Celular com gráficos de ações e criptomoedas em queda no fundo
Shutterstock

A plataforma de crédito cripto Genesis Global Capital entrou na sexta-feira (20) com pedido de proteção contra credores sob o Capítulo 11 da Lei de Falências dos EUA, depois de ser atingida pelo colapso da FTX em 2022. Para iniciar o processo, enviou documentos para a Justiça que mostram o tamanho do estrago: a empresa deve bilhões de US$ 5,1 bilhões de dólares para diversos credores.

Umas das companhias afetadas é a Ripio, que tem US$ 27 milhões (R$ 140 milhões) para receber da Genesis. A informação está na petição apresentada plataforma de crédito. O documento mostra que essa dívida é por conta de um empréstimo feito pela Ripio.

Publicidade

Os desdobramentos desse episódio podem afetar o mercado brasileiro. A Ripio adquiriu em dezembro de 2020 a corretora argentina Bitcointrade. A exchange é uma das que mais transacionam criptomoedas no Brasil.

Petição da Genesis mostra longa lista de dívidas multimilionárias

Dívida de R$ 3,9 bilhões

A lista de credores da Genesis assusta. A empresa deve US$ 765 milhões (R$ 3,9 bilhões) para a Gemini, corretora dos irmãos Winklevoss e que travou os saques de seus clientes desde novembro.

Maior dívida é com a corretora Gemini, dos irmãos Winklevoss

Cameron Winklevoss foi ao Twitter na sexta-feira (20) comemorar a decisão da Genesis de iniciar o processo da falência. Segundo o empresário, “é um passo crucial para que possamos recuperar os seus [clientes] ativos”.

O executivo afirmou que o processo de falência irá permitir que se possa descobrir quais operações fizderam a situação chegar ao ponto que se encontra. “Nós vamos usar todas as ferramentas disponíveis no tribunal de falências para maximizar a recuperação dos clientes”, disse.

Publicidade

A Genesis é uma empresa do conglomerado Digital Currency Group (DCG), que agora vem tentando se salvar. O problema com a Genesis teve como gatilho a quebra da FTX e agora ameaça acabar com todo o grupo. Em busca de liquidez, a DCG quer vender o portal Coindesk e um grupo financiado pela Binance já demonstrou interesse em comprar.

O criador da Gemini vem há semanas fazendo publicações contra a DCG, cobrando respostas e ameaçando medidas mais severas. O pedido de falência não fez com que ele abaixasse o tom: “”A decisão da Genesis de inicar o processo de falência não inviabiliza a DCG de ser responsabilizada”.

Foram afetados 340 mil clientes da Gemini, conforme informação do próprio Cameron.

Procurada, a Rípio mandou a nota abaixo:

Baseado em nosso longo relacionamento com o DCG e todas as suas subsidiárias, incluindo Coindesk, a Ripio confiou uma parte de seus recursos de tesouraria à Genesis. Os produtos da Ripio e os fundos dos usuários não foram comprometidos de forma alguma por esta situação. O montante não afeta nossos planos para o futuro e estamos trabalhando incansavelmente com todas as partes interessadas para uma resolução rápida do problema.

*Atualização: a reportagem foi alterada para constar o posicionamento da Rípio.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: El Salvador já minerou R$ 154 milhões em Bitcoin usando energia de vulcão

El Salvador já minerou R$ 154 milhões em Bitcoin usando energia de vulcão

A mineração de Bitcoin é feita com energia do vulcão Tecapa, usando 300 processadores voltados para essa atividade
Imagem da matéria: Fundador do Telegram diz que manterá seus tokens do Notcoin até multiplicarem por 100

Fundador do Telegram diz que manterá seus tokens do Notcoin até multiplicarem por 100

Pavel Durov detém 1% do maior token de jogo deste ano, doado pelos jogadores. E ele não está vendendo seus Notcoin – não agora, pelo menos
Imagem da matéria: EUA acusam  2 chineses de lavarem US$ 73 milhões em esquema com criptomoedas

EUA acusam 2 chineses de lavarem US$ 73 milhões em esquema com criptomoedas

O Departamento de Justiça acusou Daren Li e Yicheng Zhang de orquestrar um esquema com criptomoedas de “abate de porcos”
miniatura de homem sob pulpito e moeda gigante de bitcoin ao lado

Brasileiros não podem usar criptomoedas para fazer doações nas eleições municipais

A Procuradoria-Geral da República explicou as regras de doações para as eleições municipais de 2024