Metaverso da Interpol
Cena do metaverso criado pela polícia internacional, a Interpol (Divulgação Interpol)

A Organização Internacional de Polícia Criminal, a Interpol anunciou nesta sexta-feira (21) o lançamento de seu metaverso, projetado para atividades como cursos imersivos de treinamento para investigações criminais.

Revelado na 90ª Assembleia Geral da Interpol em Nova Délhi, na Índia, o Interpol Metaverse é descrito como o “primeiro metaverso projetado especificamente para a aplicação da lei em todo o mundo”.

Publicidade

Entre outras coisas, a plataforma também ajudará as forças da lei ao redor do planeta a interagir umas com as outras por meio de avatares, de acordo com o anúncio.

Metaverso é um nome comum para uma visão futura de uma Internet imersiva onde headsets de realidade virtual (VR) e realidade aumentada (AR) desempenham um grande papel nas experiências online – e potencialmente até substituindo algumas atividades do mundo real.

À medida que os mundos virtuais evoluem, surgem preocupações sobre possíveis crimes do metaverso, incluindo crimes contra crianças, roubo de dados, falsificação, ransomware, agressão sexual e assédio.

“Para muitos, o metaverso parece anunciar um futuro abstrato, mas as questões que ele levanta são aquelas que sempre motivaram a Interpol – apoiar nossos países membros a combater o crime e tornar o mundo, virtual ou não, mais seguro para aqueles que o habitam”, disse Jürgen Stock, secretário-geral da Interpol, em um comunicado.

Publicidade

Interpol combate ao crime no metaverso

Um dos desafios identificados pelas organizações policiais é que algo que é considerado crime no mundo físico pode não ser necessariamente o mesmo no mundo virtual.

“Ao identificar esses riscos desde o início, podemos trabalhar com as partes interessadas para moldar as estruturas de governança necessárias e cortar futuros mercados criminosos antes que estejam totalmente formados”, disse Madan Oberoi, diretor executivo de Tecnologia e Inovação da Interpol. “Somente tendo essas conversas agora podemos construir uma resposta eficaz.”

Em uma demonstração ao vivo no evento, os especialistas da Interpol foram a uma sala de aula do metaverso para ministrar um curso de treinamento sobre verificação de documentos de viagem e triagem de passageiros usando os recursos da plataforma recém-lançada.

Os alunos foram então teletransportados para um aeroporto, onde puderam aplicar suas habilidades recém-adquiridas em um ponto de fronteira virtual.

Publicidade

Além disso, a Interpol criou um grupo de especialistas que terá a tarefa de garantir que novos mundos virtuais sejam “seguros por design”.

*Traduzido com autorização do Decrypt

Quer negociar mais de 200 ativos digitais na maior exchange da América Latina? Conheça o Mercado Bitcoin! Com 3,8 milhões de clientes, a plataforma do MB já movimentou mais de R$ 50 bilhões em trade in. Crie sua conta grátis!

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Pump.fun: site que permite criar memecoin por apenas R$ 15 bate recorde de atividade

Pump.fun: site que permite criar memecoin por apenas R$ 15 bate recorde de atividade

Entre os 14.500 tokens lançados na Solana por meio do pump.fun, milhares eram baseados na GameStop
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Ethereum (ETH) decola 20% com expectativa para aprovação de ETFs nos EUA

Manhã Cripto: Ethereum (ETH) decola 20% com expectativa para aprovação de ETFs nos EUA

A animação dos investidores fez aumentar em 219% o volume de negociação do Ethereum nas últimas 24 horas
criptomoedas, criptoativos, regulação, Brasil, projeto de lei

Banco Central anuncia próximos passos da regulamentação do mercado cripto no Brasil

Sem definir datas, BC diz que irá fazer mais uma consulta pública no segundo semestre e um planejamento interno sobre stablecoins
Tela de celular mostra logotipo Drex- no fundo notas de cem reais

Banco Central adia Drex para realizar novos de testes de privacidade

BC explica que primeira fase de testes foi focada em elementos de privacidade, mas as soluções encontradas “ainda não estão maduras”