Imagem da matéria: Os 15 artistas de NFTs mais inovadores de 2021
Parte da coleção EVERYDAYS: THE FIRST 5000 DAYS de Beeple (Imagem: Beeple)

Tokens não fungíveis (NFT) existem há anos. No entanto, em 2021, esse mercado se popularizou à medida que as vendas de obras de arte em forma de NFT viraram manchetes ao redor do mundo e a indústria da arte teve de lidar com o surgimento repentino de um novo movimento artístico.

À frente dessa revolução NFT estão os artistas: os pioneiros que lideraram o hype dos NFTs e os inovadores que experimentaram essa nova tecnologia, ultrapassando os limites do que significa a criação de arte como ativos desenvolvidos em blockchain.

Publicidade

Confira abaixo os artistas de NFTs mais inovadores de 2021.

All Seeing Seneca

Dois NFTs do principal artista do BAYC, Seneca, parte de uma icônica coleção de diversos artistas no OpenSea.

All Seeing Seneca é o grande artista que ilustrou o Bored Ape Yacht Club (BAYC) do Yuga Labs, uma coleção de dez mil imagens de perfil (PFP) de primadas com um ar de desinteresse, em que cada um foi aleatoriamente gerado com um conjunto de características atribuídas.

Desde seu lançamento, os Bored Apes se tornaram uma das coleções PFP mais populares, em grande parte graças aos designs brilhantes e inspirados em desenhos de Seneca, que deram muita personalidade aos Apes.

Foram adquiridos por nomes como Jimmy Fallon e Post Malone, conforme Apes individuais foram negociados por milhões de dólares.

Desde a criação dos Bored Apes, Seneca decidiu lançar um novo conjunto de NFTs no Art Basel Miami. Fazendo uma breve referência à série BAYC, a nova série está no Internet Computer (ICP), a blockchain de contratos inteligentes da Dfinity, permitindo arquivos de tamanho maior.

É um exemplo de como artistas estão começando a testar plataformas NFT além do Ethereum.

Justin Aversano

Justin Aversano
“Twin Flames #83, Bahareh & Farzaneh”, por Justin Aversano.

Houve uma alta no interesse por fotografia nos últimos meses e Justin Aversano é um pioneiro nesse subgênero de NFTs.

Publicidade

Snoop Dogg e Gary Vaynerchuk estão entre os compradores de artes de sua coleção “Twin Flames”, que apresenta fotos cativantes de 100 conjuntos de gêmeos; uma obra dessa coleção foi vendida por US$ 1,1 milhão em um leilão da casa Christie’s em outubro.

Aversano também lançou Quantum.Art, uma plataforma NFT para fotógrafos.

“A fotografia é uma linguagem visual que consistentemente usamos on-line e off-line. É difícil não a considerar como a próxima tendência”, disse Aversano ao Decrypt. “2022 será o ano dos NFTs de fotografia”.

Beeple

Beeple
Parte da coleção “EVERYDAYS: THE FIRST 5000 DAYS”, por Beeple.

O artista digital americano “Beeple” Winklemann entrou para o mundo dos NFTs em outubro de 2020 após ouvir falar sobre quanto seus colegas ganharam com esses ativos. “Eu fiquei: ‘Caramba. É uma grana bastante decente’”, disse ele ao Decrypt.

A “grana” acabou sendo o eufemismo do século. Em março, Beeple vendeu um NFT chamado “EVERYDAYS: THE FIRST 5000 DAYS”, uma coleção de suas obras de arte dos últimos 13 anos, por recordes US$ 69,3 milhões em um leilão da Christie’s.

Publicidade

A venda instantaneamente o tornou em um dos artistas vivos mais valiosos do mundo, fazendo ele (e seus NFTs) altamente conhecidos no mundo cripto e de arte.

Artigos de opinião foram escritos. Críticos de arte opinaram. O artista David Hockey considerou o trabalho dele como “coisas bobinhas”. Beeple rebateu, afirmando que estava apenas “em busca de recomendações de impressora”.

O artista não está apenas aproveitando sua fortuna. Em entrevista ao Decrypt em 2020, ele se entusiasmou com as possibilidades dos NFTs: “Quando você considera a programabilidade dessas coisas, é algo impressionante. Eu tenho anos de ideias sobre isso”.

Graças à sua nova fortuna, Beeple está livre para experimentar – e ele o fez, apresentando “HUMAN ONE”, sua primeira arte física, em novembro de 2021. A “escultura cinética em vídeo” foi, é claro, vendida junto com um NFT, lucrando US$ 29 milhões em um leilão na Christie’s.

Uma coisa é certa: a arte precisa se acostumar com o fato de que Beeple não vai parar por aí.

Publicidade

Dmitri Cherniak

Dmitri Cherniak
“The Ringers”, por Dmitri Cherniak.

Cherniak é o artista por trás de “The Ringers”, uma coleção de mil NFTs de arte generativa. Assim como “Fidenza”, por Tyler Hobbs, a coleção The Ringers é armazenada no Ethereum via Art Blocks.

Ele usou p5js, uma biblioteca javascript (de linguagem computacional) para criar essas imagens instantaneamente reconhecíveis de estacas e cordas.

“Não sou um artista cripto. Sou apenas um artista comum”, tuitou ele em fevereiro.

“Usei uma blockchain porque me ajuda a atingir minha visão artística em torno da automação da estética. Por outro lado, me possibilita experimentar minha arte na forma que eu pretendo como um artista e, na minha opinião, melhora a minha arte.”

A coleção é bem procurada. O atual preço mínimo de um NFT da coleção está em torno de 35 ETH (US$ 138 mil).

Clon

Clon
Um NFT Cool Cat.

A internet adora gatos. Então, não surpreende que o cartunista Clon fez sucesso com o projeto NFT Cool Cats, uma coleção de 9.999 felinos gerados aleatoriamente e renderizados em cores pastéis divertidas e convidativas.

Durante a alta dos NFTs em agosto, a revista TIME firmou uma parceria com Cool Cats para lançar colecionáveis colaborativos de edição limitada, impulsionando o projeto.

Assim como muitos outros projetos PFP famosos, é adoção pela comunidade é seu tudo ou nada. Os Cool Cats ganharam todas até agora. A coleção agora possui um preço mínimo de 6,73 ETH (US$ 25 mil).

Publicidade

FEWOCiOUS

FEWOCiOUS

Victor Langlois ou “FEWOCiOUS”, 18, é o artista mais novo desta lista. Mas sua idade não é o que o faz se destacar. É o fato de que sua arte surrealista é profundamente pessoal. Ele contou ao Decrypt que buscou refúgio na arte digital, pois não podia fazer pinturas em seu quarto.

Em 2021, FEWOCiOUS tornou sua história em um NFT chamado “Hello, i’m Victor (FEWOCiOUS) and This Is My Life”, que consiste de cinco artes digitais que representam seus anos formativos como um jovem artista transgênero dos 14 aos 18 anos de idade.

O NFT foi vendido por US$ 2,1 milhões na Christie’s em junho.

“Minha avó disse: ‘[NFTs] podem sumir amanhã [e] todo mundo vai esquecer de você’”, disse ele ao Decrypt. Bom, isso não vai acontecer tão cedo (se é que vai acontecer algum dia)…

Gremplin

Gremplin
CrypToadz, por Gremplin.

Em meio ao excesso de colecionáveis NFT e PFPs lançados em 2021, CrypToadz, de Gremplin, é um dos poucos que ganharam sucesso.

Apesar de Gremplin ter feito sua estreia apenas esse ano, rapidamente se tornou tanto um promissor artista NFT como líder da comunidade.

Ele criou uma mitologia colorida em torno dos CrypToadz em que ele se retrata como o maldoso rei Evil King Gremplin, do qual 6.969 CrypToadz tentam escapar.

Ele colocou na mistura uma porção generosa de referências estéticas pixeladas e de memes, principalmente porque o tema de sapos é prevalente na indústria cripto.

Até agora, execução do projeto por Gremplin é uma receita do sucesso. O volume negociado no OpenSea ultrapassou 51 mil ETH (US$ 207 mil).

Hackatao

Hackatao
Um Podmork, por Hackatao.

Hackatao é o pseudônimo da dupla italiana Sergio Scalet e Nadia Squarci.

Residentes de uma pequena vila montanhosa, criaram um conjunto de personagens totêmicos chamado Podmorks, bem como uma ampla variedade de obras de arte estáticas e animadas que abordam problemas societários.

Os dois são alguns dos mais antigos artistas no setor de NFTs — desde quando ainda eram chamados de “arte cripto”.

“Nosso processo artístico comum costumava demorar muito tempo mas, com a tecnologia blockchain e sua velocidade, a necessidade criativa de pensar em algo e vê-lo imediatamente foi atendida”, disse Scalet ao Decrypt.

Damien Hirst

Damien Hirst
Impressões físicas de “The Currency”, por Damien Hirst.

Embora grande parte da instituição artística ter tido uma atitude indiferente a NFTs, um artista os acolheu, produzindo obras que experimentam com os limites do meio.

Parte dos Jovens Artistas Britânicos (YAB) da década de 1990, Damien Hirst lançou sua série de NFTs “The Currency” em julho.

Os NFTs de Hirst têm um diferencial: o dono precisa escolher entre manter o NFT ou “queimá-lo” em troca de uma cópia física da arte. Se o dono escolher manter o NFT, a cópia física será destruída em 27 de julho de 2022.

É uma característica audaciosa do artista, forçando o dono a se confrontar com a questão sobre o valor e a escassez no nascente ecossistema de artes digitais.

É melhor pendurar uma arte física de Hirst ou a versão em NFT — principalmente porque a imagem digital pode livremente copiada e compartilhada?

E se a maioria das pessoas escolher queimar os NFTs para favorecer a arte física, isso fará com que os recém-escassos NFTs valorizem?

Quatro meses depois, Hirst surpreendeu os holders de The Currency ao distribuir gratuitamente “Great Expectations”, sua coleção mais recente baseada no álbum “Certified Lover Boy” do rapper Drake, gerando outro dilema para holders da obra de arte: se você escolher decidir o NFT e manter a arte física, você corre o risco de perder futuras distribuições de Hirst.

Tyler Hobbs

Tyler Hobbs
“Fidenza #313”, por Tyler Hobbs.

Tyler Hobbs é um artista visual que usa algoritmos para criar arte, que ele chama de “estética computacional”.

Ele é mais conhecido como o criador de “Fidenza”, uma coleção de 999 NFTs baseada em um algoritmo que gera padrões únicos durante a emissão. Fidenzas fazem parte da Art Blocks, uma plataforma Ethereum para NFTs generativos.

O Fidenza nº 313, “The Tulip”, foi vendido por 1 mil ETH (ou US$ 3,3 milhões na época da aquisição), gerando um enorme lucro para o vendedor, que em junho emitiu a arte por 0,58 ETH, cerca de US$ 1,4 mil.

“Um conselho para artistas é tentar fazer uma obra que só você poderia ter feito que, de certa forma, significa que precisa usar todas as habilidades que você tem à sua disposição para criar a obra de arte”, disse ele ao Decrypt.

Mad Dog Jones

Mad Dog Jones
“REPLICATOR”, por Mad Dog Jones.

Nem todos os artistas interagem com os contratos inteligentes que servem de alicerce para os NFTs tão intensamente quanto Micah Bowbak, ou “Mad Dog Jones”. Em vez de tratá-los como um simples meio, a blockchain se torna uma coartista em sua arte.

REPLICATOR”, de Mad Dog Jones, produz até sete gerações de “impressões” variantes de NFTs, que podem ser revendidas. E esse NFT autorreplicável rapidamente encontrou um comprador em abril, sendo vendido por US$ 4,1 milhões.

Conforme o setor de NFTs amadurece, espere por cada vez mais obras de arte que usam seus contratos inteligentes de formas inovadoras ou façam um pronunciamento artístico.

Yam Karkai

Yam Karkai
“World of Women”, por Yam Karkai.

Mesmo se ainda estivermos no início da febre dos NFTs, o setor parece ser predominantemente masculino por enquanto, desde os artistas que mais fazem sucesso nos mercados aos influenciadores mais conhecidos.

Felizmente, algumas mulheres estão trabalhando para tornar o setor mais acolhedor a todos.

Sem dúvidas, “World of Women” é o mais conhecido projeto PFP de NFTs criado por mulheres e o estilo ousado e distinto da artista Yam Karkai ajudou a plataforma a se destacar entre as vibes masculinas dos Apes e Punks.

A arte e o sucesso de Karkai inspiraram uma variedade de outros projetos, além de celebridades, como Reese Witherspoon e Gary Vaynerchuk serem fãs do World of Women. Agora, Karkai está colaborando com a Universal Music.

Pak

Pak

O anônimo artista Pak esculpiu um nicho como um mestre artesão de estruturas geométricas monocromáticas, minimalistas e tranquilizadoras.

Pak foi um dos primeiros artistas a provar que é possível ter sucesso com NFTs, vendendo US$ 1 milhão em artes digitais em dezembro de 2020, mas esse foi apenas o começo.

Em abril, Pak vendeu “The Fungible” por US$ 17 milhões na Sotheby’s. “Não é surpresa, pois o fiz do meu jeito, mas estou empolgado em ver [tamanha] recepção”, disse Pak ao Decrypt.

No início de dezembro, seu trabalho experimental “Merge” se tornou o projeto mais lucrativo na história do mercado Nifty Gateway, ultrapassando US$ 70 milhões em vendas nas primeiras horas de lançamento.

Pplpleasr

Pplpleasr
Pplpleasr criou uma capa NFT para a revista Fortune.

Emily Yang ou “pplpleasr” se tornou uma artista de efeitos visuais em filmes como “Batman vs. Superman: A Origem da Justiça” e “Mulher-Maravilha”.

Desde então, ela surgiu como uma das principais artistas no setor de arte cripto, produzindo obras que experimentam com contratos inteligentes que são a base dos NFTs e trabalhando junto com uma DAO criada para colecionar seu trabalho.

Pplpleasr está amplamente envolvida com o setor de finanças descentralizadas (DeFi), produzindo anúncios caprichosos para grandes protocolos DeFi, como Pickle FinanceHarvest FinanceYearn Finance e SushiSwap.

Em abril, ela vendeu um anúncio da Uniswap por US$ 525 mil.

O comprador foi a organização autônoma descentralizada (DAO) chamada PleasrDAO, que foi inicialmente criada para unir recursos e comprar suas obras de arte, mas agora continua operando como uma DAO de investimento, contando com pplpleasr como membro honorário.

Em agosto, pplpleasr foi convidada a ilustrar a capa da edição sobre DeFi da revista Fortune.

É claro que também foi vendida como uma série de NFTs, mas com uma característica especial: o contrato inteligente para os NFTs foi programado de forma que, se personalidades cripto específicas oferecem seus lances, a arte iria mudar.

Em entrevista à Fortune na época da venda, pplpleasr disse: “Meu objetivo de vender NFTs como minha profissão mudou para como eu posso usar NFTs para inovar e pavimentar novos caminhos”.

XCOPY

XCOPY

XCOPY mistura temas obscuros, como morte, distopia e apatia com imaginários cintilantes em animações similares a desenhos. Ele possui uma coleção de mais de 100 obras, principalmente no mercado NFT SuperRare, onde ele está ativo desde sua criação.

Grandes colecionadores de NFTs, principalmente indiferentes a imaginários cintilantes, correram para adquirir suas edições inéditas.

Em setembro, Snoop Dogg, sob seu pseudônimo de colecionador NFT “Cozomo de’ Medici” adquiriu “Some Asshole” de XCOPY por 1, mil ETH, ou US$ 3,9 milhões na época, no SuperRare.

*Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Presidente do Banco Central Roberto Campos Neto falando diante de um microfone

Presidente do Banco Central se reúne com MB um dia após anunciar agenda da regulação do mercado cripto

O Banco Central divulgou ontem os próximos passos para a regulação do setor cripto e espera concluir o processo até o final de 2024
Imagem da matéria: O poder dos RWA: executivo explica por que faz sentido tokenizar ativos do mundo real

O poder dos RWA: executivo explica por que faz sentido tokenizar ativos do mundo real

Fabrício Tota, diretor do MB, discutiu no Ethereum Rio como empresas podem tirar o máximo proveito da tecnologia blockchain através da tokenização
Moedas douradas à frente de bandeira do Brasil

Anbima propõe novas regras para fundos de criptomoedas e abre consulta pública

Entre outras regras, Anbima propõe uma padronização na precificação das criptomoedas dos fundos desse tipo; consulta vai até 20 de junho
solana, criptomoedas,

Este evento vai fazer a Solana atingir US$ 400 este ano, projeta analista

Para analista da Merkle tree, a Solana pode disparar 170% este ano puxado por memecoins ligadas aos candidatos na eleição dos Estados Unidos