Imagem da matéria: Líder da Trust Investing nega ligação com a GAS Consultoria e diz que só conheceu o Faraó do Bitcoin na prisão
Patrick Abrahão, sócio da Trust Investing (crédito: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados)

Um dos líderes da Trust Investing, Patrick Abrahão disse em seu depoimento nesta quarta-feira (24) na CPI das Pirâmides Financeiras que conheceu Glaidson Acácio dos Santos, dono da GAS Consultoria e conhecido como Faraó do Bitcoin, quando ambos estavam presos. 

Abrahão, famoso também por ser marido da cantora Perlla, teve que supostamente deixar o Brasil após receber ameaças de morte do “Faraó”. O dono da GAS Consultoria considerava o membro da Trust Investing uma ameaça.

Publicidade

Leia também: Trust Investing: caçado pela Polícia Federal, líder de pirâmide recebeu dinheiro do Faraó do Bitcoin

Aos deputados, Abrahão disse que não tem nenhum tipo de relação com Glaidson e que ambos apenas se conheceram no presídio. O investigado repetiu inúmeras vezes ser apenas um investidor comum da Trust e não um sócio. Afirmou que foi lesado em quase R$ 1 milhão quando o saque do token da empresa foi travado. 

O deputado Alfredo Gaspar (União/AL) questionou essa afirmação de que Abrahão seria só um investidor e leu uma publicação no Instagram do marido de Perlla no qual ele dizia: “O lançamento oficial do nosso token Trust Coin. Como eu sempre falo, estamos apenas no início”. 

O investigado afirmou que se referia de forma genérica e seria o mesmo que supor que se ele disser “nosso Flamengo” significaria que ele é o dono do clube. 

Gaspar rebateu: “Se eu falar que vamos lançar uma camisa nova no Ninho do Urubu em um investimento de tantos milhões no nosso Flamengo, você poderia supor sim que eu sou dono. Tem várias postagens pelo Brasil com o senhor tratando essa empresa como nossa e captando gente para empresa. Você sempre tratando e se referindo como nossa”.

Publicidade

Como tom irônico, a placa de identificação na bancada da CPI apontava Abrahão como “Sócio da Trust Investing”.

São apontados como donos da Trust os réus Diorge Chaves, Diego Chaves e Fabiano Lorite de Lima.

Investigado tinha dinheiro na Binance e GAS

Abrahão afirmou que o valor que a CPI trabalha, de que a Trust teria deixado R$ 4 bilhões de prejuízo, não é verdadeiro. Isso teria sido porque um ataque hacker na plataforma fez com que fosse criado um saldo desse montante, mas que ele nunca existiu, sendo apenas números em uma planilha. 

O investigado disse que estima que apenas 400 pessoas tenham colocado dinheiro na aparente pirâmide por sua causa. Além disso, revelou ter US$ 80 mil (R$ 390 mil) congelados em uma conta da Binance e R$ 50 mil na GAS Consultoria. 

Perguntado se acha que os fundadores da Trust Investing são honestos e se o esquema era uma pirâmide, Abrahão se recusou a dar uma resposta: “Eu não posso te responder. Eles tinham as operações. Se a decisão judicial afirma que teve fraude, aí eu posso afirmar”. 

A queda da Trust Investing

Patrick Abrahão foi preso em outubro do ano passado e solto neste mês de agosto. Durante todo esse tempo, seu pai, Ivonélio Abrahão, também ficou encarcerado por acusações de participação no esquema da Trust Investing.

Publicidade

Na época, uma matéria do Portal do Bitcoin mostrou que os líderes da GAS e da Trust transacionaram cerca de R$ 233 mil entre si em 2020.

A Polícia Federal descobriu nas investigações contra a Trust Investing a existência de esquema de pirâmide financeira que captou recursos de mais de 1,3 milhão de pessoas, em mais de 80 países.

O prejuízo deixado aos investidores é estimado em R$ 4,1 bilhões, captados desde o início das operações da empresa em 2019.

A operação da Polícia Federal, feita em parceria com a Receita Federal e a Agência Nacional de Mineração (ANM), acontece um ano depois do bloqueio de saques pela Trust Investing. Desde outubro de 2021, a empresa proíbe que clientes tenham acesso ao dinheiro preso na plataforma de investimentos alegando ter sofrido um ataque hacker.

Na denúncia feita pelo Ministério Público Federal (MPF), os cinco réus respondem pelos crimes de integração de organização criminosa internacional, crimes contra o sistema financeiro nacional, operação ilegal de instituição financeira, crimes contra o patrimônio da união e crime ambiental, bem como lavagem de dinheiro.

Publicidade
VOCÊ PODE GOSTAR
Gustavo Scarpa em um campo de futebol usando o uniforme do Atlético Mineiro

Scarpa x Bigode: Pedras preciosas não valem como garantia em processo contra pirâmide cripto, diz PF

Um laudo das pedras de alexandrita apreendidas da suposta pirâmide Xland foi avaliado por um juiz, que determinou que elas não têm valor significativo
Imagem da matéria: Microsoft lança PC com IA que vai lembrar tudo que você faz na internet

Microsoft lança PC com IA que vai lembrar tudo que você faz na internet

A big tech revelou o Copilot+ PC “projetado para IA” que recorda tudo o que é exibido na tela do seu computador
Moedas de bitcoin sob mesa escura com sigal ETF

Manhã Cripto: ETFs de Bitcoin voltam a captar mais US$ 100 mi por dia nos EUA; Ex-diretor da FTX pede 18 meses de prisão

Mercado também começa a se preparar para veredito final da SEC sobre os ETFs de Ethereum à vista
CEO do MB Reinlado Rabelo em evento da CVM na USP

“A Bolsa é sim lugar de startups”, diz CEO do Mercado Bitcoin em evento da CVM

Reinaldo Rabelo participou do evento do “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil”