Imagem da matéria: País asiático que proibia criptomoedas libera empresas para comércio e mineração de bitcoin
Foto: Shutterstock

O governo do Laos, país do sudeste asiático onde era proibido o comércio de bitcoin desde 2018, acaba de autorizar seis empresas para atuarem tanto na mineração quanto no comércio de criptomoedas do país. Segundo informações do site local The Laotian Times, o relaxamento é parte de um teste-piloto experimental de moeda digital que será conduzido pelo Estado.

De acordo com site, um aviso sobre o projeto foi emitido pelo Gabinete do Primeiro-Ministro do país, e as empresas poderão realizar suas atividades tanto no comércio quanto na mineração de criptomoedas como Bitcoin e Ethereum.

Publicidade

Com esta movimentação, o governo vai de encontro com o último comentário do Banco do Laos, o banco central do país. No mês passado, a entidade emitiu alerta sobre o uso de ativos não regulamentados, como o bitcoin.

Empresas foram selecionadas

Dentre as entidades selecionadas estão quatro construtoras — Phongsubthavy Road & Bridge Construction Co.; Sisaket Construction Company Limited;  Boupha Road-Bridge Design Survey Co. Ltd.; e Phousy Group — ; a empresa de Tecnologia e Informação, Wap Data Technology Laos; e uma entidade bancária, a Joint Development Bank.

Enquanto isso, diz o Laotian, vários órgãos do governo responsáveis em legislar sobre o setor elaboram regulamentos que que vão reger as atividades relacionadas ao mercado de criptomoedas e mineração. Dentre os órgãos estão os ministérios da Economia, Comunicação, Finanças, Planejamento, Minas e Energia, Justiça, além da empresa estatal de energia.

Ainda segundo o site, estas entidades vão se reunir com o primeiro-ministro nos dias 16 a 17 de setembro para discutir os resultados de pesquisas e consultas feitas anteriormente pelo governo a todas as pastas citadas.

Publicidade

País quer ser a “bateria” da Ásia

Laos é um dos dez países integrantes da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN). Seu território é envolto por Tailândia, Myanmar, Vietnan e Camboja, mas ainda assim faz fronteira com a China, ao sul da província de Yunnan. De acordo com o Banco Mundial, o país é um dos menores e mais pobres países da região asiática, com um Produto Interno Bruto (PIB) per capita de US$ 2.630 em 2020.

Ao comentar o assunto, o Coindesk disse que o êxodo dos mineradores de criptomoedas da China criou oportunidades no setor em outros países da Ásia. Outro ponto, segundo  o site, é que Laos está tentando se tornar a “bateria” do sudeste asiático, com a construção de dezenas de hidrelétricas no rio Mekong.

A energia hidrelétrica barata em grande parte pavimentou o caminho da China para se tornar o maior minerador de bitcoin do mundo antes da repressão do governo chinês, concluiu a reportagem.

VOCÊ PODE GOSTAR
Policial algemando suspeito durante a noite

Suspeito de roubar quase R$ 10 milhões da Pump.fun é preso em Londres

Jarett Dunn, ex-funcionário da plataforma Pump.fun, foi preso na Inglaterra acusado de golpe de quase R$ 10 milhões
Imagem da matéria: Entendendo as tecnologias por trás da tokenização de ativos | Opinião

Entendendo as tecnologias por trás da tokenização de ativos | Opinião

Apesar de chamara cada vez mais atenção, muitas pessoas ainda não sabem o que é a tokenização de ativos e como ela funciona
Imagem da matéria: Plume, blockchain de tokenização de RWA, capta US$ 10 milhões em rodada de investimento

Plume, blockchain de tokenização de RWA, capta US$ 10 milhões em rodada de investimento

Plume hospeda mais de 80 projetos RWA, abrangendo itens colecionáveis, ativos alternativos, sintéticos, bens de luxo, imóveis, DeFi e muito mais
Presidente do Banco Central Roberto Campos Neto falando diante de um microfone

Presidente do Banco Central se reúne com MB um dia após anunciar agenda da regulação do mercado cripto

O Banco Central divulgou ontem os próximos passos para a regulação do setor cripto e espera concluir o processo até o final de 2024