Imagem da matéria: Ethereum atinge menor preço de 2018; mineração pode não ser mais rentável

O Ethereum, assim como o Bitcoin, foi um dos criptoativos que mais valorizou no ano passado, mas nesse ano seu caminho não está sendo nada fácil. Em janeiro, uma unidade de ETH chegou a valer cerca de US$ 1.400. Hoje está cotada a US$ 185, menor cotação desde julho de 2017.

Essa é uma das maiores queda que o ETH já presenciou em seus três anos de vida. Foram quatro quedas: de US$ 2 a centavos em 2015, de US$ 20 para US$ 5 em 2016, de US$ 420 a US$ 150 até subir novamente e chegar no recente estágio.

Publicidade

Lucro da mineração em queda

O hashrate do Ethereum caiu de 300 trilhões para 270 trilhões de hashs por segundo. Essa queda recente, uma das maiores já presenciadas, pode ser devido a simples variações ou também porque sua mineração está próxima de não ser mais rentável.

O mineradores recebem cerca 20.000 ETH por dia, mas em decorrência de despesas operacionais substanciais para poderem operar suas máquinas, a maioria os vende rapidamente, aumentando a oferta e levando o preço ainda mais para baixo.

No mês passado, Brian Venturo, cofundador da mineradora Atlantic Crypto, relatou que somente o custo de energia elétrica para minerar 1 ETH é de US$ 152. Considerando o preço nesta data (US$ 190) sobram menos de US$ 40 para as despesas, como aluguel, folha de pagamento e manutenção.

Esse conjunto de informações, indica, segundo o Trustnodes, que alguns mineradores de ethereum provavelmente estão falidos ou à beira da falência.

Publicidade

ICOs em queda em agosto

A arrecadação de fundos através das ICOs (Ofertas Iniciais de Moeda) no ano passado foram reconhecidamente responsáveis pelo aumento do Ethereum. A principal criptomoeda de troca pelos tokens dos ICOs era o ETH, o que aumentou exponencialmente sua demanda.

De acordo com dados da Autonomous Research, as startups levantaram apenas US$ 326 milhões em agosto, a menor angariação de fundos desde maio de 2017, notou o Bloomberg. A fim de comparação, em Janeiro de 2018, mais de US$ 3 bilhões foram levantados.

O que pensa o cofundador do Ethereum

Vitalik Buterin, disse no início deste mês que o crescimento explosivo das criptomoedas provavelmente havia chegado ao fim e que daqui pra frente o melhor negócio seria focar em seu uso nas aplicações reais.

“O mercado do blockchain está chegando ao ponto em que há um teto à vista e não há mais oportunidade de um crescimento de 1000x (mil vezes) no setor”, disse ele, na ocasião.

Publicidade

Compre Bitcoin no Celular

A BitcoinTrade é a melhor plataforma para operar criptomoedas do Brasil.
Compre Bitcoin, Ethereum e Litecoin com segurança e liquidez, diretamente pelo app.
Baixe agora e aproveite, acesse: www.bitcointrade.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Desafio do Ethereum é criar interoperabilidade entre segundas camadas, afirmam especialistas

Desafio do Ethereum é criar interoperabilidade entre segundas camadas, afirmam especialistas

Integrar as dezenas de redes de segunda camada é o próximo grande passo, tanto para programadores quanto usuários finais
dupla de homens sendo presa

Irmãos são presos por roubo de R$ 130 milhões em ataque de 12 segundos na rede Ethereum

O procurador americano Damian Williams disse que “este suposto esquema era novo e nunca havia sido acusado antes”
Ilustração de correntes ilustradas com pequenos zeros e uns

Projeto para soluções do sistema carcerário via blockchain vence hackathon na Ethereum Rio

Freedom Chains visa que todo tipo de comportamento do preso seja registrado on chain para evitar corrupção ou injustiças
bitcoin e ethereum em grafico vermelho de queda

Bitcoin e Ethereum passam a cair e provocam liquidações de US$ 150 milhões

Tanto o Bitcoin quanto o Ethereum despencaram na manhã de sexta-feira (10), provocando uma onda de liquidação de longo prazo