Imagem da matéria: Gestora brasileira de criptomoedas pede cautela a clientes com alta do bitcoin
Foto: Shutterstock

A gestora brasileira Hashdex enviou um alerta a seus investidores e parceiros cotistas, devido ao aumento na procura de investidores por fundos de criptomoedas motivada pela alta do bitcoin. A carta é um pedido de cautela, no qual a empresa reitera a sugestão de disciplina e serenidade, como fez em março passado.

A mensagem, cujo conteúdo foi compartilhado com o Portal do Bitcoin, enaltece a visão da empresa sobre a situação daquela época, onde pode recomendar alguns cuidados com investimentos naquele cenário. Agora, porém num cenário positivo, a Hashdex disse que não será diferente.

Publicidade

A empresa descreve que, diferentemente de 10 meses atrás, o cenário hoje é de um forte bull market dos criptoativos, mas que mesmo assim, acredita que a empresa deve reiterar os seus princípios. “Isso porque, em situações extremas, seja com o mercado em queda ou em alta, é natural agirmos por impulso e esse comportamento pode ser bastante deletério ”, alertou. 

A fenomenal escalada dos criptoativos, diz o texto, e, notadamente, do bitcoin, deixa todos com a sensação de que deveriam ter investido mais, independentemente da parcela do capital já alocada na classe

“Nessas horas, é importante ter em mente que, apesar de apresentar uma rentabilidade histórica fora de série, a classe dos criptoativos é muito mais volátil que qualquer outra”, escreveu, acrescentando: 

“A queda de mais de 15% do Bitcoin em 24 horas poucos dias atrás foi um lembrete disso. Assim sendo, reforçamos aqui os dois princípios que repetimos quase como uma mantra”.

Publicidade

Longo prazo

O primeiro deles, escreveu a empresa, diz respeito ao tamanho da alocação em criptoativos no seu portfólio. Ela explica que sempre recomendou o percentual de um dígito para alocação em fundos de criptomoedas para a maioria dos perfis de risco.

“É importante que o tamanho da alocação seja tal que, mesmo em um cenário adverso de forte queda, o investidor sinta-se confortável para mantê-la. Além disso, por ter oscilações muito diferentes dos ativos tradicionais, os criptoativos demandam rebalanceamentos de portfólio mais frequentes”, diz um trecho da carta.

O outro princípio, continuou a Hasdex, diz respeito ao ‘horizonte de investimento’, ou seja, a curto, médio ou longo prazo. Sobre isso, ela explicou: “Por mais que sejam tentadoras as oportunidade de buscar lucros rápidos nos momentos em que o mercado sobe tão aceleradamente, acertar o timing é extremamente difícil”.

A Hashdex recomendou ainda que que os investimentos em criptoativos sejam idealizados em anos e deu um exemplo: quem investiu em bitcoin no final de 2017 só veio a ter retorno positivo no final de 2020. “Três anos depois”, destacou.

Publicidade

Por fim, a empresa disse que segue extremamente confiante com o futuro do mercado de criptoativos no longo prazo e que a tecnologia blockchain irá mudar o mundo para melhor.

“Nossa visão é de que essa classe de ativos deve fazer parte de praticamente qualquer carteira de investimentos”, concluiu. 

VOCÊ PODE GOSTAR
Vitalik Buterin posa para foto na ETH Taipei 2024

Criador do Ethereum, Vitalik Buterin explica qual é o erro dos tokens de celebridades

O veterano do setor cripto criticou a captação de dinheiro pelas estrelas, afirmando que o hype pode ser aproveitado para fazer o bem
moedas de bitcoin e letras ETF

Fundos de Bitcoin e Ethereum atraem outros US$ 185 milhões em meio ao hype do ETF de ETH

Os fundos cripto em todo o mundo arrecadaram US$ 15 bilhões até agora, com a maior parte do dinheiro recente fluindo para ETFs de Bitcoin à vista
Smartphone sobre dólares mostra logo Axie Infinity

Polícia da Noruega recupera e devolve R$ 30 milhões do hack da Axie Infinity

A polícia norueguesa para crimes financeiros recuperou e congelou os fundos do hack de 2022 que envolveu a sidechain Ronin
Imegem aérea feita pela ANDE de fazenda de mineração de bitcoin em Canindeyú

Polícia do Paraguai desmonta fazenda de mineração de Bitcoin com 2.700 ASICs

Ação na cidade de Canindeyú contou mais uma vez com a ajuda da inteligência artificial para identificar variações na carga da rede elétrica