Imagem da matéria: Legacy: jogo NFT arrecada R$ 300 milhões em uma semana com vendas de terrenos virtuais
Legacy (Imagem: divulgação)

Em apenas uma semana, o novo jogo blockchain Legacy conseguiu arrecadar pouco mais de R$ 300 milhões por meio de vendas de terrenos virtuais em forma de tokens não fungíveis (NFTs).

Mesmo que o game desenvolvido pela Gala Games não tenha sido lançado oficialmente e essas lands não tenham utilidade prática no momento, a disputa por um pedacinho do novo metaverso do Legacy já é grande.

Publicidade

Um único lote desse mundo virtural foi arrematado por US$ 972 mil na última semana, segundo o Business Insider. No total, as lands já garantiram mais de US$ 55 milhões aos desenvolvedores do jogo.

Atualmente os terrenos podem ser comprados a partir de US$ 6,8 mil, mas os preços aumentam dependendo da raridade do NFT, como é possível ver no marketplace oficial do Legacy.

A primeira venda de terrenos do Legacy é baseada em Londres. “Aqui, você pode pegar um pedaço do Reino Unido. Mas seja rápido, esta é uma cidade com uma história de aumento de preços de propriedades”, alertou a equipe do jogo.

Assim como na vida real, o valor do terreno é determinado por sua localidade. Assim que o Legacy abriu as vendas, os lotes localizados no “coração de Londres” eram os mais caros e foram logo arrematados. 

Publicidade

Como vai funcionar o Legacy

Como a localidade dos terrenos já sugere, o Legacy será um jogo de construção de cidades com foco no comércio e expansão territorial, previsto para ser lançado no início de 2022.

“Com uma variedade de competições e eventos no jogo, suas habilidades de design e gerenciamento de cidade serão colocados à prova enquanto você compete com outros por posições na tabela de classificação e grandes prêmios”, descreve a equipe do jogo que compara sua produção a uma espécie de The Sims de negócios.

Inspirado na modalidade play-to-earn onde jogadores são recompensados pelo seu tempo e esforço, aqueles que tiverem as melhores classificações dentro do jogo poderão ganhar bônus por meio da criptomoeda nativa LegacyCoin (LEGACY), construída na rede Ethereum.

Em um primeiro momento, o acesso direto ao jogo será limitado àqueles que compraram as lands. Esses detentores terão acesso as “Legacy Keys” que poderão emprestar para outros usuários que desejam entrar no jogo como forma de torná-las parceiros de negócios. 

Publicidade

“Como parte de sua associação, eles compartilharão uma parte do LegacyCoin obtido com você”, diz a descrição do modelo que se inspira nas “escolinhas” que se tornaram populares em jogos blockchain, como o Axie Infinity.

O Legacy chega para disputar esse novo mercado em ascensão com o apoio de nomes conhecidos no mundo dos games, como Peter Molyneux: “O gênio criativo de Peter Molyneux, criador do gênero god game (entre muitos outros), junto com 22cans está agora se unindo com a experiência de Eric Schiermeyer e Gala Games para colocar Legacy na fronteira dos jogos blockchain”.

VOCÊ PODE GOSTAR
criptomoedas, criptoativos, regulação, Brasil, projeto de lei

Banco Central anuncia próximos passos da regulamentação do mercado cripto no Brasil

Sem definir datas, BC diz que irá fazer mais uma consulta pública no segundo semestre e um planejamento interno sobre stablecoins
Imagem da matéria: Ethereum Rio: Começa hoje evento que promove ecossistema da segunda maior criptomoeda do mundo

Ethereum Rio: Começa hoje evento que promove ecossistema da segunda maior criptomoeda do mundo

Evento Ethereum Rio ocorre entre os dias 13 e 15 de maio no Porto Maravalley, Rio de Janeiro
Imagem da matéria: El Salvador lança site de Bitcoin e revela quantas criptomoedas possui hoje; confira

El Salvador lança site de Bitcoin e revela quantas criptomoedas possui hoje; confira

Segundo os dados do mempool, El Salvador comprou 30 bitcoins no último mês
Imagem da matéria: SEC notifica Robinhood de que pretende processá-la por venda de criptomoedas

SEC notifica Robinhood de que pretende processá-la por venda de criptomoedas

“Acreditamos firmemente que os ativos listados em nossa plataforma não são valores mobiliários”, diz diretor da Robinhood