Imagem da matéria: Mastercard segue Visa e Paypal e também vai adotar criptomoedas
Foto: Shutterstock

A Mastercard, uma das gigantes no mundo dos pagamentos tradicionais, está entrando no mercado das criptomoedas. Em uma publicação no blog na quarta-feira (10), a empresa de cartão de crédito anunciou que “começará a oferecer suporte a criptomoedas selecionadas diretamente em nossa rede” em 2021.

Embora a Mastercard já trabalhe com as empresas de pagamento de criptomoedas Wirex e BitPay em cartões de débito de criptomoedas, as notícias de hoje representam uma mudança para permitir que as criptomoedas se movam dentro da rede real.

Publicidade

“Nossos parceiros de criptomoedas convertem os ativos digitais em moedas tradicionais e os transmitem para a rede Mastercard”, explica a postagem do blog. “Nossa mudança para oferecer suporte direto a ativos digitais permitirá que muitos mais comerciantes aceitem cripto – uma capacidade atualmente limitada por métodos proprietários exclusivos para cada ativo digital. Essa mudança também eliminará ineficiências, permitindo que consumidores e comerciantes evitem ter que converter de volta e entre criptomoeda e moeda tradicional para fazer compras. “

Mas quais criptomoedas? O anúncio é cauteloso nesse ponto, observando que está procurando por “criptoativos que ofereçam confiabilidade e segurança”. Ou seja, stablecoins – criptomoedas projetadas para manter seu valor em relação a um ativo, como o dólar dos Estados Unidos, para que possam ser usadas para pagamentos.

De acordo com a Mastercard, seus critérios para integração de pagamentos de criptomoeda se resumem à proteção do consumidor, medidas regulatórias e de conformidade rígidas, como KYC, e – crucialmente – um desejo popular de usar a criptomoeda em vez de apenas investi-la. Afinal, é uma plataforma de pagamentos projetada para receber uma porcentagem de cada transação.

Mastercard já havia demonstrado interesse em stablecoins. Em setembro, lançou uma plataforma para os bancos centrais testarem suas próprias moedas digitais, conhecida como CBDCs.

Publicidade

No final do mês passado, o CEO da Visa, rival da Mastercard, Al Kelly disse em uma teleconferência sobre lucros do primeiro trimestre que sua empresa estava pensando em adicionar criptomoedas à sua rede, embora ele não tenha assumido nenhum compromisso.

“Na medida em que uma moeda digital específica se torna um meio de troca reconhecido, não há razão para não podermos adicioná-la à nossa rede, que já suporta mais de 160 moedas hoje”, disse Kelly.

Parece que a Mastercard antecipou a Visa.

*Traduzido e editado com autorização da Decrypt.co
VOCÊ PODE GOSTAR
trader segura moeda de bitcoin em frente a grafico em computador

Bolsa de Chicago planeja lançar negociação de Bitcoin à vista, diz jornal

O objetivo é capitalizar a crescente demanda este ano entre os gestores de Wall Street para ganhar exposição ao setor de criptomoedas
Moedas de bitcoin sob mesa escura com sigal ETF

ETFs de Bitcoin à vista já controlam mais de 1 milhão de BTC

Mais da metade dos US$ 70,5 bilhões em fundos está praticamente dividida entre Grayscale e BlackRock
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin e Ethereum abrem em queda e BlackRock supera Grayscale em número de BTC sob custódia

Manhã Cripto: Bitcoin e Ethereum abrem em queda e BlackRock supera Grayscale em número de BTC sob custódia

ETF de Bitcoin da BlackRock agora detém mais BTC do que sua rival, a tradicional Grayscale Bitcoin Trust
Imagem da matéria: '101 Perguntas sobre Bitcoin': Editora Portal do Bitcoin lança livro sobre a criptomoeda mais famosa do mundo

‘101 Perguntas sobre Bitcoin’: Editora Portal do Bitcoin lança livro sobre a criptomoeda mais famosa do mundo

A obra discorre os princípios técnicos da moeda até suas implicações socioeconômicas no contexto atual, de modo a proporcionar um entendimento profundo ao público geral