Imagem da matéria: Polícia argentina prende quadrilha que usava placas de mineração de criptomoedas como isca para assaltos
Suspeitos sendo presos pela Polícia de Buenos Aires. (Imagem: Reprodução/Infobae)

A Polícia Civil de Buenos Aires, capital da Argentina, prendeu nesta semana uma quadrilha que usava falsos anúncios de venda de placas de mineração de criptomoedas como isca para assaltos. Os criminosos, que agiam a partir de perfis de negociação de equipamentos no Instagram, podem ter feito várias vítimas, segundo as investigações.

De acordo com o portal Infobae, a quadrilha estava sob investigação desde fevereiro, após denúncias encaminhadas à Procuradoria local, que viu semelhanças com pelo menos outros seis outros roubos praticados entre janeiro e março deste ano.

Publicidade

Segundo a polícia, a quadrilha agia na Comuna 12 de Buenos Aires, que é formada pelos bairros de Villa Pueyrredón, Villa Urquiza, Coghlan e Saavedra. Era para lá que os clientes eram atraídos pelo baixo valor de placas de vídeos cujas imagens eram publicadas na rede social.

“Distribuidores diretos! Não hesite em consultar. Entrego somente em mãos”, dizia um dos anúncios. Eles se apresentavam como “investidores que trabalham dentro da Alfândega, o que nos torna os primeiros distribuidores diretos em Buenos Aires”.

A última vítima, uma mulher de 41 anos, teve o dinheiro da compra roubado quando encontrou com os bandidos em Saavedra e ficou sob a mira de uma arma. O acordo, de US$ 5 mil, explica o Infobae, havia sido feito pelo Instagram, mas os criminosos deixaram claro para ela que a entrega do produto, bem como o pagamento, na cotação do dólar do dia, só seriam feitos pessoalmente.

Policial se passou por comprador

Com todas as informações da quadrilha em mãos, a Polícia Civil conseguiu na Justiça a autorização para realizar supostas compras até a captura dos envolvidos. Agentes fizeram então contatos com os criminosos e conseguiram agendar uma entrega em Villa Urquiza, onde foi preparada uma operação de bloqueio.

Publicidade

Os suspeitos chegaram ao local em um carro popular e foram recebidos pelo comprador, um policial à paisana. Uma equipe da polícia que acompanhava de perto deu voz de prisão assim que percebeu a ação dos bandidos.

Assustados, conta o Infobae, eles partiram em fuga, mas o cerco já estava programado e a quadrilha foi presa na Avenida Nazca com a Rua Larsen, em Villa Pueyrredón. Em meio à fuga, um dos bandidos descartou um revólver que foi recuperado pelos agentes.

Em seguida, agentes policiais realizaram busca e apreensão nas residências dos acusados e apreenderam carros, celulares e dinheiro. Agora os quatro detidos foram deixados à disposição da Justiça, concluiu a reportagem.

VOCÊ PODE GOSTAR
criptomoedas, criptoativos, regulação, Brasil, projeto de lei

Banco Central anuncia próximos passos da regulamentação do mercado cripto no Brasil

Sem definir datas, BC diz que irá fazer mais uma consulta pública no segundo semestre e um planejamento interno sobre stablecoins
Imagem da matéria: EUA acusam  2 chineses de lavarem US$ 73 milhões em esquema com criptomoedas

EUA acusam 2 chineses de lavarem US$ 73 milhões em esquema com criptomoedas

O Departamento de Justiça acusou Daren Li e Yicheng Zhang de orquestrar um esquema com criptomoedas de “abate de porcos”
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin recua para US$ 64 mil; CEO da Binance clama para que “colega querido” seja libertado da prisão

Manhã Cripto: Bitcoin recua para US$ 64 mil; CEO da Binance clama para que “colega querido” seja libertado da prisão

Richard Teng fez uma publicação para pedir que as autoridades da Nigéria libertem Tigran Gambaryan
Imagem da matéria: Corretoras fazem ação para ajudar vítimas de enchentes no RS; 4 vão dobrar doações de usuários

Corretoras fazem ação para ajudar vítimas de enchentes no RS; 4 vão dobrar doações de usuários

Binance irá doar vouchers de tokens BNB para moradores do Rio Grande do Sul, enquanto Bitso, Foxbit, Bybit e OKX irão dobrar os valores doados por seus clientes