Imagem da matéria: Entenda como é feito o valuation dos tokens do Mecanismo de Solidariedade da FIFA
(Foto: Shutterstock)

Praticamente tudo pode ser tokenizado hoje em dia. Até mesmo o Mecanismo de Solidariedade FIFA, já ouviu falar dele?

Trata-se de uma estratégia desenvolvida para recompensar clubes pela formação de jogadores durante os primeiros anos das suas carreiras. Com a tokenização do Mecanismo de Solidariedade, você também pode fazer parte disso.

Publicidade

Quer saber mais sobre como é feito o valuation dos tokens de Mecanismo de Solidariedade? Continue lendo!

O que é o token de Mecanismo de Solidariedade?

Com essa “recompensa” da Fifa que é o Mecanismo de Solidariedade, o “clube formador” tem direito a receber uma parte do valor pelo qual é negociado a transferência de jogadores formados por ele. Esse processo é bem básico:

  1. O clube formador vende o jogador para outro clube;
  2. Já compondo a equipe de outro clube, este jogador pode ser transferido mais uma vez para um terceiro clube;
  3. Todas as vezes que o jogador é transferido para um novo clube, o clube formador continua possuindo o direito sobre uma porcentagem do valor das negociações. 

Assim, o clube que formou os atletas pode receber até 5% da quantia paga pela transferência de jogadores, que pode variar com o tempo em que ele esteve no clube dos 14 anos aos 23.

Basicamente, o token de Mecanismo de Solidariedade é um token que representa uma fração dos direitos creditórios que participam do Mecanismo de Solidariedade, relacionados aos atletas que foram formados pelo clube.

O funcionamento deste token é simples:

  1. A pessoa compra a quantia de tokens que desejar;
  2. A pessoa recebe os direitos;
  3. O jogador, que já foi transferido uma vez, é transferido para um terceiro clube;
  4. O clube formador recebe uma porcentagem do valor da transferência de acordo com o Mecanismo de Solidariedade FIFA;
  5. A pessoa recebe o pagamento proporcional à quantidade de tokens que comprou.

Mas antes de participar de projetos de tokens como esse, é importante que as pessoas estejam bem informadas em relação a quanto podem receber e como esse valor é estipulado.

Como é realizado o valuation dos tokens de Mecanismo de Solidariedade?

Primeiramente, é necessário conhecer o valuation dos jogadores para entender melhor o quanto o clube pode receber com o Mecanismo de Solidariedade, o que pode ser um problema.

Publicidade

Isso porque é comum que os preços dos jogadores no Brasil (e até mesmo em outros países) sejam determinados de maneira subjetiva, sem critérios definidos e nem metodologia de avaliação.

Existem empresas especializadas em realizar essa análise e contam com metodologia própria e critérios pré-determinados para facilitar o processo.

A análise que essas empresas fazem vai variar de acordo com a metodologia que elas empregam, mas elas, normalmente, utilizam instrumentos estatísticos e econométricos para avaliar o valor de mercado dos jogadores, levando em conta critérios de avaliação divididos em alguns ítens, como:

  • idade;
  • fundamentos;
  • qualidade técnica e encantamento;
  • posição em que joga;
  • capacidade de definição de jogo;
  • aspectos táticos;
  • força e condicionamento físico;
  • experiência internacional;
  • nível dos campeonatos que disputa;
  • disciplina e espírito de equipe;
  • condição clínica;
  • conquistas;
  • retorno de marketing;
  • convocações para seleção;
  • potencial de valorização.

Cada um dos jogadores avaliados recebe uma nota para cada um dos itens de avaliação, com pesos proporcionais que são ponderados dentro de cada categoria para gerar um conceito, que compõe o resultado de cada indicador.

Uma vez que as avaliações dos jogadores tenham gerado as notas/conceitos finais, o fator tempo é aplicado para gerar o valuation atual de cada atleta, bem como a sua curva de valor.

Publicidade

De acordo com o fator tempo, o valor de mercado médio de um jogador atinge seu auge um pouco antes dos 23 anos, passando então a entrar em processo de desvalorização.

Assim que o valuation do jogador é realizado, é possível saber o quanto o clube pode receber com o Mecanismo de Solidariedade, que é, como já foi falado, de até 5% da quantia paga pela transferência de jogadores. O cálculo dessa porcentagem depende do tempo que o jogador esteve vinculado ao clube formador entre seus 14 e 23 anos.

O valuation do token de Mecanismo de Solidariedade está atrelado a esse valor que o clube pode receber, uma vez que, quando uma pessoa investe nesse tipo de token, ela recebe o direito de obter parte do valor que o clube formador receberá a cada nova transferência de jogador. 

Espero que tenham entendido mais sobre a tokenização do Mecanismo de Solidariedade da FIFA e como é feito o valuation desses tokens.

Sobre o autor

Daniel Coquieri é CEO da empresa de tokenização de ativos Liqi Digital Assets. Empreendedor do ramo da tecnologia, foi fundador da BitcoinTrade, uma das maiores corretoras de criptomoedas do Brasil.

Publicidade
VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Times de futebol vão distribuir NFTs ao longo do Brasileirão; Veja como ganhar

Times de futebol vão distribuir NFTs ao longo do Brasileirão; Veja como ganhar

Atlético-MG, Bahia, Flamengo, Fluminense, Palmeiras, Internacional, São Paulo e Vasco da Gama são times que integram a nova campanha da Chiliz
Homem aponta controle para TV que emerge imagens em 3D

‘TV 3.0’ que chegará ao Brasil em 2025 vai precisar de internet ou conversor? Entenda

Novo sistema de transmissão para TVs promete enviar som e imagem com qualidades maiores, além de maior interatividade com o espectador
Tela de celular mostra logo da Comissão de Valores Mobiliários do Brasil CVM

CVM ganhou R$ 832 milhões com multas aplicadas em 2023, um aumento de 1.791%

A autarquia também registrou o maior número de casos julgados desde 2019
Arte digital mostra mãos operando um celular que projeta moedas

O que é restaking? Tendência polêmica do Ethereum agora é mercado de US$ 8 bilhões 

Protocolos de restaking que permitem gerar nova liquidez com tokens já travados na rede são vistos como “risco sistêmico” por Vitalik Buterin, criador do Ethereum