Imagem da matéria: Mercedes-Benz irá começar a usar robôs na linha de montagem
Robô da Apptronik (Imagem: Divulgação/Apptronik)

A fabricante alemã de carros Mercedes-Benz fez parceria com a desenvolvedora de Inteligência Artificial sediada em Austin, Apptronik, para que robôs de aspecto humanoide sejam usados na linha de montagem dos veículos para fazer trabalhos braçais.

O acordo com a Mercedes-Benz é o primeiro contrato comercial da Apptronik para usar seus robôs Apollo no mundo real e na indústria automotiva. A firma foi originada do Laboratório de Robótica Centrada no Humano da Universidade do Texas em Austin em 2016.

Publicidade

“Quando começamos a construir o Apollo, um acordo como o que estamos anunciando hoje com a Mercedes-Benz era um cenário dos sonhos”, disse o co-fundador e CEO da Apollo, Jeff Cardenas, em um comunicado.

As especificações do Apollo se enquadram claramente na categoria humanoide—quase 1,83 metro de altura, pesa 72,5 quilos, e pode levantar até 24,9 quilos. O robô tem quatro horas de vida útil da bateria e pode ser montado em uma posição estacionária ou receber pernas para andar. Luzes LED na cabeça e no peito do Apollo permitem que o robô comunique seu status, como carregamento e processamento de dados.

A Mercedes-Benz usará o robô Apollo para automatizar “trabalhos manuais repetitivos, fisicamente desafiadores e de baixa habilidade”, explicou Cardenas, chamando isso de um caso de uso modelo que outras organizações replicarão nos próximos meses e anos.

Recrutar robôs humanoides em fábricas permite que empresas como a Mercedes-Benz coloquem robôs para trabalhar em ambientes construídos para humanos, eliminando a necessidade de redesenhar o espaço.

Publicidade

À medida que a IA começa a infiltrar e perturbar uma ampla gama de setores, formuladores de políticas e eticistas estão preocupados com a tecnologia emergente deslocando trabalhadores—seja em campos baseados em conhecimento ou em ofícios. Mesmo se os empregos forem retidos, a IA pode fornecer um pretexto para os empregadores investirem menos em recursos humanos.

Por sua parte, a Mercedez-Benz diz que a parceria com a Apptronik é um piloto para avaliar seu possível impacto.

“Estamos explorando novas possibilidades com o uso de robótica para apoiar nossa força de trabalho qualificada na manufatura”, disse o membro do conselho da Mercedes-Benz, Jörg Burzer, em um comunicado. “Esta é uma nova fronteira, e queremos entender o potencial tanto para a robótica quanto para a manufatura automotiva.”

Apptroniks não respondeu imediatamente ao pedido de comentário da Decrypt.

Humanos sendo substituídos por máquinas no local de trabalho é uma preocupação contínua, com avanços em inteligência artificial trazendo a tecnologia rapidamente para o mainstream.

Publicidade

“Muito do trabalho que está acontecendo agora—por que as pessoas estão investindo nessas empresas como a Figure—é que a esperança é que essas coisas possam trabalhar e ser compatíveis”, disse o professor de Engenharia Industrial da UC Berkeley, Ken Goldberg, à Decrypt.

Enquanto a maior parte do foco tem sido em modelos de IA generativa como o ChatGPT da OpenAI e o Claude AI da Anthropic, robôs humanoides alimentados por inteligência artificial estão se movendo rapidamente para o centro do palco. Embora alguns possam questionar a sabedoria de construir robôs humanoides, Goldberg disse que há muitos fatores que determinarão se eles fazem sentido. Um exemplo? Rodas versus pernas.

“Rodas podem ser um problema em uma casa. A maioria das casas tem carpetes e escadas, e é aí que as rodas realmente ficam aquém”, disse Goldberg. “E essas pernas podem ser úteis nesse tipo de ambiente, e eu acho que vamos realmente ver algo acontecer na próxima década.”

Muitas empresas—incluindo a Hanson Robotics, Tesla, 1X apoiada pela OpenAI, e Honda—continuam a desenvolver robôs destinados à produção em massa para trabalhar em ambientes perigosos como o espaço e outros mundos.

Na quarta-feira, a Figure AI, baseada no Vale do Silício, revelou seu robô Figure 01 que usa a tecnologia da OpenAI para manter conversas independentemente, identificar alimentos e limpar a área simultaneamente.

Publicidade

*Traduzido e editado com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Moedas de bitcoin sob bandeira da Argentina

Argentina sanciona lei que permite aumento de capital de empresas com criptomoedas

Javier Milei também nomeou um especialista em blockchain para liderar Agência Federal de Segurança Cibernética
Donald Trump posa para foto em evento político nos EUA

Trump cobrará R$ 5 milhões de quem quiser dividir mesa com ele em evento de Bitcoin

Uma foto com Trump também custará caro aos participantes, indo de R$ 330 mil a R$ 550 mil