Imagem da matéria: Por questões familiares, sócio e diretor de marketing da Foxbit deixa empresa
(Foto: Pixabay)

O sócio e diretor de Marketing da Foxbit, Roberto Cury, anunciou na manhã desta sexta-feira (28) que não fará mais parte da equipe da corretora de criptomoedas. O motivo da saída foi um problema de saúde de uma pessoa na sua família.

No anúncio feito por meio de nota, Cury afirma que não foi uma decisão nada fácil sair da Foxbit, mas que “cuidar da família em momentos delicados virou a minha prioridade nesse do momento”.

Publicidade

Ele disse que essa sexta-feira marca o encerramento de seu ciclo na corretora de criptomoedas à qual se dedicou por mais de um ano.

“Hoje encerro meu ciclo aqui na Foxbit. Foi um ano e meio de muita entrega, dedicação e flutuação do Bitcoin e a certeza de missão cumprida. Não foi uma decisão nada fácil sair”.

Em conversa com o Portal do Bitcoin, Cury diz que apesar de o anúncio ter sido feito hoje, ele vinha conversando há quase um mês com a empresa sobre a situação.

“Está tudo bem encaminhado por aqui, tanto em Marketing quanto em CX (Customer Experience), áreas que eu tocava”.

Apesar de Cury ter falado em encerramento de ciclo, o diretor de marketing que deixará o cargo na segunda-feira (01) acredita na possibilidade de retornar ao seu trabalho, pelo qual se dedicou um ano e meio.

Publicidade

Projetos na Foxbit

Roberto Cury participou ativamente do projeto Foxbit Lab, lançado em novembro de 2018.

Ele que sempre teve um perfil acadêmico. Formou-se na Universidade Federal Fluminense (UFF) e fez pós-graduação na Fundação Getúlio Vargas.

Sobre o período em que ficou na Foxbit, disse: “Desde o começo foi muito trabalho, uma correria sem fim. Passamos por migração, construção de time, mudança de marca e site, nada disso nessa ordem”.

VOCÊ PODE GOSTAR
Fotos dos equipementos de mineração de criptomoedas operados com furto de eletricidade em Canela, RS

Polícia Civil do RS fecha fazenda de mineração de criptomoedas que lucrava R$ 400 mil por mês

Além de crime de furto de energia, casal preso responderá por porte ilegal de arma e lavagem de dinheiro
Fachada do MPDFT - Facebook

PM que atraía colegas de farda para pirâmide com criptomoedas é alvo do MP do DF

O policial militar e um grupo suspeito de pessoas e empresas teriam aplicado um golpe de R$ 4 milhões; alvos do MPDFT são do DF e GO
Homem preso com as mãos algemadas nas costas

Polícia do Rio prende suspeitos de integrar quadrilha especializada em golpes com criptomoedas

Operação ‘Investimento de Araque’ foi deflagrada nos estados do Rio, Amazonas e Pará; suspeitos movimentaram mais de R$ 15 milhões em dois anos
moeda e notas pendurada em um varal

Operação contra maior milícia do RJ revela que suspeitos compravam Bitcoin para lavar dinheiro

Fonte do dinheiro movimentado pelos suspeitos seria oriundo de grilagem de terras, extorsão contra comerciantes e exploração do transporte