Imagem da matéria: Hacker é descoberto e devolve R$ 128 milhões roubados de empresa de empréstimos de criptomoedas
(Foto: Shutterstock)

Em um movimento em princípio inusitado, o hacker que havia roubado quase US$ 24,3 milhões — o equivalente a cerca de R$ 128 mi — da plataforma chinesa de empréstimos de criptomoedas dForce devolveu quase integralmente o dinheiro.

De acordo com o portal The Block, a devolução aconteceu em duas etapas. Uma parte menor, de US$ 2,79 milhões, retornou à dForce ainda na segunda-feira (20), enquanto o restante — cerca de US$ 22 milhões — voltou para a plataforma nesta terça-feira (21).

Publicidade

O CEO da 1inch.exchange, Sergej Kunz, disse ao The Block que os autores do ataque devolveram o dinheiro porque o endereço de IP da empresa foi compartilhado com a polícia de Singapura para ajudar na investigação. A ideia, segundo o executivo, era justamente pressionar o responsável pela ação criminosa.

“Recebemos um pedido da polícia de Singapura e estávamos ajudando o dForce. Com base no pedido, entregamos à polícia os endereços IP e as metainformações sensíveis, que o hacker acelerou usando nossa CDN”.

Ainda de acordo com o The Block, os fundos devolvidos agora representa um pouco menos do que o valor roubado. Isso porque o autor do ataque converteu alguns deles, que desvalorizaram.

Entenda o caso

No último dia 19 o dForce, apoiado pela Multicoin Capital, sofreu um ataque que gerou um desfalque que totalizou quase US$ 25 milhões em stablecoins, bitcoin e ethereum. O alvo foi o Lendf.Me, o protocolo de empréstimos da plataforma.

Publicidade

O ataque foi confirmado pelo CEO do dForce, Mindao Yang, que também informou que estavam sendo tomadas as medidas cabíveis sobre o caso.

Em postagem na plataforma Medium, Yang também pediu desculpas aos usuários pelas falhas que possibilitaram a ação hacker.

“Este ataque foi falha minha. Embora eu não o tenha executado, eu deveria ter antecipado e tomado medidas para evitá-lo. Meu coração está ferido por todos, e farei tudo ao meu alcance para corrigir isso. Peço sinceras desculpas aos nossos usuários, aos nossos novos investidores e à minha equipe por decepcioná-los”.

Yang disse ainda que ele próprio teve ativos roubados na ação contra a dForce.

No último dia 15, o dForce havia anunciado a captação de financiamento de US$ 1,5 milhão liderado pela Multicoin Capital, com a participação da Huobi Capital e do China Merchants Bank International (CMBI), o braço de investimentos de um dos maiores bancos do gigante asiático.

O diretor da Multicoin Capital, Mable Jiang, que liderou o investimento na dForce, se recusou a comentar sobre a devolução dos fundos roubados. A dForce ainda não se pronunciou oficialmente sobre o retorno do dinheiro.


Compre Bitcoin na Coinext 

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
cão e sapo que representam memecoins

Hype das memecoins em Solana impulsiona receita da Pump.fun acima de US$ 30 milhões

A plataforma de criação de tokens de baixo custo chegou a arrecadar US$ 1,48 milhão em um dia, impulsionada por projetos de moedas que incluem celebridades
Rainha Das Criptomoedas, Ruja Ignatova, posa para foto

Há mais evidências de que a “Rainha das Criptomoedas” foi assassinada por chefão das drogas, diz BBC

Podcast da BBC sugere que relatos anteriores sobre o assassinato da búlgara Ruja Ignatova são verdadeiros
Vitalik Buterin posa para foto na ETH Taipei 2024

Criador do Ethereum, Vitalik Buterin explica qual é o erro dos tokens de celebridades

O veterano do setor cripto criticou a captação de dinheiro pelas estrelas, afirmando que o hype pode ser aproveitado para fazer o bem
Imagem da matéria: Itaú passa a permitir compra e venda de Bitcoin e Ethereum para todos os clientes íon

Itaú passa a permitir compra e venda de Bitcoin e Ethereum para todos os clientes íon

Um dos pontos ressaltados pelo Itaú é que o banco oferece custódia própria de criptoativos, em tecnologia desenvolvida internamente