Imagem da matéria: Quais os jogos NFT que morreram e deixaram milhares no prejuízo
Foto: Shutterstock

São poucos os jogos blockchain que sobrevivem por muito tempo no crescente mercado que vende o modelo play-to-earn como uma forma fácil de ganhar dinheiro.

A vida útil desses projetos é curta: geralmente surgem com um jogo simples criado na Binance Smart Chain, uma criptomoeda nativa, e a promessa de ter economia sólida o suficiente para segurar o preço do token — ou seja, a recompensa dos jogadores — lá em cima.

Publicidade

Embora alguns possam ter sucesso nas suas primeiras semanas, a falta de novos jogadores dispostos a manter o mercado do jogo girando faz o preço do token desabar uma hora ou outra, matando a rentabilidade do projeto.

Em muitos casos, esses jogos não passam de esquemas de pump e dump em que seus criadores, na maioria das vezes anônimos, prometem coisas que o jogo não consegue entregar só para fazer o preço do ativo subir por um curto espaço de tempo.

Veja abaixo uma lista dos “promissores”  jogos que viram seus tokens evaporarem, deixando milhares de jogadores no prejuízo.

CryptoMines

O CryptoMines era um jogo criado na Binance Smart Chain que permitia que jogadores usassem a criptomoeda ETERNAL para criar NFTs de naves espaciais e enviá-las em missões que lhe geram recompensas, também distribuídas na forma do token ETERNAL.

A criptomoeda chegou a bater um topo histórico de US$ 801 no dia 25 de novembro. Sem forças para manter o bom desempenho, a cotação começou a desabar e um mês após o recorde, o ETERNAL valia só US$ 1,90 — uma queda de 99,7%.

Publicidade

Quando as quedas se intensificaram no começo de dezembro, a equipe do jogo fez uma publicação para explicar o que havia acontecido:

“Um efeito de bola de neve fez com que as pessoas pudessem fazer dumps de ETERNAL quando ele subisse até certo ponto, e assim começou o efeito de queda amplificado por esses traders e pelo medo coletivo”, diz um trecho da nota que classifica a queda como “devastadora”, tão grande quanto o crescimento do jogo. 

Os desenvolvedores também assumiram a culpa ao afirmar que a economia que criaram era falha por permitir que uma superpopulação de NFTs se formasse, chegando ao ponto em que os investidores não precisariam mais continuar investindo no jogo.

Como consequência, a falta de novos jogadores comprando NFTs fez com que o pool que pagava as recompensas fosse esvaziado e todo o esquema desmoronasse à la pirâmide financeira.

Publicidade

A equipe do CryptoMines propôs à comunidade criar o Cryptomines Reborn, uma versão “renascida” do jogo que colocaria no mercado um novo token.

Se de fato sair do papel, a chance é que o jogo tenha pouca adesão da comunidade que suspeita que foram os próprios desenvolvedores do CryptoMines que fizeram o dump que causou a desvalorização do ETERNAL, uma vez que eles eram os maiores detentores do token.

CryptoCars, CryptoPlanes e CryptoGuards

Os desenvolvedores do CryptoCity não perderam tempo e lançaram logo três jogos do mesmo universo: CryptoCars, CryptoPlanes e CryptoGuards.

Os jogos são praticamente a mesma coisa e mudam apenas de temática. O CryptoCars, por exemplo, é um jogo de corrida de carros. Já o CryptoPlanes é a mesma coisa, só que com aviões.

Nesses jogos, o usuário compra carros em forma de NFT para participar de corridas e ganhar os tokens nativos como recompensa.

As partidas são automáticas, ou seja, o jogador não precisa ter qualquer habilidade ‘especial’ para se destacar, mas sim carros com classificações melhores, já que quanto melhor — e mais caro — o carro, maior a chance de vitória.

Publicidade

As recompensas geradas pelos jogos atualmente são ínfimas dado o desempenho das moedas nativas nas últimas semanas. CCAR, do CryptoCars, está valendo apenas R$ 0,06, uma cotação 99% inferior ao seu topo histórico de R$ 10,16 alcançado em novembro, segundo o CoinGecko.

O cenário é igualmente ruim para o CPAN do CryptoPlanes e o CGAR do CryptoGuards, cotados a R$ 0,09 e R$ 0,11, respectivamente. Ambos também valem 99% menos do que seus recordes de preços.

Os jogos do universo do CryptoCity se tornaram muito populares e altamente divulgados por influenciadores digitais. 

O youtuber brasileiro Peter Jordan, do canal Ei Nerd, foi um dos que venderam a falsa promessa do jogo. Com mais de 670 mil visualizações, o título do seu vídeo não era nada modesto e dizia “jogo de carrinho pagando 28.362 reais por mês, melhor que Axie Infintiy”.

Peter Jordan CryptoCars
Vídeo do Peter Jordan sobre o CryptoCars (Imagem:Reprodução/Facebook)

Usuários do grupo do Facebook Jogos NFT Brasil notaram que o youtuber apagou o vídeo na mesma semana em que os preços desabaram e os sites dos jogos do CryptoCity ficaram fora do ar, aumentando o temor da comunidade sobre um possível rug pull.

BNB Heroes

Em janeiro, o BNB Heroes entrou para a lista de jogos fraudulentos que foram lançados com o único objetivo de enriquecer os próprios criadores, sem entregar nada do prometido para a comunidade.

A empresa de segurança PeckShield reportou que uma grande quantidade de BNBH foi despejada no mercado pelo próprio endereço-mãe da criptomoeda.

Publicidade

O dump teve um efeito imediato no token, que viu sua cotação desabar em poucos minutos para R$ 0,02. Dois meses antes, a moeda chegava a valer R$26.

O BNB Heroes era um jogo de cartas colecionáveis em forma de NFT que chamou atenção no seu lançamento em novembro ao se promover como o primeiro jogo play-to-earn a recompensar os jogadores diretamente com Binance Coin (BNB), a criptomoeda nativa da Binance

Zodiacs

ZDC, a criptomoeda usada para recompensar os usuários do jogo play-to-earn Zodiacs, foi outra que perdeu praticamente todo o seu valor nas últimas semanas. 

O Zodiacs se descreve no seu white paper como um “jogo para apaixonados por corridas” que permite o jogador comprar NFTs de carros inspirados nos 12 signos do zodíaco para participar de corridas, de forma semelhante ao CryptoCars.

Em pouco tempo, o ZDC entrou em queda livre causada pelo desequilíbrio da economia do jogo que sucumbiu com a falta de novos jogadores.

A moeda bateu um preço recorde de R$ 1,04 em dezembro, mas atualmente vale 97% menos, negociada a R$ 0,02. 

Em meio a queda brusca, a equipe por trás do Zodiacs resolveu lançar uma segunda versão do game, com um novo token e contrato inteligente criado do zero.

O novo token (ZDCv2) até chegou a bater um recorde de R$ 0,06 após seu lançamento, mas não conseguiu escapar do mesmo destino do seu antecessor e atualmente vale R$ 0,01.

Plant vs Undead

O Plant vs Undead surgiu com a ambição de ser um Plants vs Zombies só que com tokens não fungíveis (NFT). A ideia é que os jogadores pudessem cultivar plantas e utilizá-las para batalhar contra criaturas “mortas-vivas” nos modos PvE e PvP.

Os indícios que o jogo poderia estar morrendo foram notados lá em setembro de 2021 pelo Portal do Bitcoin, quando a criptomoeda nativa PVU batia sua pior cotação na época, de US$ 2,66. Desde então, a situação não parou de piorar.

Cinco meses depois, o preço do token não passa de US$ 0,07 e o restante da comunidade que ainda acreditava na recuperação do jogo, perde as esperanças de ver o ativo voltar a se aproximar do seu preço recorde.

Dados do CoinGecko desta terça-feira (15) mostram que a cotação do PVU é 99,7% inferior à sua máxima histórica de US$ 25, alcançada em agosto do ano passado.

De lá para cá, a criptomoeda entrou em queda livre mesmo com os desenvolvedores do projeto trazendo novidades ao jogo. No início do ano, o Plant vs Undead lançou o Farm 3.0, atualização vendida como a grande salvação que iria tirar o jogo do fracasso.

A nova versão criou mais uma forma dos jogadores ganharem PVU ao implementar a modalidade de fazenda. Mais uma vez, a promessa não foi cumprida e a nova atualização não gerou qualquer efeito positivo no preço do PVU. Pelo contrário, o token desvalorizou 36% nos últimos 30 dias. 

No panorama geral, a economia do Plant vs Undead parece ter sido prejudicada por uma superpopulação de NFTs. No atual estado que o jogo se encontra, parece que nem mesmo os próprios criadores estão confiantes que o Plant vs Undead voltará a ter o sucesso do passado, uma vez que já trabalham em um novo jogo chamado Draft Survival.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Manhã Cripto: CVM aplica multa de R$ 55,8 milhões a Atlas Quantum e dono foragido

Manhã Cripto: CVM aplica multa de R$ 55,8 milhões a Atlas Quantum e dono foragido

A CVM multou a pirâmide financeira Atlas Quantum após identificar indícios “robustos e consistentes” de que tudo não passava de uma operação fraudulenta
CEO do MB Reinlado Rabelo em evento da CVM na USP

“A Bolsa é sim lugar de startups”, diz CEO do Mercado Bitcoin em evento da CVM

Reinaldo Rabelo participou do evento do “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil”
Moedas de Bitcoin sobre mesa espelhada

Bitcoin é uma “forma de arte” e uma moeda de desconfiança, diz filósofo Yuval Noah Harari

O filósofo, no entanto, mostrou desconfiar se realmente o Bitcoin será o futuro do dinheiro como algumas pessoas defendem
Tigran Gambaryan, chefe de compliance da Binance, posa para foto

Executivo da Binance preso na Nigéria vai parar no hospital após desmaiar em julgamento

O executivo da Binance Tigran Gambaryan passou mal durante seu julgamento na Nigéria e precisou ser hospitalizado