Smartphone mostra logotipo do Youtube de frente a fundo desfocado e colorido
Foto: Shutterstock

Depois de atuar como Diretor de Produtos do YouTube por mais de sete anos, Neal Mohan foi nomeado na semana passada para liderar a plataforma de streaming do Google depois que a ex-CEO, Susan Wojcicki, disse que deixaria o cargo. Sua ascensão é um bom presságio para os fãs e defensores das tecnologias Web3.

Wojcicki anunciou sua renúncia no blog oficial do YouTube. Ao elogiar a “incrível equipe de liderança do Youtube”, ela elogiou Mohan por desempenhar um papel fundamental no lançamento de produtos como o YouTube TV e o YouTube Music, afirmando que ele será um “excelente líder.”

Publicidade

Ela também elogiou Mohan por sua sólida compreensão do YouTube como um negócio e um dos lugares mais populares para as comunidades se reunirem. “Ele tem um senso maravilhoso para o nosso produto, nosso negócio, nossas comunidades de criadores e usuários e nossos funcionários”, escreveu Wojcicki.

Youtube mais imersivo

Como um dos sites mais conhecidos do mundo, a popularidade e o alcance do YouTube não podem ser subestimados. De setembro a novembro de 2022, o site ficou atrás apenas do Google em termos de uso, com 74,8 bilhões de visitas em média por mês, de acordo com o Statista.

Durante seu longo mandato moldando as ofertas do YouTube, Mohan manteve uma mente aberta sobre a evolução da internet e suas diversas plataformas. No ano passado, ele revelou em um blog que o YouTube estava procurando maneiras de integrar a tecnologia Web3, seja “tornando o YouTube mais imersivo”, aproveitando o metaverso ou explorando tecnologias como NFTs, tokens digitais exclusivos que são frequentemente usados para afirmar a propriedade do conteúdo online.

“Acreditamos que novas tecnologias como blockchain e NFTs podem permitir que os criadores construam relacionamentos mais profundos com seus fãs”, escreveu Mohan. “Há muito a considerar para garantir que abordemos essas novas tecnologias de forma responsável, mas acreditamos de fato que há um potencial incrível nelas.”

Publicidade

Por exemplo, Mohan escreveu que os NFTs poderiam ser uma “maneira verificável e convincente de os fãs possuírem vídeos, fotos, arte e até experiências exclusivas de seus criadores favoritos”, acrescentando que permitiria que criadores e públicos colaborassem de novas maneiras.

Falando de metaverso, Mohan afirmou que o uso da tecnologia “ainda está em seus primeiros dias”, mas disse que o YouTube “trabalhará para trazer mais interações para os games e fazer com que eles pareçam mais vivos.”

Mesmo que o conceito de metaverso não seja explicitamente construído em torno da tecnologia blockchain — o termo foi cunhado em 1992 pelo autor Neal Stephenson em seu romance de ficção científica “Snow Crash” —, projetos populares como The Sandbox e Decentraland usam a tecnologia blockchain para estabelecer a propriedade de terras digitais e outros ativos.

Google avança para Web3

O próprio Google também passou a trabalhar com mais força em Serviços Web3 no ano passado. Em outubro, a empresa anunciou o lançamento de um serviço baseado em nuvem para projetos e desenvolvedores em Ethereum chamado Blockchain Node Engine. 

Publicidade

O serviço hospeda e gerencia automaticamente nodes (nós) individuais que contribuem para a rede de uma blockchain, trazendo a “confiabilidade, desempenho e segurança que as pessoas esperam do Poder Computacional do Google Cloud” para o setor de ativos digitais.

A gigante da tecnologia revelou no mês seguinte que iria expandir seu mecanismo de nós Blockchain para a blockchain Solana também, um recurso definido para lançamento no primeiro trimestre deste ano.

O Google também acenou para o Ethereum em setembro de 2022, quando a rede fez a transição para uma forma de verificação de transições menos intensiva em energia, um processo há muito aguardado e conhecido como Fusão. Um “doodle” apresentado no mecanismo de pesquisa da Google contou quanto tempo levaria para o processo ser concluído e outras estatísticas relacionadas à mudança do Ethereum no consumo de energia.

O YouTube viu alguns funcionários proeminentes adotarem totalmente a Web3, como seu ex-chefe Global de jogos, Ryan Wyatt, que saiu após sete anos no YouTube para se juntar à Polygon Studios como CEO em fevereiro de 2022 e, desde então, mudou para atuar como Presidente da Polygon Labs.

Watt disse recentemente ao Decrypt que ele vê paralelos entre o YouTube e a Polygon, uma sidechain que funciona em conjunto com a Ethereum e procura melhorar sua contraparte oferecendo transações mais rápidas e taxas mais baixas, servindo como uma plataforma para blockchains interoperáveis.

Publicidade

“Há muitas semelhanças entre o YouTube e a Polygon no sentido de que é uma plataforma, e você está ajudando as pessoas a entrar nela”, disse ele. “No fim das contas são criadores, enviando vídeos de jogos, desde aquela época até agora, [onde estão] jogos e projetos sendo construídos.”

*Traduzido por Gustavo Martins com autorização do Decrypt.

  • Clique aqui e acompanhe o Portal do Bitcoin no Google Notícias
VOCÊ PODE GOSTAR
Ilustração de vários hamsters lado a lado vestidos de paletó e gravata

Jogo de Telegram ‘Hamster Kombat’ ultrapassa 150 milhões de usuários

Crescimento explosivo representa um aumento de 50% em uma semana; Toncoin atinge recorde histórico
Fios de transmissão cortados

Rede de segunda camada do Bitcoin, Stacks fica parada por 9 horas — o que aconteceu?

A interrupção na produção de blocos na sexta-feira causou também uma queda de 16% no preço do token STX; aqui está o porquê
Ilusração com Teias simulam funcionamento de blockchais; ao fundo homem opera laptop

Adoção da tecnologia Blockchain por empresas da Fortune 500 avança 56%, diz estudo

No primeiro trimestre 2024; as 100 maiores empresas também aumentaram seus projetos blockchain e web3 em 39%
Celular mostra logotipo da Solana

Solana labs lança plataforma para programas de fidelidade

A empresa promete processo de integração cujas marcas “não precisam de nenhum conhecimento em blockchain”