Imagem da matéria: Equipe de Basquete é o Primeiro Time Esportivo a Minerar Criptomoedas
(Foto: Shutterstock)

O time californiano Sacramento Kings é o pioneiro do basquete a entrar no mundo das criptomoedas. Eles anunciaram uma parceria com a MiningStore.com, fabricante de hardware de mineração, e instalarão máquinas para minerar Ethereum no Golden 1 Center, uma arena localizada na cidade de Sacramento (CA). Esse não é o primeiro passo inovador do Kings. A Golden 1 Center é 100% movida a energia solar e hospeda um data center Tier-4, o tipo mais eficiente, talvez o único em uma arena esportiva profissional.

Segundo o site da equipe, a novidade faz parte do programa social MiningForGood (Mineração para o Bem, na tradução livre), que busca arrecadar fundos para a educação tecnológica em Sacramento e fortalecer comunidades locais.

Publicidade

Parte das transações de usuários serão revertidas ao programa, que também visa incentivar mudanças sociais partir de tecnologias emergentes, como o Ethereum, plataforma distribuída que também dá nome à moeda e é baseada em blockchain.

A tecnologia tem papel central nos negócios do Kings. Em 2014, o time aceitou pagamentos com bitcoin. Segundo a Wired, foi a primeira equipe do mundo a autorizar transações da criptomoeda.

Em entrevista à Forbes, Ryan Montoya, diretor de tecnologia do time da NBA, lembrou que eles também foram os primeiros a “utilizar o Twitter, o Google Glass para jogos em casa e os drones”.

Em 2016, a Fast Company nomeou o Kings como a “empresa mais inovadora em esportes”.

Parcerias também acontecem no Brasil

Aqui no Brasil, quem divulgou uma parceria com uma startup de criptomoedas foi o Atlético-PR. Na última sexta-feira (29), o time informou que trabalhará com a empresa francesa Inoovi LTD,  detentora do token “IVI”, criptomoeda lançada há quatro meses especificamente para uso esportivo.

Publicidade

Como informou o Portal do Bitcoin, o contrato diz que o clube tem 12 meses de carência para começar a usar a criptomoeda. Nesse período, deverá promover a empresa e a criptomoeda nos uniformes do clube e no site, além de incentivar seu uso pelos atletas, diretoria, conselheiros e torcedores.

Depois de um ano, o clube, como empresa, tem o compromisso de utilizar a moeda digital nos negócios financeiros, como pagamento de salários, direitos econômicos e luvas (valor de adiantamento por um contrato).

O site da startup também cita que o Corinthians está “apoiando fortemente o IVI”.

Outras equipes de futebol já anunciaram parcerias com empresas de criptomoedas, como o Arsenal Football Club, da Inglaterra, e o paulista Clube Atlético Bragantino.

BitcoinTrade

A BitcoinTrade é a melhor solução para compra e venda de criptomoedas.
Negocie Bitcoin, Ethereum e Litecoin com total segurança e liquidez.
Acesse agora ou baixe nosso aplicativo para iOs ou Android:
https://www.bitcointrade.com.br/

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Ex-conselheiro do Ethereum quer R$ 50 bilhões do governo dos EUA por ser preso injustamente

Ex-conselheiro do Ethereum quer R$ 50 bilhões do governo dos EUA por ser preso injustamente

Steven Nerayoff alega ter sido vítima de provas fabricadas em um suposto caso de extorsão de 10.000 ETH
Foco em uma moeda dourada de Ethereum (ETH)

ETF de Ethereum tem 50% de chance de ser aprovado em maio, diz JP Morgan

O gigante bancário é o último a reduzir suas expectativas em relação à revisão das propostas da SEC para oferecer fundos vinculados ao preço do ETH