Imagem da matéria: Lenda do Boxe Manny Pacquiao Vira Garoto-Propaganda de Criptomoedas
(Foto: Oliver Petalver/TheDailySportsHerald)

O lutador filipino, campeão mundial de boxe em oito divisões, Manny Pacquiao, é o mais novo embaixador entre celebridades da Global Crypto Offering Exchange (GCOX), segundo a CCN. A corretora de criptomoedas, com sede em Singapura, é conhecida por ser exclusiva para famosos.

GCOX é uma startup que permite que pessoas muito famosas criem suas próprias criptomoedas. Assim os fãs podem usá-las para pagar por acesso a conteúdo exclusivo do ídolo na plataforma.

Publicidade

Pacquiao, que também é senador nas Filipinas, investiu uma quantia ainda não divulgada, de acordo com um relatório na publicação do Entrepreneur Philippines. O token do projeto de Manny vai se chamar PAC Coin.

 Celebridades no mundo das criptomoedas

O boxeador é o mais recente em uma longa série de celebridades que aderiram às ICOs, um fenômeno que se correlacionou com o sucesso de vendas de tokens no ano passado.

Grandes nomes do boxe já se engajaram em ICOs. O também multicampeão Floyd Mayweather participou de uma oferta inicial de moeda no ano passado, embora o resultado não tenha sido muito bom. Na época, a Comissão de Valores Mobiliários (SEC na sigla em inglês) dos Estados Unidos acabava de proibir uma ICO ligada a outro ex-campeão de boxe, Evander Holyfield, devido a violação no regulamento.

A SEC não ficou satisfeita com os endossos de celebridades em ICOs. O órgão regulatório avisou que tais acordos podem ser ilegais se não forem acompanhados de divulgações apropriadas.

Publicidade

Projetos que deixarem vazias informações sobre a natureza, a fonte e o montante de qualquer compensação paga, direta ou indiretamente pela empresa em troca da parceria, não serão aceitos.

Sob a mira da regulação

A SEC deixou bem claro que os indivíduos que fizerem esses endossos ilegais podem ser responsabilizados por violar as disposições antifraude das leis de valores mobiliários dos EUA.

Após ter problemas com a Comissão, a GCOX modificou seu White Paper (pdf-página 39) proibindo investidores norte-americanos de contribuírem em qualquer oferta de ICO.

É comum que empresas usem celebridades para promover seus produtos, mas vários famosos parecem não ter muita ideia de onde estão entrando, como Steven Seagal que também esteve envolvido e seu projeto investigado, o jogador de futebol Michael Owen, entre outros.

Publicidade

Nome pode gerar polêmica

A GCOX e o próprio Pacquiao podem ter um bom projeto, mas provavelmente desconhecem (ou fingem não conhecer) que já existe uma criptomoeda com o mesmo nome.

A comunidade Pac Coin é muito grande. Hoje a criptomoeda ocupa o 1320º lugar no Coinmarketcap, com um mercado de apenas de US$ 184 mil. Essa insignificante colocação é devido a um recente fork que a diminuiu na proporção de 1000:1.

Antes dessa reestruturação a PAC Coin chegou a ter períodos de negociação com capital de mercado perto de US$ 1 milhão em janeiro deste ano.

Com o anúncio da ‘nova PAC’, a antiga comunidade já tem se manifestado (principalmente no reddit) – uns contra outros a favor – sobre a novidade. Aqueles que são contra já sugerem que advogados entrem com ação. Já aqueles que são a favor recomendam que comprem as suas PACs porque ‘não valem nada’.

Há também aqueles que desconfiam que a GCOX vai ‘saldar’ todas as PACs existentes e usá-las no projeto de Manny.

Publicidade

A PAC coin original foi criada em 2014 com base na tecnologia do Bitcoin.

 

BitcoinTrade

A primeira plataforma Brasileira que você pode comprar com segurança utilizando o seu Cartão de Crédito como forma de pagamento. Eles aceitam Visa e Mastercard. A BitcoinTrade ainda conta com certificação de segurança PCI Compliance, a única no Brasil. Acesse aqui: https://www.bitcointrade.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
CEO da Galaxy Digital, Mike Novogratz, em entrevista ao BNN Bloomberg no YouTube

O Bitcoin precisa de uma nova narrativa para voltar a subir, segundo CEO da Galaxy Digital

Mike Novogratz também acredita que o preço do BTC flutue entre US$ 55 mil e US$ 75 mil até que novos eventos ocorram
Imagem da matéria: Maior plataforma P2P de Monero fecha após 7 anos de operação

Maior plataforma P2P de Monero fecha após 7 anos de operação

A plataforma peer-to-peer focada na moeda de privacidade Monero (XMR) citou “uma combinação de fatores internos e externos” para sua decisão de fechar as portas
martelo de juiz com logo da binance no fundo

Governo dos EUA contrata empresa para monitorar a Binance

A Forensic Risk Alliance venceu a disputa contra a Sullivan & Cromwell, que atuou no caso FTX
Imagem por detrás de uma pessoa algemada

Interpol prende hacker que roubou R$ 260 mil da Polícia de Buenos Aires e lavou fundos com USDT

Liderado por um venezuelano, preso nos EUA, o grupo roubou R$ 8 milhões de entidades argentinas através de um malware de origem brasileira