Imagem da matéria: P2P de bitcoin foi preso após negociar com agente disfarçado da Receita dos EUA
Foto: Shutterstock

Um P2P de Ontário, no Canadá, confessou a autoridades americanas ter negociado cerca de US$ 13 milhões em bitcoin sem recolher os impostos sobre as taxas cobradas por ele nas transações. De acordo com o Departamento de Justiça dos EUA na sexta-feira (29), Hugo Sergio Mejia, de 49 anos, pode pegar até 24 anos de prisão por lavagem de dinheiro.

Segundo a publicação, Mejia, que atuava a partir do condado de San Bernardino, na Califórnia, usou várias empresas-laranjas para fornecer o serviço tanto para dentro como fora do país, o que vai de encontro às normas da FinCen (Financial Crimes Enforcement Network), entidade do Tesouro americano que controla transações financeiras a fim de combater a lavagem de dinheiro.

Publicidade

“Mejia anunciava seu negócio online e era encaminhado aos clientes de boca em boca, comunicando-se com eles por meio de serviços de mensagens criptografadas e os encontrando pessoalmente em cafeterias”, disse o DoJ sobre a confissão do acusado. As empresas usadas para mascarar a atividade, disse o órgão, foram a Worldwide Secure Communications LLC; a World Secure Data e a The HODL Group LLC. 

P2P negociou com agente disfarçado

O acusado revelou detalhes que agravaram sua situação, como numa transação em março do ano passado com um agente a serviço da FinCen. Naquele mês, Mejia se encontrou com ele numa cafeteria em Irvine, também da Califórnia, e negociou 14.273 Bitcoin por US$ 82.150 em dinheiro mais taxas. Na ocasião, um bitcoin valia cerca de US$ 5 mil.

Segundo o DoJ, Mejia também revelou que o seu principal cliente era um comprador de metanfetamina na Austrália que comprava a droga ilícita a cada quatro a seis semanas e a vendia por cinco vezes mais do que o preço médio nos Estados Unidos.

Assim que se declarar culpado das acusações, Mejia enfrentará uma sentença máxima legal de 25 anos de prisão federal, disse o órgão. Ele também concordou em entregar todos os ativos derivados da conduta ilegal, incluindo US$ 233.987 em dinheiro apreendido, moedas e barras de prata e aproximadamente US$ 95.587 e várias criptomoedas.

Publicidade

A investigação foi conduzida pela Receita Federal dos EUA (IRS) com apoio do serviço de unidade de crimes cibernéticos e da HSI (Homeland Security Investigation, que recebeu assistência do Departamento de Polícia de Costa Mesa, também cidade californiana.

VOCÊ PODE GOSTAR
Moedas de bitcoin sob mesa escura com sigal ETF

ETFs de Bitcoin à vista já controlam mais de 1 milhão de BTC

Mais da metade dos US$ 70,5 bilhões em fundos está praticamente dividida entre Grayscale e BlackRock
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin e Ethereum abrem em queda e BlackRock supera Grayscale em número de BTC sob custódia

Manhã Cripto: Bitcoin e Ethereum abrem em queda e BlackRock supera Grayscale em número de BTC sob custódia

ETF de Bitcoin da BlackRock agora detém mais BTC do que sua rival, a tradicional Grayscale Bitcoin Trust
bitcoin brilhando na mão

Semler Scientific investe US$ 40 milhões em Bitcoin e ações disparam 25%

As ações da Semler Scientific subiram 25% após a entidade anunciar a adoção do Bitcoin como principal ativo de reserva do tesouro
Imagem da matéria: Bitcoin entra em onda de alta e atinge o seu maior preço desde o halving

Bitcoin entra em onda de alta e atinge o seu maior preço desde o halving

Dados do CoinGecko mostram que o Bitcoin subiu cerca de 3% no último dia e no período de uma semana valorizou em 9%