Imagem da matéria: Parlamento Europeu quer identificação de usuários até em carteiras privadas de criptomoedas
Foto: Shutterstock

Na quinta-feira (31), o Parlamento Europeu votou para impor novas medidas regulatórias que, basicamente, proíbem transações anônimas com criptomoedas.

A votação havia sido noticiada primeiro pela CoinDesk e, logo após, foi confirmada ao Decrypt por Valeria Cusseddu, consultora do Comitê de Assuntos Econômicos e Monetários (ou ECON, na sigla em inglês).

Publicidade

Os comitês ECON e de Liberdades Civis, Justiça e Assuntos Nacionais (ou LIBE) votaram para aprovar uma proposta que exige que fornecedores de serviços com criptomoedas, como corretoras, coletem informações pessoalmente identificáveis de pessoas que negociarem mais de € 1 mil usando as chamadas carteiras não custodiais de criptomoedas.

Apesar da votação acirrada em diversas emendas, o rascunho final foi aprovado pela maioria.

Para que a legislação seja oficialmente adotada, precisa passar por reuniões tripartidas entre o Parlamento Europeu, a Comissão Europeia e o Conselho Europeu. No entanto, espera-se que esse processo não inviabilize a legislação.

Carteiras não custodiais ou autocustodiais não dependem de terceiros. Exemplos incluem MetaMask, WalletConnect ou carteiras de hardware, como Ledger e Trezor.

A votação vem após discussões entre legisladores e a indústria cripto sobre a possibilidade de tais carteiras estarem sujeitas a requisitos de “conheça seu cliente” (ou KYC), exigindo que empresas fornecessem informações pessoais sobre usuários de carteira.

Geralmente, a indústria é contra essa medida, pois usuários de carteiras não custodiais não são necessariamente “clientes”.

Brian Armstrong, CEO da corretora cripto americana Coinbase, tuitou que a proposta é “anti-inovação, antiprivacidade e antiaplicação da lei”, argumentando que considera criptomoedas como um padrão diferente às moedas fiduciárias.

Publicidade

Armstrong tuitou:

Isso significa que, antes de você poder enviar ou receber cripto de uma carteira autocustodial, a Coinbase será obrigada a coletar, armazenar e verificar informações sobre a outra parte, que não é nossa cliente, antes de a transferência ser aprovada.

Além disso, toda vez em que você receber mil euros ou mais em cripto de uma carteira autocustodial, a Coinbase será obrigada a te denunciar às autoridades. Isso se aplica mesmo se não houver indícios de atividade suspeita.

“Imagine se a União Europeia exigisse que seu banco te denunciasse toda vez em que você pagasse seu aluguel apenas porque a transação foi superior a mil euros”, ironizou.

Nem todos os parlamentaristas estavam a favor da implementação. Markus Ferber, membro do Partido Popular Europeu (ou PPE), insinuou que era o equivalente a uma proibição a carteiras privadas (não é).

Publicidade

Paul Tang, membro do Parlamento Europeu que lidera o Comitê de Assuntos Fiscais, respondeu que tais preocupações eram exageradas.

“Na votação de hoje, não iremos banir nada”, tuitou. “Em vez disso, vamos obrigar a verificação para evitar crime e corrupção por meio de carteiras não custodiais.”

*Traduzido por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Michaël van de Poppe em vídeo no Youtube

“É hora de investir em altcoins como Ethereum além do Bitcoin”, diz Michaël van de Poppe

Citando o Ethereum com uma das opções, o analista diz que o mercado de altcoins já passou por correção e que a tendência agora é de alta
Imagem da matéria: Caitlyn Jenner promove sua própria memecoin, mas comunidade suspeita de hackers

Caitlyn Jenner promove sua própria memecoin, mas comunidade suspeita de hackers

Memecoin de Caitlyn Jenner já vale quase US$ 30 milhões, mas o mercado ainda tem dúvidas sobre a veracidade do ativo
Moeda de Ethereum na frente de gráfico

Ethereum pode surpreender positivamente nos próximos meses, diz Coinbase

Subindo menos que outras criptomoedas em 2024, o Ethereum pode se recuperar e superar seus pares nos próximos meses, avalia a Coinbase
Imagem da matéria: El Salvador já minerou R$ 154 milhões em Bitcoin usando energia de vulcão

El Salvador já minerou R$ 154 milhões em Bitcoin usando energia de vulcão

A mineração de Bitcoin é feita com energia do vulcão Tecapa, usando 300 processadores voltados para essa atividade