Imagem da matéria: Petro venezuelano será emitido em Ethereum e fará Fork no código da Decred

Segundo o projeto do Petro (PTR), a moeda digital do governo venezuelano será emitida por meio de uma ICO, utilizando tokens e Smart Contracts da Ethereum para facilitar a sua implementação. Quando a fase de arrecadação terminar, os tokens serão migrados para uma Blockchain própria e gerenciada pelo Estado venezuelano, que será criada com um fork da rede da Decred.

O documento, que detalha todas as especificações do projeto, aponta que o Petro será inicialmente um Token ERC-20 da Ethereum, mas que logo migrará para uma Blockchain fork da Decred, com futura integração à CounterParty.

Publicidade

De acordo com o whitepaper, a rede da Petro será criada para dar mais flexibilidade à criptomoeda e poder governa-la da melhor forma: ”Uma rede particular para o Petro quebra as barreiras de implementação e uso em comparação aos os tokens ERC20, permitindo a segurança das transações por meio de um sistema autorizado”.

O texto também sugere que a rede Petro será assegurada e alcançará consenso com um mecanismo de Proof of Stake (POS) com nodos oficiais, muito parecido com o sistema da Lisk, sem o Proof of Work (POW) usado no Bitcoin, ou seja, sem mineração em computadores.

O whitepaper ainda fala que o ” A rede da Petro será desenvolvida a partir do código fonte de uma moeda preexistente com variações pontuais para fazer desnecessária a mineração POW e suas recompensas, reduzir as taxas por transação e aumentar a velocidade de confirmação. A equipe realizará um fork com base no código da Decred para iniciar a rede do Petro, já que a rede da Decred permite estabelecer políticas de governança em cadeia e possui um design inteligente e bem feito, sendo uma implementação lima do protocolo de cadeia de blocos.

A rede do Petro ainda será capaz de criar Tokens e contratos inteligentes baseada em uma solução já existente, chamada Coounterparty, que permitirá a criação de tokens para ”aproveitar a criatividade venezuelana e desenvolver novos modelos locais ou de países emergentes que queiram participar desse desenvolvimento tecnológico revolucionário”.

Publicidade

O lançamento da rede da Petro baseada no código da Decred está marcado para Abril desse ano e a integração com a CounterParty será no mês de Julho.

 

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem por detrás de uma pessoa algemada

Interpol prende hacker que roubou R$ 260 mil da Polícia de Buenos Aires e lavou fundos com USDT

Liderado por um venezuelano, preso nos EUA, o grupo roubou R$ 8 milhões de entidades argentinas através de um malware de origem brasileira
pilhas de moedas douradas à frente da bandeira da Colômbia

Maior banco da Colômbia lança corretora de criptomoedas

A plataforma Wenia visa atrair pelo menos 60.000 clientes em seu primeiro ano de operação
Moeda prateada da Chainlink com reflexo em um fundo roxo

Chainlink sobe 18% ao lançar projeto piloto em Wall Street com JP Morgan, BNY Mellon e DTCC

A DTCC anunciou que acaba de concluir um projeto piloto de tokenização com gigantes de Wall Street, como JP Morgan e BNY Mellon, aproveitando o CCIP da Chainlink
Imagem da matéria: Maior plataforma P2P de Monero fecha após 7 anos de operação

Maior plataforma P2P de Monero fecha após 7 anos de operação

A plataforma peer-to-peer focada na moeda de privacidade Monero (XMR) citou “uma combinação de fatores internos e externos” para sua decisão de fechar as portas