Imagem da matéria: Empresa de rastreamento de criptomoedas lança ferramenta para ajudar polícia com bitcoins apreendidos
Foto: Shutterstock

A Chainalysis, uma empresa de dados que se apresenta como um tipo de cão de guarda da blockchain, está trabalhando com governos para rastrear e apreender negociações ilícitas em criptomoedas.

A empresa anunciou um novo programa para ajudar os governos a ficarem de olho em seus estoques de ativos digitais apreendidos legalmente.

Publicidade

Na semana passada, mais de 69.000 Bitcoins vinculados à Silk Road, que estavam parados desde o fechamento do site em 2013, foram transferidos para uma carteira controlada pelo governo. Em sua declaração de confisco, o Departamento de Justiça divulgou que usou uma “empresa de bitcoin terceirizada para analisar transações de Bitcoin executadas pelo Silk Road”. A Chainalysis desde então assumiu a responsabilidade por essa análise.

Depois que um tribunal ordena o confisco, as criptomoedas apreendidas pelo governo são normalmente liquidadas em leilões realizados pelo US Marshall Service conforme seus próprios termos: o serviço determina quantos leilões são realizados e o tamanho de cada bloco vendido.

E se os leiloeiros não forem cuidadosos em sua abordagem, pode haver consequências para o mercado. “Se o Departamento de Justiça decidir vender esses Bitcoins no mercado, veríamos uma queda significativa, pois afetaria todas as carteiras de pedidos”, disse o corretor de Amsterdã Michaël van de Poppe.

Mas o que acontece com as criptomoedas após a apreensão e antes do eventual confisco? A Chainalysis afirma que o novo programa de monitoramento de ativos ajudará a melhorar o armazenamento e o rastreamento de ativos apreendidos nesta janela de tempo.

Publicidade

A Asset Reality, uma empresa parceira, reforçará esse esforço fornecendo “serviços de consultoria estratégica e treinamento sobre criptomoeda e outros ativos complexos”, de acordo com um comunicado de imprensa. A Chainalysis não respondeu imediatamente a um pedido de comentários adicionais.

O executivo da Chainalysis, Jason Bonds, destacou o assunto: “À medida que nossos parceiros governamentais se tornam mais bem-sucedidos em erradicar agentes com más intenções, auxiliá-los na recuperação e monitoramento de ativos é um próximo passo natural”, disse ele em um comunicado.

Embora sua parceria mais recente tenha sido com o governo dos Estados Unidos, a empresa continua aberta para trabalhar com governos e agências em todo o mundo – outra má notícia para criminosos que buscam ganhar dinheiro digital na dark web.

*Traduzido e editado com autorização da Decrypt.co
VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Tom Brady é ridicularizado por ligação com FTX em especial da Netflix

Tom Brady é ridicularizado por ligação com FTX em especial da Netflix

Brady e sua ex-esposa, Gisele Bündchen, adquiriram uma participação acionária na falida FTX em 2021
Vitalik Buterin criador do Ethereum

A proposta de taxas de gás de Vitalik Buterin tornará o Ethereum mais parecido com a Solana?

Vitalik propõe “taxas de gás multidimensionais” e afirma que é uma busca para um sistema mais personalizado e equitativo
Silhueta de pessoa jogando videogame À frente de TV

Os maiores tokens de jogos lançados em 2024 – até agora

O Notcoin aparece na lista dos maiores tokens de jogos deste ano, ao lado de Pixels, Portal, Saga e muito mais
Imagem da matéria: Propina paga a Eduardo Requião foi usada para investir na pirâmide financeira do "Rei do Bitcoin"

Propina paga a Eduardo Requião foi usada para investir na pirâmide financeira do “Rei do Bitcoin”

Nova operação da Polícia Federal visando fraudes no portos do Paraná revelou uma curiosa ligação entre o irmão do Roberto Requião e um dos maiores piramideiros do Brasil