Imagem da matéria: Hackers derrubam agência de imigração da Argentina e pedem resgate de US$ 4 milhões em bitcoin
(Foto: Shutterstock)

A agência de imigração da Argentina, Dirección Nacional de Migraciones (DNM), foi vítima de um ataque de ransomware que interrompeu temporariamente o controle das fronteiras, com hackers exigindo US$ 4 milhões em Bitcoin.

O ataque foi relatado pela primeira vez pelo governo argentino em 27 de agosto para a agência de crimes cibernéticos do país, depois que várias ligações de postos de controle de fronteira sugeriram que suas redes de computadores estavam comprometidas, de acordo com o site de notícias de segurança Bleeping Computer.

Publicidade

As autoridades descobriram que seus sistemas, incluindo aplicativos da Microsoft e pastas compartilhadas, foram atingidos por um vírus não identificado durante a madrugada. Eles agiram rapidamente e desligaram os servidores centrais para evitar que o vírus se propagasse para outros sistemas.

Como consequência, todos os escritórios de imigração argentinos e postos de controle ficaram fora do ar por quatro horas até serem restabelecidos.

“O Sistema de Captura de Migrações (SICaM) que opera em travessias internacionais foi afetado, o que causou atrasos na entrada e saída para o território nacional”, afirmou a DNM.

Os invasores exigem US$ 4 milhões em Bitcoin

Os invasores foram posteriormente identificados pelas autoridades como NetWalker, uma operação de ransomware que visa redes de computadores corporativos. Seu padrão usual de ataque é criptografar – ou colocar uma senha – em todos os aplicativos da Microsoft, como Word, Excel e Office, na rede da vítima. Um resgate é então exigido em troca da senha.

Publicidade

Os hackers do NetWalker que atacaram a agência de imigração da Argentina enviaram uma mensagem de pagamento levando a uma página da rede Tor, exigindo US$ 2 milhões em Bitcoin como resgate. Esse valor foi alterado para US$ 4 milhões após sete dias, aproximadamente 355 Bitcoins na época, de acordo com o relatório.

No entanto, os funcionários não fizeram nada. Eles disseram ao canal de notícias local Infobae que “não negociarão com hackers e nem estão muito preocupados em obter esses dados de volta”.

O relatório observou que, embora os ataques cibernéticos contra empresas locais e administrações municipais sejam comuns – na verdade, uma das maiores empresas de telecomunicações da Argentina foi atingida por um ataque de ransomware em julho – esta pode ter sido a primeira envolvendo diretamente os controles de fronteira de um país.

VOCÊ PODE GOSTAR
dupla de homens sendo presa

Irmãos são presos por roubo de R$ 130 milhões em ataque de 12 segundos na rede Ethereum

O procurador americano Damian Williams disse que “este suposto esquema era novo e nunca havia sido acusado antes”
Anic de Almeida Peixoto Herdy é casada com herdeiro da Unigranrio

Herdeira é sequestrada em Petrópolis e criminosos exigem resgate em Bitcoin

Técnico de informática amigo do casal conversou com sequestradores por entender de criptomoedas e foi preso por suspeita de envolvimento
Cachorro Shiba Inu que inspitou Dogecoin

Kabosu, a cachorrinha que inspirou a Dogecoin, falece aos 18 anos

Kabosu sofria de doença crônica e já era muito idosa; segundo sua dona, a cachorrinha “faleceu silenciosamente”
Imagem da matéria: Questões sociais são desafio para debate do Bitcoin, diz autor de livro da Editora Portal do Bitcoin

Questões sociais são desafio para debate do Bitcoin, diz autor de livro da Editora Portal do Bitcoin

“Parte técnica você descreve como funciona e acabou. Nas vacas sagradas leva um bom tanto de desconstrução de conceitos”, diz Breno Brito