As notícias globais sobre a invasão russa na Ucrânia abalaram indiretamente o preço da maior criptomoeda do mundo, como foi na semana passada. Na segunda-feira, o Bitcoin foi negociado por até US$ 37.500, mas um curioso rali no meio da semana elevou seu preço em 20% antes que uma nova onda de queda chegasse. No momento do texto, o BTC é negociado na faixa dos US$ 39.500.

De um modo geral, os altos e baixos do Bitcoin se estabilizaram, terminando a semana com alta de 0,78%. O Ethereum (ETH) se saiu pior, caindo cerca de 4,3% nos últimos sete dias, para cerca de US$ 2.600.

Publicidade

Apesar do clima geralmente de baixa — a capitalização de mercado total da criptomoeda caiu 2,1%, cerca de US$ 68 bilhões, da noite para o dia — a maioria das criptomoedas entrou no fim de semana pouco alterada, sem perdas significativas entre as moedas mais populares, exceto pelo queda de 9% da Algorand (ALGO).

O token escalável da blockchain de prova de participação é negociado a cerca de US$ 0,75 no momento no momento do texto.

Algumas criptomoedas subiram na última semana: o NEAR Protocol subiu 13%, sendo negociado por US$ 10,43, enquanto o LUNA, da Terra Network, ganhou 14% e bateu os US$ 86.

As novidades da semana

O braço canadense da big four KPMG começou a semana com algumas notícias inesperadas — comprou um NFT da iniciativa World of Women NFT — embora não tenha sido a primeira incursão da gigante de auditoria em ativos digitais, tendo comprado Bitcoin e Ethereum no mês passado.

Publicidade

Sobre a compra do token não fungível, é uma grande notícia para o mercado em se tratando da magnitude da companhia.

Na terça-feira, o Centro de Finanças Alternativas da Universidade de Cambridge (CCAF) anunciou uma “colaboração de pesquisa de ativos digitais público-privados ” com o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco de Compensações Internacionais (BIS).

O objetivo é obter informações sobre a economia digital nascente por meio de “pesquisas colaborativas envolvendo partes interessadas públicas e privadas”. Alguns dos participantes incluem British International Investment, Ernst & Young, Fidelity, Banco Mundial, Goldman Sachs e as gigantes de cartão de crédito Mastercard e Visa.

Na semana passada, a União Europeia sugeriu a inclusão a um projeto de lei a mineração de criptomoedas, cujo argumento negativo é o uso intensivo de eletricidade por conta da prova de trabalho (PoW). Se aprovada, a atividade seria proibida. O bloco europeu pretende ser neutro em carbono até 2050.

Publicidade

A votação do projeto foi adiada devido a preocupações de que o texto poderia ser mal interpretado, proibindo, de fato, o Bitcoin na Europa. Stefan Berger, presidente do Comitê de Economia do Parlamento Europeu, confirmou a exclusão do parágrafo sobre mineração na última terça-feira.

A Shake Shack, rede de hambúrgueres dos EUA, lançou uma promoção de fidelidade Bitcoin em meados deste mês em colaboração com o Cash App. Os clientes que pagarem pela comida com o cartão de débito do Cash App, Cash Card ou através do programa de recompensas do aplicativo Cash Boost, receberão 15% de sua refeição reembolsada em BTC.

O conflito Rússia-Ucrânia levou o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, a pressionar ainda mais a regulamentação de criptomoedas dos EUA. O discurso ocorreu no Comitê de Serviços Financeiros da Câmara na quarta-feira (02).

Enquanto isso na Ucrânia, que começou a solicitar doações de criptomoedas via Twitter em 26 de fevereiro, os esforços de crowdfunding até agora atingiram mais de US$ 50 milhões em doações, segundo líderes do movimento na quinta (03).

*Traduzido e editado por Wagner Riggs com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Jerome Powell, presidente do Fed, mostrado em tela de computador

O que o discurso do presidente do Federal Reserve hoje significa para o Bitcoin?

“Acreditamos que o fundo do poço ficou para trás ou muito próximo e recomendamos aumentar a exposição à medida que o Bitcoin ganha impulso”, disse um analista
moeda de bitcoin com bandeira dos EUA no fundo

Fed diz que inflação está caindo, mas não rápido o suficiente: por que isso importa para o Bitcoin?

A queda da inflação beneficia os ativos de risco, incluindo as criptomoedas, pois daria ao Fed confiança para começar a reduzir as taxas de juros este ano
Joe Biden posa para foto

Biden vira sobre Kamala: mercados de criptomoedas esperam que o presidente seja indicado

Apostadores de criptomoedas no popular mercado de previsões Polymarket novamente favorecem Joe Biden como candidato dos democratas
Bolo de dólares em cima de outras notas

PF da Argentina prende família que lavava dinheiro de contrabando e jogos de azar com USDT

Com o filho preso e a esposa indiciada, o líder da quadrilha, Fabián Di Julio, o “El Gordo”, se entregou na última quarta-feira