Imagem da matéria: ETF de criptomoedas na Bolsa brasileira chega a R$ 1 bilhão
Foto: Shutterstock

O HASH11, primeiro ETF de criptomoedas das Bolsa brasileira bateu na segunda-feira (3) R$ 1 bilhão em captação. A marca foi registrada uma semana após o lançamento do fundo na B3.

O HASH11 conta com R$ 1.040.790.824,81 em patrimônio, número 69% superior aos R$ 615.250.700 captados na oferta inicial liderada pela Genial com BTG, Itaú e Banco do Brasil.

Publicidade

Além disso, as cotas do ETF, que estrearam negociadas a R$ 47,20, cada, e agora estão cotadas a R$ 53,89 na manhã desta terça-feira (04).

Conforme o comunicado a imprensa, o HASH11 é o terceiro maior da B3 e conta com 61.500 cotistas. O produto segue o Nasdaq Crypto Index (NCI), índice co-desenvolvido pela gestora brasileira Hashdex e pela Nasdaq, atualmente composto por seis criptomoedas: Bitcoin, Ethereum, Stellar, Litecoin, Bitcoin Cash e Chainlink.

A cesta de ativos do ETF passa por um rebalanceamento a cada três meses, assim como ocorre no Hashdex Nasdaq Crypto Index ETF, fundo de índice que a Hashdex lançou na Bermuda Stock Exchange em fevereiro deste ano e que foi o primeiro ETF de criptoativos aprovado no mundo.

Atualmente, os fundos da casa contam com mais de 100 mil cotistas e mais de R$ 3 bilhões de patrimônio.

VOCÊ PODE GOSTAR
Antônio Ais posa para foto ao lado de carro

Criador da Braiscompany, Antônio Neto Ais é solto na Argentina

O benefício de prisão domiciliar valerá até que o processo de extradição para Brasil seja resolvido
CEO do MB Reinlado Rabelo em evento da CVM na USP

“A Bolsa é sim lugar de startups”, diz CEO do Mercado Bitcoin em evento da CVM

Reinaldo Rabelo participou do evento do “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil”
moeda de bitcoin dentro de armadilha selvagem

CVM faz pegadinha e descobre que metade das pessoas cairia em golpe com criptomoedas

Junto com a Anbima, a entidade criou um site de uma empresa fictícia que simulava a oferta de investimentos com lucros altos irreais
Sunny Pires surfando

Surfista brasileiro recebe patrocínio em criptomoedas de comunidade web3

Sunny Pires, de 18 anos, embarca neste mês em expedição à Nicarágua com apoio da comunidade web3 Nouns