Imagem da matéria: JPMorgan Admite que Criptomoedas Podem Prejudicar Bancos
Foto: Shutterstock

O JPMorgan Chase, o maior banco dos EUA, admitiu em seu em seu relatório anual, datado de 27 de fevereiro e arquivado na Comissão de Valores Mobiliários (SEC) dos USA, que as criptomoedas e a tecnologia blockchain podem causar uma disrupção no setor bancário.

No documento de 301 páginas, o JPMorgan – que administra US$ 2,53 trilhões de ativos de acordo com estimativas recentes – listou criptomoedas e a tecnologia peer-to-peer como possíveis disruptores para instituições financeiras e processadores de pagamento.

Publicidade

“Além disso, tanto as instituições financeiras como seus concorrentes não bancários enfrentam o risco de que o processamento de pagamentos e outros serviços possam ser substituídos por tecnologias, como criptomoedas, que não requerem intermediação”, escreveu o banco. “As novas tecnologias exigiram e podem exigir que o JPMorgan Chase gaste mais para modificar ou adaptar seus produtos para atrair e reter clientes ou combinar produtos e serviços oferecidos por seus concorrentes, incluindo empresas de tecnologia”.

Notavelmente, o relatório foi assinado pelo CEO da JPMorgan, Jamie Dimon, conhecido por criticar repetidamente a criptomoeda sempre que teve oportunidade, inclusive tendo chamado ela de “fraude” e uma vez ameaçou demitir qualquer empregado que fosse pego negociando criptomoedas.

Instituições tradicionais estão com medo

JPMorgan é pelo menos a terceira grande instituição financeira para citar criptomoedas como um risco para o futuro de seus negócios.

Na semana passada, o Bank of America – o segundo maior banco dos EUA – admitiu que as criptomoedas e outros serviços financeiros baseados em blockchain representam uma ameaça ao seu modelo de negócios.

Tanto o JPMorgan quanto o Bank of America observaram que o aumento na adoção das criptomoedas poderia forçá-los a ter despesas significativas para garantir que seus produtos e serviços continuem competitivos.

Publicidade

A Goldman Sachs – cujos ativos de US$ 917 bilhões estão em quinto lugar entre as instituições dos EUA – também listou a criptomoeda como um risco de negócios. O relatório dizia que as preocupações da Goldman relacionavam-se principalmente com o investimento da empresa em startups que operam no criptoespaço, como a Circle, que possui uma das mesas de negociação de criptomoedas mais rentáveis ​​além de recentemente ter adquirido uma das maiores exchanges de criptomoedas do mundo, a Poloniex.

Com essa movimentação do mercado financeiro tradicional, fica claro o potencial futuro das criptomoedas e ativos digitais. Três das maiores potências mundiais já publicaram publicamente seu medo pela disrupção do mercado.

As criptomoedas voltam a dar esperança aos usuários e a liberdade de voltar a ser dono do seu próprio dinheiro, sem a necessidade de confiar em megacorporações. Não há como negar que elas vieram para ficar.

Leia Também: Transações SegWit no Bitcoin já Ultrapassam 30%

 

BitcoinTrade

A primeira plataforma Brasileira que você pode comprar com segurança utilizando o seu Cartão de Crédito como forma de pagamento. Eles aceitam Visa e Mastercard. A BitcoinTrade ainda conta com certificação de segurança PCI Compliance, a única no Brasil. Acesse aqui: https://www.bitcointrade.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Letras que formam a sigla ETF próximas a uma moeda dourada de Bitcoin (BTC)

ETFs de Bitcoin têm novo dia de saídas com fluxo de US$ 226 milhões liderado pela Fidelity

O único ETF de Bitcoin a ter entrada líquida na quinta foi o IBIT da BlackRock, o maior em valor patrimonial líquido, com fluxo positivo de US$ 18 milhões
mescla de dólares e moedas de bitcoin sobre a mesa

Fundos de criptomoedas captam US$ 2 bilhões na primeira semana de junho

EUA foram responsáveis por quase todo fluxo de entradas dos fundos de criptomoedas, enquanto o Brasil segue com terceiro melhor resultado no acumulado de 2024
Ilustração mostra mãos robótica segurando moeda de Bitcoin

Criptomoedas e IA podem adicionar US$ 20 trilhões ao PIB global até 2030, diz Bitwise

Analista da Bitwise avalia que existe um grande potencial de sinergia entre protocolos de criptomoedas e soluções envolvendo inteligência artificial
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Ethereum sobe 3% com fim de investigação da SEC; Receita lança GT para fiscalizar corretoras estrangeiras

Manhã Cripto: Ethereum sobe 3% com fim de investigação da SEC; Receita lança GT para fiscalizar corretoras estrangeiras

Entre os objetivos do novo grupo de trabalho da Receita Federal está criar uma estratégia de atuação em relação às corretoras que não cumprem suas obrigações tributárias no Brasil