estão segurando o dinheiro do cliente, para que possamos proibir e impedir que movam dinheiro que não seja da casa”, acrescentou Behnam.

* Traduzido e editado com autorização do Decrypt.co.

Participe da comunidade de criptomoedas que mais cresce no Brasil. Clique aqui e venha conversar no Discord com os principais especialistas do país.

VOCÊ PODE GOSTAR
ilustração do famoso sapo pepe

PEPE salta 19% e bate recorde após boato de listagem na Coinbase e hype da GameStop

As últimas 24 horas foram uma tempestade perfeita para Pepe: Roaring Kitty voltou causando um boom das memecoins, ao mesmo tempo que se espalhou rumores de listagem na Coinbase
Imagem da matéria: Vitalik Buterin critica prisão de dev do Tornado Cash: "Realmente lamentável"

Vitalik Buterin critica prisão de dev do Tornado Cash: “Realmente lamentável”

O fundador do Ethereum nem se importou em comentar sobre os ETFs, mas refletiu sobre a recente condenação de um desenvolvedor do Tornado Cash
Moedas de bitcoin sob mesa escura com sigal ETF

ETFs de Bitcoin têm entrada de US$ 303 mi, impulsionados por Fidelity e Grayscale

Os fluxos de entrada de ETFs de Bitcoin à vista nos EUA atingiram uma alta de US$ 303 milhões em duas semanas, já que o preço do Bitcoin ultrapassou US$ 66 mil
Imagem da matéria: Merge Madrid: encontro Web3 promete unir Europa e América Latina em outubro

Merge Madrid: encontro Web3 promete unir Europa e América Latina em outubro

De 8 a 10 de outubro, pontos chave da cidade de Madri atrairão o ecossistema Web3 sob uma perspectiva de negócios, legal e técnica