Imagem da matéria: Exchange Brasileira diz que Não Consegue Encontrar Profissionais de Criptomoedas

A falta de profissionais especializados faz com que empresas do mercado de criptomoedas passem pelas mesmas dificuldades daquelas dos anos 90, quando, então, a internet começou a se popularizar, ou após os anos 2000, quando aplicativos para smartphones começaram a encher os olhos dos consumidores.

Trabalhar nesse novo segmento requer, no mínimo, saber o que são as criptomoedas, como funciona sua tecnologia e, o mais importante, o que ela representa no mercado financeiro atualmente. Ainda assim, essas poucas habilidades serviriam apenas para funções mais simples, como atendimento ao cliente, por exemplo.

Publicidade

Com o crescimento do ecossistema criptográfico, surgem novas demandas por profissionais específicos para atuar nas áreas de Direito digital, contabilidade, desenvolvimento e muitas outras.

Em nota à imprensa, Alexander Horta, diretor da corretora brasileira Bitcointoyou, com sede em Betim, Minas Gerais, relata que houve um crescimento inesperado no mercado de criptomoedas e não existiu tempo para a especialização dos profissionais.

“Temos que capacitar todos os profissionais que contratamos. É um trabalho constante de atualização e desenvolvimento. Por ser um setor muito dinâmico, a todo momento temos novidades que devem ser implementadas, exigindo um perfil extremamente adaptável e ágil”, disse o executivo.

Horta ressalta que a capacitação para atuar no novo mercado não é só para iniciantes, mas também para aqueles que já atuam há anos no mercado financeiro convencional.

Publicidade

“São novas ferramentas, novos meios de controle, de segurança, de cadastro, de compliance… É um mundo totalmente novo. Tudo está sendo criado praticamente do zero. Isso faz com que todas as áreas, desde a programação até a área jurídica, tenha que se especializar em criptomoedas”, frisou o diretor.

Segundo a diretoria da Bitcointoyou, a empresa, dentre tantas, tem dificuldade de encontrar Traders, que são responsáveis pelo acompanhamento diário das cotações e realizam operações financeiras, Programadores Blockchain, que registram todas as atividades, Especialistas em fintechs para inovações tecnológicas constantes, e Especialistas em regulamentação, os quais têm a função de juntar e acompanhar documentação para órgãos oficiais.

 

BitcoinTrade

Comprar e vender Bitcoin e Ethereum ficou muito mais fácil. A BitcoinTrade é a plataforma mais segura e rápida do Brasil. Além disso, é a única com a certificação de segurança PCI Compliance. Acesse agora ou baixe nosso aplicativo para iOs ou Android: https://www.bitcointrade.com.br/

VOCÊ PODE GOSTAR
Moedas de Bitcoin sobre mesa espelhada

Estudo mostra que 61% dos investidores brasileiros não pretendem vender Bitcoin

Pesquisa realizada pela Bitget releva otimismo pós-halving do Bitcoin
CEO do MB Reinlado Rabelo em evento da CVM na USP

“A Bolsa é sim lugar de startups”, diz CEO do Mercado Bitcoin em evento da CVM

Reinaldo Rabelo participou do evento do “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil”
Celular com logo do Pix sob bandeira do Brasil

Pix: Um catalisador para o futuro das finanças descentralizadas no Brasil? | Opinião

Para o autor, o Pix, combinado com os princípios das finanças descentralizadas e conceitos de dinheiro programável, poderia abrir caminho para uma nova era de inovação financeira
Ilustração mostra mapa do Brasil com pontos ligados em blockchain

Banco Central, UFRJ, Polkadot e Ripple se unem para aprofundar pesquisas sobre interoperabilidade entre blockchains e DREX

A Federação Nacional de Associações dos Servidores do Banco Central (Fenasbac) antecipa…