Imagem da matéria: Governador propõe criação de peso digital ao presidente da Argentina
Foto: Shutterstock

O peso digital pode servir como uma fonte de investimentos alternativa para os argentinos, na visão de Raúl Jalil, governador da Província de Catamarca. Ele propôs a criação de uma moeda digital oficial (CBDC) a Alberto Fernández, presidente da Argentina, na última semana, de acordo com o jornal El Alancasti.

Nessa linha, o governador planeja iniciar a digitalização de forma local, na própria província, por meio da tokenização dos royalties de mineração. Ele também deseja que o governo federal argentino auxilie na criação do peso digital.

Publicidade

“O desenvolvimento de instrumentos financeiros digitais foi acelerado, nesse momento de falta de oportunidades de investimentos e em meio à crise global provocada pela Covid-19”, declarou o político ao jornal. Ele acredita que os ativos digitais podem potencializar o desenvolvimento local, diz a publicação.

Jalil quer apoiar a economia da Catamarca e da Argentina através das criptomoedas, das carteiras digitais, da tokenização de ativos e do crowdfunding, sugere o portal. Assim, ele pensa em criar uma moeda digital nacional ou até mesmo provincial, caso exista o respaldo do governo argentino.

Porém, antes disso, o governador clama por um marco regulatório sobre o tema. A legislação deve “proteger os investidores, velar pela justiça e facilitar a formação de capital”, alegou ao jornal. A proposta de Jalil contém 10 páginas e é intitulada “A necessidade de uma estratégia fintech no país”, de acordo com o portal iProUp.

A economia argentina passa por apuros há anos, com o aumento da inflação e a desvalorização da moeda local. Desse modo, o acumulado da inflação, em 2020, foi de 36%, de acordo com o Valor Econômico. Ademais, o dólar valorizou aproximadamente 40% em relação ao peso no mesmo período, segundo os dados do TradingView.

Publicidade

Internautas argentina criticam solução

Diversos internautas criticaram a possibilidade de criação de um “Bitcoin argentino” no Twitter. “Não precisamos de um Bitcoin Argentino; necessitamos que a Argentina adote o Bitcoin,” afirmou o perfil “Tech con Catalina“.

“Me pergunte como vamos na Venezuela, com o Petro (criptomoeda estatal)! Certamente não é uma ideia ruim, mas necessita de um grande investimento e infraestrutura. Infelizmente, para nós, não está funcionando. Isso não quer dizer que a história vai se repetir na Argentina”, argumentou Jhoan Viñas.

Para a maior parte dos usuários que comentaram na publicação de Catalina, a volatilidade do peso e a centralização econômica pesarão contra o sucesso de uma eventual criptomoeda argentina. “O valor do Bitcoin não está no código, que é aberto, mas sim na REDE. Na confiança por trás de cada nó, de cada minerador. Quem confia no peso argentino?”, provocou o perfil Davidvnzla13.

VOCÊ PODE GOSTAR
Cachorro Shiba Inu que inspitou Dogecoin

Kabosu, a cachorrinha que inspirou a Dogecoin, falece aos 18 anos

Kabosu sofria de doença crônica e já era muito idosa; segundo sua dona, a cachorrinha “faleceu silenciosamente”
Moeda prateada da Chainlink com reflexo em um fundo roxo

Chainlink sobe 18% ao lançar projeto piloto em Wall Street com JP Morgan, BNY Mellon e DTCC

A DTCC anunciou que acaba de concluir um projeto piloto de tokenização com gigantes de Wall Street, como JP Morgan e BNY Mellon, aproveitando o CCIP da Chainlink
trader segura moeda de bitcoin em frente a grafico em computador

Bolsa de Chicago planeja lançar negociação de Bitcoin à vista, diz jornal

O objetivo é capitalizar a crescente demanda este ano entre os gestores de Wall Street para ganhar exposição ao setor de criptomoedas
Arte de robô observando por trás usuária de computador

Novo PC da Microsoft que grava tudo é “spyware” e será alvo de hackers, alertam especialistas

Os críticos dizem que novo PC centrado em IA da Microsoft é um pesadelo de privacidade