Imagem da matéria: Polícia investiga brasileiro que aplica golpes com bitcoin e leva vida de magnata no Instagram
Marlon Gonzalez Motta lançou um site com o próprio nome (Foto: Reprodução/Instagram)

A Polícia Civil do Distrito Federal está investigando vários golpes financeiros aplicados por Marlon Gonzalez Motta, um ‘magnata’ de Brasília (DF) de 23 anos. Segundo reportagem do Metrópoles, o estelionatário que usa bitcoin e criptomoedas para atrair vítimas, viaja o mundo procurando jovens investidores.

De acordo com o site, Marlon pode ter feito mais de R$ 3 milhões com falsas promessas. Os golpes são aplicados em jovens da alta classe que ele geralmente aborda em festas e que estão começando a atuar no mercado financeiro.

Publicidade

Ele já é conhecido da polícia de Taguatinga e responde a pelo menos cinco inquéritos. Dentre eles estão crimes comuns de fraude, estelionato e associação criminosa.

O golpista foi descoberto após um cúmplice ser pego com identidade falsa. Por meio da averiguação da polícia, foram encontrados com ele documentos que comprovam sua relação com a empresa M3 Private, de propriedade de Marlon.

Golpes no Brasil e na China

Marlon finge ser megainvestidor e tem persuadido vários operadores financeiros a pagarem fortunas em transações envolvendo criptomoedas. Ele usa as redes sociais para simular uma vida de sucesso, com lanchas, carros de luxo e viagens a locais paradisíacos.

Em sua conta no Instagram, diz ser da área de tecnologia, finanças, criptografia. Contudo, depois de aplicar cada golpe, ele desativa os perfis e viaja para países na Europa, Caribe e Ásia, diz a reportagem.

Publicidade

Enganou empresa chinesa

Em abril, o alvo de Marlon foi uma empresa de Hong Kong, na China, chamada Dsundc Limited, que atua a pelo menos dois anos na compra e venda de criptomoedas. 

Com sua ‘lábia’ quando prometia altos rendimentos por meio de um software que analisa a bolsa de valores, Marlon deu-lhe um prejuízo de cerca de R$ 600 mil — ele abriu uma empresa local, de fachada, para simular legalidade no negócio.

E foi desta forma que a Dsundc caiu no golpe. Atraída pelos rendimentos oferecidos por Marlon, adiantou uma transferência de US$ 150 mil.

Depois disso, diz a reportagem, “Marlon enviou uma mensagem por WhatsApp dizendo que o dinheiro não havia entrado na conta dele. A partir daí, parou de atender as ligações e não repassou criptomoedas”.

Publicidade

Golpes em amigos

O golpista foi reconhecido por credores brasileiros que acionaram a polícia em abril deste ano. Marlon tentou negociar valores decorrentes de outros golpes.

Segundo Metrópoles, ele chegou a assinar uma confissão de dívida e entregou as chaves de uma Mercedes avaliada em R$ 200 mil, jet ski e um cheque falso no valor de R$ 40 milhões.

Logo que foi desmascarado, ele deixou o Brasil e foi para a Suíça, de onde publicou uma série de imagens desfrutando de um lugar luxuoso.

Alexandre Dantas, sócio e supostamente vítima de Marlon, disse que começou a investigar o brasiliense por conta própria.

Ele revelou que chegou à conclusão após ter encontrado uma série de pessoas, inclusive amigas, e que lhe confiaram grandes quantias. A Promessa seria a de alta rentabilidade.

“Além do nosso prejuízo, entramos em contato com várias pessoas no DF que perderam R$ 50 mil, R$ 100 mil e R$ 150 mil. O Marlon usava a proximidade com elas para convencê-las a investir”, disse Dantas ao Metrópoles.

Publicidade

Uma pessoa que andava com Marlon e que não quis se identificar, contou um pouco sobre ele:

“Marlon é uma espécie de sociopata, que acredita nas próprias mentiras e não mede esforços para passar por cima de qualquer pessoa, contanto que lucre com isso. Eu costumava andar e ir a festas com ele, que gastava R$ 100 mil na balada”.

Segundo ele, Marlon prometia às pessoas um rendimento de 7% do valor investido. O Metrópoles falou com o delegado Sérgio Bautzer, que investiga o caso, mas ele não detalhou muito.

Ele explicou que, de fato, existem cinco inquéritos que apuram os crimes, mas todos já foram remetidos à Justiça e aguardam parecer do Ministério Público.

“Fizemos toda a apuração, ouvimos vítimas e colhemos provas”.


Compre Bitcoin na Coinext 

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Bitcoin sobe mais de 3% após dado de inflação dos EUA cair em abril

Bitcoin sobe mais de 3% após dado de inflação dos EUA cair em abril

Bitcoin, Ethereum e outras criptomoedas sobem nesta quarta-feira após o relatório do CPI dos EUA mostrar que os preços subiram mais lentamente que o esperado
Ilustração de bandeira do Brasil dentro moeda de Bitcoin

Fundos cripto do Brasil captam mais R$ 1,5 mi e chegam a 21ª semana consecutiva de entradas

Vindo de uma grande sequência de captação, fundos de criptomoedas do Brasil estão em 3º lugar no ranking global, atrás apenas dos EUA e Hong Kong
Fazenda de Mineração de criptomoedas Salto del Guairá Paraguai -ANDE

Paraguai usa inteligência artificial para encontrar fazenda ilegal de mineração de Bitcoin

Autoridades apreenderam 176 ASICs em Saltos de Guairá com ajuda de sistema que mede a tensão de redes elétricas
Imagem da matéria: Bitcoin entra em onda de alta e atinge o seu maior preço desde o halving

Bitcoin entra em onda de alta e atinge o seu maior preço desde o halving

Dados do CoinGecko mostram que o Bitcoin subiu cerca de 3% no último dia e no período de uma semana valorizou em 9%