Imagem da matéria: EUA sancionam traders que apoiaram grupo de hackers norte-coreano
Foto: Shutterstock

O Departamento do Tesouro dos EUA anunciou nesta segunda-feira (24) que seu Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros (OFAC) sancionou três norte-coreanos envolvidos em roubos de criptomoedas que foram usadas para financiar o programa de armas da Coreia do Norte. Segundo o órgão, os suspeitos apoiaram o Lazarus Group, uma equipe de hackers oriunda do país asiático.

“A Coreia do Corte lava moeda virtual roubada e emprega trabalhadores de tecnologia da informação (TI) para obter emprego de forma fraudulenta para gerar receita e apoiar o regime e suas armas ilegais de destruição em massa e programas de mísseis balísticos”, diz um trecho do comunicado.

Publicidade

Os norte-coreanos sancionados são Wu Huihui; Cheng Hung Man; e Sim Hyon Sop. Segundo o OFAC, Wu, que era investigado há mais de três anos, está sendo sancionado por fornecer suporte material ao Lazarus. No caso de Cheng, pesa sobre ele o suporte fornecido a Wu. Ambos atuavam como traders no mercado balcão (OTC) para facilitar as transações de criptomoedas dos hackers.

O outro norte-coreano, Sim, agiu em nome do banco Korea Kwangson Banking Corp (KKBC), uma entidade que tem como alvo os proliferadores de armas de destruição em massa e seus apoiadores, O banco, alvo de investigação da ONU, teria financiado as ações dos traders. Por isso, ele foi sancionado também foi sancionado na Coreia do Sul, conforme nota do governo.

“A ação de hoje é o resultado da colaboração contínua da OFAC com o Departamento de Justiça (DoJ) e o FBI”, ressaltou a entidade americana. Por sua vez, o órgão sul-coreano disse: “É a primeira vez que Seul e Washington impuseram simultaneamente sanções independentes ao mesmo alvo no setor cibernético”.

Em agosto do ano passado, o Tornado Cash, um serviço de mixing de criptomoedas baseado na rede Ethereum, também foi banido pelo Tesouro dos EUA, o que proibiu empresas e cidadãos americanos de usarem o serviço.

Publicidade

Lazarus Group

Há tempos o Lazarus Group está na mira de autoridades de vários países, mas são os EUA os maiores interessados dado à origem dos criminosos, a Coreia do Norte, inimiga confessa dos norte-americanos.

O Lazarus pode estar por trás do hack de US$ 100 milhões do Harmony Protocol em junho do ano passado com os desdobramentos de ataques anteriores, como o hack de US$ 622 milhões em abril de 2022 da Ronin Network, uma sidechain Ethereum usada pelo jogo cripto play-to-earn, Axie Infinity.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Ethereum (ETH) decola 20% com expectativa para aprovação de ETFs nos EUA

Manhã Cripto: Ethereum (ETH) decola 20% com expectativa para aprovação de ETFs nos EUA

A animação dos investidores fez aumentar em 219% o volume de negociação do Ethereum nas últimas 24 horas
Imagem da matéria: CEO da Grayscale deixa cargo: "Momento certo para transição"

CEO da Grayscale deixa cargo: “Momento certo para transição”

A Grayscale, uma das maiores gestoras de criptomoedas do mundo, anunciou que Michael Sonnenshein está deixando o cargo de CEO
hackers em frente a computadores

Exchange de criptomoedas Rain perde US$ 14,8 milhões em ataque hacker

A exchange disse que já tomou as medidas necessárias e que todas as sua atividades estão funcionando normalmente, inclusive saques
martelo de juiz com logo da binance no fundo

Governo dos EUA contrata empresa para monitorar a Binance

A Forensic Risk Alliance venceu a disputa contra a Sullivan & Cromwell, que atuou no caso FTX