Imagem da matéria: Halving do Litecoin: ainda vale comprar?
(Foto: Shutterstock)

O que é halving?

Alguns meses atrás falamos sobre o halving (redução na emissão) do Bitcoin quando atingimos a marca de 17 milhões de moedas mineradas.

O processo de redução na emissão dos Litecoins em circulação é muito similar: ocorre a cada 840.000 blocos minerados, aproximadamente 4 anos.

Publicidade

O limite total de emissão do Litecoin é de 84 milhões de moedas e atualmente existem cerca de 62,9 milhões em circulação, ou 75% do total.

O prêmio atual que o minerador recebe pelo bloco é de 25 Litecoins e isto será reduzido em 50% a partir de 05 de agosto de 2019, no bloco 1.680.000

Qual o impacto no preço?

Repare no gráfico abaixo (preço em dólar) que antes do halving houve um pico, porém após a data não tivemos grandes emoções.

É difícil dizer o que irá acontecer em termos de preço, pois este evento só ocorreu uma única vez na história do Litecoin, em agosto de 2015.

Publicidade
(Imagem: CoinMetrics)

O que isso muda na minha vida?

Na teoria, se você não é minerador, nada é alterado. No entanto, você deve levar em conta que a maioria destes mineradores regularmente vende estas moedas que recebiam de prêmio.

Esses 15.600 Litecoins diários vão passar a ser 7.800, ou seja, reduz uma pressão vendedora. Estes mineradores precisam pagar contas de luz, manutenção e a própria compra dos equipamentos. 

Deveria subir neste período?

Embora seja positivo no aspecto de reduzir a pressão vendedora, ao mesmo tempo há uma queda no interesse dos mineradores em continuar trabalhando a moeda.

Muitos vão simplesmente trocar por outras que utilizam o mesmo algoritmo Scrypt, como Verge (XVG) ou Digibyte (DGB).

No entanto, dado que o Litecoin é muito maior do que estas competidoras em termos de mineração, devemos assumir que a maioria irá continuar.

Publicidade

Este evento já estava programado e não deve ser um ‘fator surpresa’ para ninguém. Por este motivo, não esperamos impacto em termos de preço.

Quais fatores causam alta?

Tudo resume-se à demanda. Se o total comprado por dia permanecer mais ou menos como era antes do halving, o mercado aos poucos deve se ajustar e buscar um patamar mais alto de preços.

A verdade é que Litecoin compete com diversas outras moedas como Ripple (XRP), Bitcoin Cash (BCH), Stellar (XLM), Dogecoin (DOGE) e Bitcoin Gold (BTG).

Quanto mais entregarem em termos de parceria e tecnologia, maiores chances da moeda subir.

É pra ignorar o halving?

De forma alguma. Se por algum motivo o hash power (poder de mineração) da moeda cair muito após o halving e não retomar nas semanas seguintes, trata-se de uma sinalização muito ruim.

Se os mineradores estão abandonando o barco, sinaliza que investidores de médio-longo prazo não estão acreditando no potencial da moeda.

Publicidade

Dá pra acompanhar isso diariamente no BitInfoCharts.

Sobre o autor

Marcel Pechman atuou como trader por 18 anos nos bancos UBS, Deutsche e Safra. Desde maio de 2017 faz arbitragem e trading de criptomoedas, além de ser cofundador do site de análise de criptos RadarBTC

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem de Glaidson Acácio dos Santos, mais conhecido como Faraó do Bitcoin

Gilmar Mendes mantém prisão de Glaidson Acácio dos Santos, criador da GAS Consultoria

A defesa do ‘Faraó do Bitcoin’ alegou problemas psiquiátricos e uso de medicamento controlado, além de questionar a jurisdição acerca da competência para os processos
Policial algemando suspeito durante a noite

Médico perde R$ 500 mil em criptomoedas após encontro por aplicativo e sequestro; suspeitos são presos

Os sequestradores que aplicaram o famoso ‘golpe do amor’ foram presos rapidamente pela PM de SP; Polícia Civil investiga o paradeiro dos ativos
logo do bitcoin em cima de livro

Goiânia recebe lançamento do livro “101 Perguntas Sobre Bitcoin”

A obra da Editora Portal do Bitcoin escrita pelo engenheiro Breno Brito serve como um guia para compreensão da criptomoeda mais popular do mundo; veja como participar
Sede da Braiscompany em Campina Grande, Paraíba

TRF anula contrato e Braiscompany é condenada a pagar R$ 50 mil a cliente

O contrato de serviço de cessão temporária de criptoativos foi anulado pela 17ª Vara Cível de Brasília