Apesar do preço do bitcoin estar caindo desde o início do ano, o poder de mineração subiu até final de agostou e chegou a 60 milhões de TH/s
A maior queda na dificuldade de mineração aconteceu em novembro de 2011 (Foto: Shutterstock)

A queda no preço do Bitcoin começou a surtir efeito. A dificuldade de mineração da criptomoeda teve sua segunda queda consecutiva e a segunda maior da história.

Apesar do preço do bitcoin estar caindo desde o início do ano, o poder de mineração subiu até final de agostou e chegou a 60 milhões de TH/s. Desde novembro, no entanto, começou a cair. Alinhado à queda no preço da criptomoeda, mineradores começaram a desligar suas máquinas pois mantê-las ligadas significava aumentar o prejuízo.

Publicidade

Como consequência da queda no poder de mineração, a dificuldade da rede é ajustada para baixo, tornando-se “mais fácil” minerar.

Resumindo, os mineradores produzem blocos de Bitcoin. Quando o hashrate aumenta, os blocos são encontrados mais rapidamente e vice-versa. Para manter um tempo de bloco constante de aproximadamente 10 minutos, o ativo digital ajusta automaticamente a dificuldade em intervalos de aproximadamente 14 dias.

Como o hashrate vem em forte crescimento desde o inicio do BTC, principalmente pelo crescimento da base de investidores como também pela melhora da tecnologia das máquinas de mineração, a dificuldade caiu poucas vezes.

Gráfico do Hash Rate do Bitcoin x Dificuldade (Fonte: https://bitcoinwisdom.com/bitcoin/difficulty)

No entanto, quase um ano depois de um mercado em baixa, que viu o preço do bitcoin cair mais de US$ 16.000 em relação ao seu recorde histórico, isso não é mais tanta verdade.

Publicidade

De acordo com dados apresentados em um tweet pelo analista-chefe da XDEX, Fernando Ulrich, a queda atual, de 15,1%, foi a segunda maior queda de dificuldade na história de uma década da primeira criptomoeda e a maior desde 1º de novembro de 2011, quando a dificuldade caiu 18%.

O ajuste de dificuldade de hoje marcou a segunda queda consecutiva, com a dificuldade caindo em 7,3% em 18 de novembro.

Na prática, com a queda da dificuldade de mineração, os mineradores sobreviventes lucrariam mais. Resta saber se a mineração ficará viável com a dificuldade atual ou se ainda irá cair mais.

Mineração de Bitcoin


BitcoinTrade

Baixe agora o aplicativo da melhor plataforma de criptomoedas do Brasil Cadastre-se e confira todas as novidades da ferramenta, acesse: www.bitcointrade.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Queda de 4% leva o Bitcoin abaixo de US$ 60 mil e provoca liquidações de US$ 307 mi

Manhã Cripto: Queda de 4% leva o Bitcoin abaixo de US$ 60 mil e provoca liquidações de US$ 307 mi

É a primeira vez desde o início de maio que o Bitcoin apresenta uma cotação tão baixa
Moedas de Bitcoin sobre mesa espelhada

Bernstein reitera previsão de Bitcoin em US$ 200 mil até final de 2025

Previsão já havia sido feito em junho e os analistas apontam que a tendência recente de queda do Bitcoin não mudou esse cenário
bitcoin

Manhã Cripto: Bitcoin recua 2,2% apesar da queda da inflação nos EUA

Embora os dados macroeconômicos atuais sejam positivos, o Bitcoin ainda busca estabilidade em meio às preocupações pontuais dos investidores
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin cai para menos de US$ 61 mil com a iminência de reembolsos da Mt. Gox

Manhã Cripto: Bitcoin cai para menos de US$ 61 mil com a iminência de reembolsos da Mt. Gox

“Esse excesso de até 140 mil BTC deve continuar a pesar sobre os mercados”, disse a QCP Capital sobre os pagamentos iminentes da Mt. Gox