Imagem da matéria: Faculdades brasileiras discutem com MEC a emissão de diplomas via blockchain
(Foto: Shutterstock)

O Ministério da Educação (MEC) tem estimulado as faculdades brasileiras a criarem uma solução blockchain que torne a emissão de diplomas digitais independente.

O objetivo, segundo o Valor Econômico, é a autorregulação, ou seja, as entidades entendem que é preciso criar uma instituição para funcionar como uma agência reguladora.

Publicidade

Para isso, o setor iniciou estudos para desenvolver uma plataforma de blockchain exclusiva para registro e emissão dos documentos.

A solução já existe, como acontece na Universidade Federal da Paraíba (UFPB). A instituição começou a expedir diplomas emitidos via blockchain no ano passado.

A nova medida está sendo defendida pelo pelo ministro Abraham Weintraub ao longo do ano passado. Pelo menos 14 entidades já estão focadas na nova solução, cujo financiamento deve vir delas próprias, diz o jornal.

Blockchain para prevenção de fraudes

Segundo o jornal, Gilberto Garcia, ex-presidente do Conselho Nacional de Educação (CNE) estará à frente na coordenação do novo grupo de trabalho.

A ideia, disse Garcia, é criar uma plataforma blockchain para proteger diplomas de todas as universidades particulares e também das públicas, com foco na prevenção de fraudes.

Publicidade

“Nessa autorregulação dos diplomas, você poderia não só ter o registro, mas lançar todos os dados históricos das instituições, algo que sempre é um trabalho difícil para o MEC localizar”.

Solução blockchain pode demorar

De acordo com a reportagem, mesmo com o consenso de ambos os lados, uma autorregulação deve ser difícil a curto prazo. Isso porque as novas soluções vão depender de estarem de acordo com as leis do país.

Além disso, tem o lado da prática — “operacionalização administrativa” — que também levaria um tempo para adaptar ao setor.

Ações do MEC

Atualmente na prática, o processo de emissão de diplomas já ocorre de maneira descentralizada, desde que o MEC flexibilizou as regras para a emissão de diplomas em 2017.

Publicidade

Na ocasião, um decreto tirou das universidades a exclusividade do serviço.

No entanto, após a ação, houve um crescimento de falsificações. No ano seguinte, então, o MEC a estabeleceu um cronograma para que as universidades federais adotassem diplomas digitais.

BitcoinTrade: Depósitos aprovados em minutos!

Cadastre-se agora! Eleita a melhor corretora do Brasil. Segurança, Liquidez e Agilidade. Não perca mais tempo, complete seu cadastro em menos de 5 minutos! Acesse: bitcointrade.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Glaidson Acácio dos Santos, o "Faraó do Bitcoin"

Livro sobre a ascensão e a queda do “Faraó do Bitcoin” chega às livrarias em maio

Os jornalistas Chico Otávio e Isabela Palmeira contam sobre o golpe de R$ 38 bilhões do Faraó do Bitcoin que usou criptomoedas como isca
graficos vermelhos em queda

Investidores sacam R$ 1 bilhão de projeto DeFi da Solana após renúncia de CEO

O fundador da Marginfi anunciou sua renúncia em meio a um turbilhão de controvérsia e desentendimento operacional
Imagem da matéria: Times de futebol vão distribuir NFTs ao longo do Brasileirão; Veja como ganhar

Times de futebol vão distribuir NFTs ao longo do Brasileirão; Veja como ganhar

Atlético-MG, Bahia, Flamengo, Fluminense, Palmeiras, Internacional, São Paulo e Vasco da Gama são times que integram a nova campanha da Chiliz
Imagem da matéria: Scarpa quer desfecho de ação contra Willian Bigode por golpe cripto: “Já passou da hora”

Scarpa quer desfecho de ação contra Willian Bigode por golpe cripto: “Já passou da hora”

O jogador do Atlético Mineiro está desde o ano passado atrás dos valores investidos na WLJC Gestão Financeira através de Bigode