Imagem da matéria: Governo dos EUA dá 15 dias para FTX tirar do ar declarações “falsas e enganadoras”
Foto: Shutterstock

Cinco empresas de criptomoedas, incluindo a FTX US — subsidiária americana da FTX, a corretora de Sam Bankman-Fried —, receberam nesta sexta-feira (19) cartas de cessação e desistência (“cease-and-desist”) da Corporação Federal de Seguros de Depósitos dos EUA (FDIC).

Os sites Cryptonews.com, Cryptosec.info, SmartAsset.com e FDICCrypto.com também receberam as mesmas ordens que a agência afirma serem em resposta a “falsas declarações” de que seus produtos tinham seguro da FDIC.

Publicidade

Em todos os casos, as empresas têm 15 dias para remover as declarações infratoras de seus sites e contas em redes sociais e enviar confirmações por escrito à FDIC.

Em sua carta à FTX US, a FDIC chamou a atenção para um tuíte agora deletado publicado pelo CEO Brett Harrison no dia 20 de julho, afirmando que “depósitos diretos de empregadores à FTX US são armazenados em contas bancárias asseguradas pela FDIC em nome dos usuários”.

“Realmente não queríamos enganar ninguém”, tuitou Harrison nesta sexta-feira em resposta à carta, “e não sugerimos que a FTX em si, ou que ativos cripto/não fiduciários, se beneficiavam do seguro da FDIC”.

Harrison acrescentou que espera “fornecer clareza” sobre as intenções da empresa.

A agência americana afirma que Cryptonews.com publicou resenhas de corretoras de criptomoedas afirmando que Coinbase, eToro US, Crypto.com e Gemini eram asseguradas pela FDIC.

Publicidade

Já em relação a CryptoSec.com e SmartAsset.com, a reguladora chamou a atenção a páginas nos sites que incluíam listas de “corretoras de criptomoedas asseguradas pela FDIC”.

No FDICCrypto.com, a agência alega que o dono do site registrou o domínio no fim de julho e redirecionou o tráfego para outro site que oferece produtos cripto. A FDIC exige que o dono pare imediatamente de usar o nome de domínio.

Como começou as investigações

As cartas foram enviadas dias após o senador Pat Toomey publicar uma carta que havia enviado à agência bancária, afirmando que seu gabinete havia recebido diversos testemunhos de delatores de que “funcionários na sede da FDIC na capital de Washington exigiram que os escritórios regionais da FDIC enviassem cartas a diversos bancos, pedindo que evitassem expandir suas relações com empresas relacionadas a cripto”.

Na quarta-feira (17), a FDIC contou ao Decrypt que suas ações eram consistentes com sua responsabilidade em garantir que bancos interagissem com cripto de forma segura.

Publicidade

“Isso pode envolver a solicitação pela FDIC de que uma instituição atrase o início ou evite a expansão de atividades relacionadas a cripto até que o feedback supervisório seja levado em consideração”, afirmou um porta-voz via e-mail.

“Dados os riscos aparentes nos mercados de criptoativos, essas são ações necessárias e apropriadas a serem tomadas.”

*Traduzido por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

Quer investir em ativos digitais, mas não sabe por onde começar? O Mercado Bitcoin oferece a melhor e mais segura experiência de negociação para quem está dando os primeiros passos na economia digital. Conheça o MB!

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Brasileiros importam R$ 8,9 bilhões em criptomoedas em abril apesar da queda do Bitcoin

Brasileiros importam R$ 8,9 bilhões em criptomoedas em abril apesar da queda do Bitcoin

Volume importado de criptomoedas mais que dobrou em abril em comparação com o mesmo período de 2023
Imagem da matéria: Coinbase sai do ar durante madrugada após interrupção do sistema

Coinbase sai do ar durante madrugada após interrupção do sistema

Embora a Coinbase tenha informado nesta manhã que o problema estava resolvido, sua página de status ainda indica que o app móvel e site estão com “desempenho prejudicado”
Imagem da matéria: EUA acusam  2 chineses de lavarem US$ 73 milhões em esquema com criptomoedas

EUA acusam 2 chineses de lavarem US$ 73 milhões em esquema com criptomoedas

O Departamento de Justiça acusou Daren Li e Yicheng Zhang de orquestrar um esquema com criptomoedas de “abate de porcos”
Presidente do Banco Central Roberto Campos Neto falando diante de um microfone

Presidente do Banco Central se reúne com MB um dia após anunciar agenda da regulação do mercado cripto

O Banco Central divulgou ontem os próximos passos para a regulação do setor cripto e espera concluir o processo até o final de 2024