Imagem da matéria: Microsoft desenvolve sistema de segurança cibernética que usa Inteligência Artificial
Shutterstock

À medida que os ataques cibernéticos se tornam mais sofisticados e complexos, as empresas de tecnologia estão recorrendo à Inteligência Artificial (AI, na sigla em inglês) para ajudar a detectar e prevenir ataques em tempo real.

Uma delas é gigante global de software Microsoft, que anunciou na terça-feira (28) o lançamento do Security Copilot, uma nova ferramenta que usa AI generativa.

Publicidade

AI generativa é um tipo de inteligência artificial que usa grandes conjuntos de dados e modelos de linguagem para gerar padrões e conteúdo como imagens, texto e vídeo. O ChatGPT é o exemplo mais conhecido desse tipo de aplicação.

O Microsoft 365 Copilot, um mecanismo de AI desenvolvido para alimentar um conjunto de aplicativos do Office, foi lançado no início deste mês. O Security Copilot, a primeira ferramenta Copilot especializada, permitirá que os administradores de TI e segurança analisem rapidamente grandes quantidades de dados e detectem sinais de uma ameaça cibernética.

“Em um mundo onde há 1.287 ataques à senhas por segundo, ferramentas e infraestrutura fragmentadas não foram suficientes para impedir os invasores”, disse a Microsoft em um comunicado à imprensa. “E embora os ataques tenham aumentado 67% nos últimos cinco anos, o setor de segurança não conseguiu contratar profissionais de risco cibernético suficientes para acompanhar o ritmo.”

Como outras implementações generativas de AI, o Security Copilot é acionado por uma consulta ou solicitação de um usuário e responde usando os “últimos recursos de modelo de linguagem”, e a Microsoft diz que sua ferramenta é “exclusiva para uso em segurança”.

Publicidade

“Nosso modelo de treinamento cibernético adiciona um sistema de aprendizado para criar e ajustar novas habilidades [para] ajudar a detectar o que outras abordagens podem perder e aumentar o trabalho de um analista”, explicou a Microsoft. “Em um incidente típico, esse aumento se traduz em ganhos na qualidade da detecção, velocidade de resposta e capacidade de fortalecer a postura de segurança”.

Início em marcha lenta

Mas a própria Microsoft, assim como especialistas externos em segurança de computadores, disse que levará um tempo para que a ferramenta ganhe velocidade.

“A AI ainda não é avançada o suficiente para detectar falhas na lógica de negócios ou contratos inteligentes. Isso ocorre porque a IA é baseada em dados de treinamento, que ela usa para aprender e se adaptar”, disse Steve Walbroehl, cofundador e CTO da empresa de segurança blockchain Halborn, ao Decrypt em uma entrevista.

“Obter dados de treinamento suficientes pode ser difícil, e a IA pode não ser capaz de substituir totalmente a mente humana na identificação de vulnerabilidades de segurança.”

Publicidade

A Microsoft está pedindo paciência: à medida que o Copilot aprende com as interações do usuário, a empresa ajustará suas respostas para criar respostas mais coerentes, relevantes e valiosas.

“O copiloto de segurança nem sempre faz tudo certo. O conteúdo gerado por AI pode conter erros”, disse a empresa. “Mas o Security Copilot é um sistema de aprendizado de circuito fechado, o que significa que está aprendendo continuamente com os usuários e permitindo que eles forneçam feedback explícito com o recurso de feedback integrado diretamente na ferramenta.”

VOCÊ PODE GOSTAR
Moedas de bitcoin sob mesa escura com sigal ETF

Manhã Cripto: ETFs de Bitcoin voltam a captar mais US$ 100 mi por dia nos EUA; Ex-diretor da FTX pede 18 meses de prisão

Mercado também começa a se preparar para veredito final da SEC sobre os ETFs de Ethereum à vista
bloco de bitcoin, ordinals, runes

O maior Ordinals da história do Bitcoin acaba de ser inscrito — até onde eles vão crescer?

O maior arquivo de Bitcoin de todos os tempos acabou de ser criado. Será que o recorde pode ser quebrado novamente?
Imagem da matéria: Reguladores afirmam que Coinbase não pode obrigá-los a criar regras “do zero” para setor de criptomoedas

Reguladores afirmam que Coinbase não pode obrigá-los a criar regras “do zero” para setor de criptomoedas

Em um processo judicial, a SEC argumentou que a Coinbase não pode exigir que o regulador escreva novas regras para o setor cripto
criptomoedas caindo no fogo

Volume de negociação em corretoras de criptomoedas cai pela 1ª vez em 7 meses

Análise aponta que guerra no Oriente Médio e freio no fluxo dos ETF cripto dos Estados Unidos foram os motores para a queda