Imagem da matéria: Por vingança, ex-sócio rouba mais de 150 bitcoins de empresa francesa que o demitiu
(Foto: Shutterstock)

O mundo das criptomoedas é terreno fértil para histórias inusitadas. Uma das mais recentes vem da França, onde um ex-sócio de uma empresa foi preso depois de roubar o equivalente a 1,1 milhão de euros em bitcoin — ou R$ 4,9 milhões em moeda corrente brasileira — para se vingar dos antigos parceiros. 

As informações são do jornal francês Le Parisien e foram repercutidas por uma série de outros veículos europeus, de Portugal à Rússia.

Publicidade

Tanto o autor do crime quanto a empresa atacada não tiveram seus nomes divulgados.

O crime

Tudo começou em 2013, quando o autor do crime se juntou a outros sócios para abertura de uma empresa de TI (Tecnologia da Informação), sediada nos arredores de Paris.

Apesar do crescimento, segundo o Le Parisien, os sócios divergiam com frequência entre si. As disputas levaram à demissão de um deles, em 2016. Chateado, se mudou para um outro país — também não mencionado — “em busca de novas perspectivas profissionais”.

Entre dezembro de 2018 e janeiro de 2019, a empresa de TI, que trabalha com criptoativos, sofre uma série de ataques por meio de uma conexão criptografada.

Em cada ação, bitcoins de propriedade da companhia eram desviados para uma conta desconhecida. No total, foram desviados 182 bitcoins, que equivalem a cerca de 1,1 milhão de euros — algo próximo de R$ 4,9 milhões.

Publicidade

Investigação e prisão do acusado

A partir dos ataques é aberta uma investigação junto à seção de crimes cibernéticos da Promotoria de Paris. Meses depois, a carteira de destino dos bitcoins roubados é identificada e um mandado de busca e apreensão é emitido. Nunca é demais lembrar que a criptomoeda, que tem como base a tecnologia blockchain, pode ser rastreada.

O dono da carteira digital de destino dos bitcoins era o próprio ex-sócio, que estava fora da França. De volta ao país, acabou preso no último dia 20 de dezembro, na região da Normandia.

Já sob custódia policial, o antigo sócio admitiu ter roubado os antigos colegas “por vingança” em retaliação por sua demissão. Seu computador e as chaves da carteira digital foram apreendidas.

Ainda segundo o diário parisiense, o caso é considerado o terceiro maior roubo de criptomoedas já ocorrido na França. O autor do crime agora é acusado de formação de quadrilha e lavagem de dinheiro, entre outros delitos.


Compre Bitcoin na Coinext 

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Morte de John McAfee completa 3 anos; relembre a história do “pai do antivírus” e defensor do Bitcoin

Morte de John McAfee completa 3 anos; relembre a história do “pai do antivírus” e defensor do Bitcoin

Não importa o quão fascinante tenha sido sua visão libertária para anarcocapitalistas ou o quão decepcionante foi para seus seguidores sua vida regada a álcool e drogas: John McAfee teve um final trágico
Fusão da imagem de uma moeda de bitcoin com a bandeira do Paraguai

Senado do Paraguai aprova lei que pune com até 10 anos de prisão mineradores de criptomoedas que roubam eletricidade 

Para o relator Ever VIllalba, o PL não criminaliza a mineração de criptomoedas, mas as leis devem ser adaptadas ao setor; PL seguirá para a Câmara dos Deputados
moeda e notas pendurada em um varal

Operação contra maior milícia do RJ revela que suspeitos compravam Bitcoin para lavar dinheiro

Fonte do dinheiro movimentado pelos suspeitos seria oriundo de grilagem de terras, extorsão contra comerciantes e exploração do transporte
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin se estabiliza após a montanha-russa da inflação e da taxa de juros

Manhã Cripto: Bitcoin se estabiliza após a montanha-russa da inflação e da taxa de juros

Taxas de juros desempenham um papel fundamental na ação do preço dos ativos de risco, como as criptomoedas e o mercado de ações