Imagem da matéria: O que é Farcaster? a nova rede social febre do setor cripto
Fonte: Looker Studio/Shutterstock

Foram 10 dias loucos para a startup descentralizada de rede social Farcaster, que catapultou da relativa obscuridade para a queridinha da indústria de criptomoedas na última semana, após lançar um novo recurso para desenvolvedores independentes.

Da noite para o dia, a atividade na rede aumentou exponencialmente, ampliando dramaticamente o seu alcance. Esse crescimento pegou muitos profissionais do setor de surpresa – incluindo a liderança da Farcaster.

Publicidade

“Achamos que seria popular”, disse o cofundador da Farcaster, Dan Romero, ao Decrypt sobre o novo e popular recurso Frames do protocolo. “Mas não pensávamos que seria tão popular”.

Os Frames, lançados com pouco alarde por Romero e sua equipe em 26 de janeiro, permitem que usuários de aplicativos da rede Farcaster executem inúmeras funções em feeds de redes sociais – como jogar, fazer compras online e cunhar NFTs – sem precisar sair do aplicativo para um terceiro.

A Farcaster, que foi fundada por Romero e seu colega da Coinbase, Varun Srinivasan, em 2020, há muito tempo atende principalmente a nerds de tecnologia hardcore e desenvolvedores experientes em criptomoedas. Embora alguns considerassem esse apelo de nicho um risco, Romero agora acredita que foi fundamental para o sucesso atual da empresa.

“Na verdade, isso foi uma crítica à Farcaster até duas semanas atrás: é muito nerd, [há] muitos desenvolvedores”, disse Romero. “Bem, acontece que quando você lança um primitivo simples, dá [aos usuários] acesso sem permissão à distribuição, e as pessoas podem realmente codificar, você obtém alguns resultados surpreendentes”.

Publicidade

A ressonância inesperada dos Frames, não apenas entre os desenvolvedores, mas também com o público em geral, alterou, por si só, a estratégia de desenvolvimento de negócios da Farcaster. Romero costumava pensar que grandes bases de usuários atraíam desenvolvedores. Agora ele está começando a ver as coisas ao contrário.

“Talvez dois meses atrás, tínhamos a impressão de que precisávamos aumentar o número de usuários ativos diariamente para atrair desenvolvedores”, disse Romero. “Acho que o que mudou com os Frames é que encontramos algo que permite aos desenvolvedores fazer com que a distribuição encontre seus 1.000 ou 10.000 usuários iniciais, e isso também está impulsionando o crescimento do protocolo.”

O futuro dos Frames

O que vem por aí para os Frames? Romero quer redobrar a aposta em trazer o recurso ainda mais on-line. Atualmente, alguns Frames permitem a criação de NFTs e outras atividades baseadas em blockchain, enquanto outros envolvem ações fora da rede, como solicitar cookies ou assinar boletins informativos. Romero diz que, eventualmente, deseja tornar todas as tarefas dos Frames completamente cripto-nativas.

Porém, o que é crucial é que o fundador acredita que é imperativo manter os Frames simples. O recurso atualmente consiste em uma imagem, quatro botões e – há alguns dias – uma caixa para entrada de texto.

Publicidade

Os desenvolvedores independentes aproveitaram esses elementos para criar uma infinidade de inovações; por exemplo, um novo Frame gera arte alimentada por IA com base em um prompt escrito e cunha essa imagem como um NFT – tudo dentro do feed de rede social de um usuário.

Romero acredita que a flexibilidade limitada tem sido fundamental para a criação de tais experiências inovadoras.

“Restrições geram criatividade”, disse ele. “Acho que criar muita complexidade torna tudo menos intuitivo para os usuários.”

Farcaster, que foi construída na superchain Optimism, atualmente suporta apenas atividades on-chain compatíveis com Ethereum. Na próxima semana, porém, o protocolo ampliará o suporte para a rede Solana.

Segundo Romero, o objetivo final da Farcaster é atrair um bilhão de usuários diários. Para atingir esse objetivo elevado, diz ele, a empresa continuará a atender os desenvolvedores e a segui-los em qualquer rede que eles acreditem que irá melhorar a Farcaster.

“Se estivermos focados em integrar o próximo bilhão, você apenas dará liberdade aos desenvolvedores – para escolher qual carteira, em qual cadeia e como eles querem fazer isso”, disse ele.

*Traduzido com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
simbolo do dolar formado em numeros

Faculdade de Direito da USP recebe evento da CVM sobre democratização dos mercados de capitais

Centro de Regulação e Inovação Aplicada (CRIA) da CVM vai a “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil” com transmissão ao vivo no Youtube
Celular com o logo da CVM e notebook aberto no site da Comissãod e Valores Mobiliários

CVM reconhece ativo de blockchain como token de pagamento

Dynasty Global AG recebeu na última semana a classificação do D¥N como um token de pagamento pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).
Ilustração de bandeira do Brasil dentro moeda de Bitcoin

Novo estudo do LAPIN apresenta melhores práticas para regulação de criptomoedas no Brasil

White paper feito pelo LAPIN com apoio da Ripple traz diversos pontos e dados para ajudar na regulação do setor de criptomoedas brasileiro
Imagem da matéria: Como um trader cripto ganhou mais de US$ 100 mil com apenas dois tuítes

Como um trader cripto ganhou mais de US$ 100 mil com apenas dois tuítes

“Somente em criptomoeda.” A memecoin Pacmoon recompensou um usuário com um grande airdrop – que foi maior do que o esperado graças ao erro de um amigo