Imagem da matéria: PF bloqueia R$ 110 milhões de empresa de criptomoedas que recebeu dinheiro do tráfico
Foto: Divulgação/PF


A Polícia Federal bloqueou nesta quinta-feira (29), no âmbito da ‘Operação Rekt’, R$ 110 milhões da conta de uma corretora de criptomoedas que recebeu dinheiro do tráfico de drogas de São Paulo. O nome da empresa não foi revelado.

No total, contando com o dinheiro encontrado na exchange, foram bloqueados R$ 20 bilhões em movimentações suspeitas de 36 pessoas físicas e jurídicas. A PF também cumpriu quatro mandados de busca e apreensão na cidade de São Paulo e no município de Limeira, no interior do Estado.

Publicidade

De acordo com a polícia, os envolvidos montaram um grande esquema de lavagem de dinheiro com empresas de fachadas. O dinheiro tinha como destino principal a compra de criptomoedas.

Segundo a PF, as contas dessas empresas, que foram abertas em nomes de laranjas, foram usadas por traficantes de drogas presos em outubro de 2018 em outra operação da PF, chamada de Planum.

Os investigados podem ser indiciados por lavagem de dinheiro, com pena de três a dez anos e multa, e crime de constituição de organização criminosa, com penas que variam de três a oito anos e multa.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Há 2 anos, LUNA caia para zero; relembre um dos dias mais caóticos do mercado cripto

Há 2 anos, LUNA caia para zero; relembre um dos dias mais caóticos do mercado cripto

Em maio de 2022, o ecossistema da Terra (LUNA) entrou em uma “espiral da morte” que levou uma das criptomoedas consideradas mais promissoras daquele ano a cair para zero em 24 horas
dupla de homens sendo presa

Irmãos são presos por roubo de R$ 130 milhões em ataque de 12 segundos na rede Ethereum

O procurador americano Damian Williams disse que “este suposto esquema era novo e nunca havia sido acusado antes”
Moeda de Ethereum na frente de gráfico

Manhã Cripto: Ethereum sobe 2,6% e flerta com US$ 4 mil; PEPE bate novo recorde

Com ganhos de 10% no dia, PEPE foi capaz de atingir um novo preço recorde de US$ 0.000017
Imagem da matéria: Ex-diretor da FTX deve pegar até 7 anos de prisão, pedem promotores dos EUA

Ex-diretor da FTX deve pegar até 7 anos de prisão, pedem promotores dos EUA

Ryan Salame foi um dos executivos da FTX que coordenaram a doação de milhões para campanhas políticas usando dinheiro dos clientes