Imagem da matéria: FBI faz batida na casa de ex-executivo da corretora FTX
Shutterstock

Na madrugada desta sexta-feira (28), o FBI (Federal Bureau of Investigation) revistou a casa em Washington de Ryan Salame, ex-executivo da falida corretora FTX, de acordo com uma reportagem do The New York Times.

Salame, que anteriormente foi um dos líderes da operação da FTX nas Bahamas, está sob investigação como parte da apuração sobre o colapso da exchange de criptomoedas.

Publicidade

As autoridades estão analisando US$ 24 milhões em doações políticas que Salame fez durante as eleições legislativas do ano passado. Uma das possibilidades é que a maioria do total de US$ 90 milhões doados por ex-funcionários da FTX — inclusive para a campanha do polêmico representante republicano George Santos — foi retirado dos fundos dos clientes.

O Decrypt entrou em contato com o advogado de Ryan Salame, Jason Linder, que se recusou a comentar a investigação.

O patrimônio de Salame aumentou substancialmente durante o boom do mercado cripto, já que ele teria obtido US$ 87 milhões em bônus e empréstimos da empresa de formação de mercado da FTX, a Alameda Research.

Após o colapso da FTX em novembro, documentos judiciais obtidos pelo Wall Street Journal revelaram que Salame — então presidente da FTX Digital — avisou as autoridades das Bahamas do fato da exchange de criptomoedas estar usando fundos de clientes para cobrir perdas da Alameda.

De acordo com a reportagem do The New York Times, os promotores alegam que Bankman-Fried recrutou executivos — incluindo Salame, que ingressou na empresa em 2021 — para atuar como procuradores de sua empresa e doar dezenas de milhões de dólares para candidatos tanto Republicanos e Democratas.

Publicidade

Durante uma sessão de “relações públicas”após a queda da FTX em 2022, Bankman-Fried disse em uma entrevista que doou aproximadamente o mesmo montante a ambas as partes.

“Todas as minhas doações republicanas foram escondidas”, disse Bankman-Fried, citando o caso Citizens United U.S. Supreme Court, que protegia doações políticas de corporações e sindicatos, levantando preocupações sobre o dinheiro corporativo na política.

Antes do colapso, a FTX era avaliada em US$ 32 bilhões. O fundador da FTX, Sam Bankman-Fried, pode pegar prisão perpétua por conta de múltiplas acusações de lavagem de dinheiro, conspiração e fraude eletrônica.

*Traduzido por Gustavo Martins com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Fazenda de Mineração de criptomoedas Salto del Guairá Paraguai -ANDE

Paraguai usa inteligência artificial para encontrar fazenda ilegal de mineração de Bitcoin

Autoridades apreenderam 176 ASICs em Saltos de Guairá com ajuda de sistema que mede a tensão de redes elétricas
Imagem da matéria: Trader transforma US$ 27 mil em US$ 2 milhões ao antecipar alta da GameStop

Trader transforma US$ 27 mil em US$ 2 milhões ao antecipar alta da GameStop

O súbito ressurgimento das ações “memes” nesta semana rendeu uma pequena fortuna aos traders que nunca desistiram das loucuras de 2021
martelo de juiz com logo da binance no fundo

Governo dos EUA contrata empresa para monitorar a Binance

A Forensic Risk Alliance venceu a disputa contra a Sullivan & Cromwell, que atuou no caso FTX
Imagem da matéria: Dogecoin está se aproximando de uma "cruz dourada": o que isso significa?

Dogecoin está se aproximando de uma “cruz dourada”: o que isso significa?

Média móvel simples de 50 semanas (SMA) do preço spot da Dogecoin está atualmente em alta e pode passar barreira das 200 semanas