Imagem da matéria: MB estreia no ranking de Exchange Benchmark em 1º lugar no Brasil

O MB (Mercado Bitcoin), maior plataforma de ativos digitais da América Latina, foi uma das empresas avaliadas pelo Exchange Benchmark, da CCData. Este é considerado um estudo de relevância para o setor de ativos digitais, uma vez que possui respaldo de milhares de horas de pesquisa, além de métricas quantitativas e qualitativas. Neste semestre, o MB assumiu a primeira posição do ranking no cenário brasileiro.

Para analisar as instituições participantes, foram considerados critérios gerais e específicos, com mais de 60 métricas distintas nas áreas de segurança, comunidade, transparência, governança, qualidade do mercado, experiência do usuário e incentivos. Foram 98 empresas avaliadas e, nesta última edição, o MB ocupou a 23ª posição na classificação global.

Publicidade

“O Exchange Benchmark é um estudo que chancela o nosso trabalho no desenvolvimento do mercado de ativos digitais. Porém, mais do que a certificação de que estamos desempenhando uma atuação excelente, a posição do MB em primeiro lugar no ranking brasileiro reforça nosso posicionamento como pioneiros e inovadores no contexto da economia digital”, garante Fabrício Tota, diretor de novos negócios do MB.

Para os princípios fundamentais de avaliação, foram criadas categorias que representam as principais áreas de risco que são relevantes para ambas as “bolsas”, centralizadas e descentralizadas, relacionadas à sua proposta de valor específica, além das já citadas métricas qualitativas e quantitativas de desempenho.

Posteriormente, os pontos foram agregados dentro de cada categoria e, em seguida, escalados para formar o ranking estabelecido. As exchanges receberam uma nota de acordo com a pontuação final obtida, que variou de AA a F. Notas BB ou superior foram consideradas “Top-Tier”, e as que obtiveram B ou menos foram consideradas “Lower-Tier”.

Ainda, para avaliar especificamente as plataformas centralizadas, como é o caso do MB, foram utilizados os critérios segurança; jurídico/regulamentação; KYC/risco de transação; câmbio; fornecimento de dados; qualidade/diversidade dos ativos; qualidade do mercado; transparência; fator de penalidade: eventos negativos. Nos parâmetros de “qualidade/diversidade dos ativos” e “fornecimento de dados”, o MB alcançou notas máximas.

Publicidade

Vale destacar que, ao considerar exchanges descentralizadas e centralizadas, que atuam como mercados inerentemente diferentes, foram utilizadas mensurações distintas. Porém, a estrutura por trás de cada análise foi a mesma.

VOCÊ PODE GOSTAR
Vitalik Buterin na ETH Taipei 2024. Foto: Rug Radio

Como o fundador do Ethereum, Vitalik Buterin, mantém suas criptomoedas seguras

“Descentralize sua própria segurança”, diz Buterin – mas ele não usa uma cold wallet para suas próprias criptomoedas
solana, criptomoedas,

Este evento vai fazer a Solana atingir US$ 400 este ano, projeta analista

Para analista da Merkle tree, a Solana pode disparar 170% este ano puxado por memecoins ligadas aos candidatos na eleição dos Estados Unidos
Mordomo na faixa de 70 anos segurando um espanador

Cadillac à prova de balas, mordomo e relógio Titanic de R$ 7,7 milhões: os gastos luxuosos do executivo da FTX

O ex-chefe da FTX Europe, Patrick Gruhn, está gastando suas riquezas oriundas das criptomoedas — mas sua fortuna gera polêmica
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin cai para US$ 60 mil; Trump defende criptomoedas e faz memecoin subir 155%

Manhã Cripto: Bitcoin cai para US$ 60 mil; Trump defende criptomoedas e faz memecoin subir 155%

No Brasil, investidores reagem à decisão do Copom de reduzir em 0,25 ponto percentual a taxa básica de juros (Selic)