Imagem da matéria: Desenvolvedor do Bitcoin Core perde 200 BTC em ataque hacker; Binance vai monitorar invasão
Foto: Shutterstock

Um desenvolvedor do Bitcoin Core chamado Luke Dashjr diz ter sofrido um ataque hacker que teria drenado mais de 200 BTC de sua carteira, em um valor na casa dos US$ 3,5 milhões – pouco mais de R$ 17 milhões.

O Bitcoin Core é o código aberto que possibilita a implementação de toda a rede blockchain da principal criptomoeda através da criação de nós.

Publicidade

Em mensagens no Twitter postadas no domingo, 1º de janeiro, Dashjr afirma que o invasor teria acessado a sua chave PGP, um sistema de segurança criptográfico que usa um fator duplo de autenticação para acesso a carteiras.

O desenvolvedor diz que “não tem ideia” de como o hacker obteve acesso à sua chave, embora em mensagem anterior, em dezembro, ele tenha dito que suspeitava que seu servidor havia sido comprometido por malwares.

Ele não revelou o total roubado, mas uma análise do portal Cointelegraph mostra que a carteira em questão registra quatro transações em poucos minutos no dia 31 de dezembro, com a retirada de 216,93 BTC.

Na sequência, Dashjr postou um tweet reclamando do servidor ColoCrossing por supostamente “deixar cair a bola na investigação de abuso da última vez” e prometeu substituir a empresa por outra.

Publicidade

Dashjr continuou a responder perguntas no Twitter, dizendo que acredita que “tudo está comprometido”, até mesmo potencialmente seu Twitter. Ele também alertou fortemente as pessoas contra o uso do Bitcoin Knots, uma carteira Bitcoin assinada por sua própria chave PGP agora comprometida. Dashjr também twittou pedindo ajuda ao FBI, sem sucesso.

O comunicado de Dashjr gerou uma resposta de Changpeng “CZ” Zhao, criador da corretora de criptomoedas Binance.

Também via Twitter, CZ lamentou a perda e disse que “a autocustódia traz uma série diferente de riscos”. O empresário afirmou também que a Binance iria “monitorar” o caso e ajudar se possível.

As soluções de autocustódia incluem uma variedade de diferentes plataformas de software e hardware e podem ser amplamente categorizadas como hot wallets (carteiras de software online) e cold wallets (hardware). A última categoria tive maior interesse dos consumidores durante a atual crise de insolvência do setor, também conhecida como o inverno cripto.

Como será o mercado de criptomoedas em 2023? Clique aqui e descubra no relatório gratuito do time de Research do MB

VOCÊ PODE GOSTAR
Tela de celular mostra logotipo Drex- no fundo notas de cem reais

Banco Central adia Drex para realizar novos de testes de privacidade

BC explica que primeira fase de testes foi focada em elementos de privacidade, mas as soluções encontradas “ainda não estão maduras”
moeda de bitcoin ao lado de celular com logo da mt gox

Manhã Cripto: Bitcoin cai após Mt. Gox mover US$ 9 bilhões em BTC

A grande movimentação de Bitcoin pela Mt. Gox é um sinal de que, muito em breve, os investidores lesados pelo hack de 2014 serão ressarcidos
Gustavo Scarpa em um campo de futebol usando o uniforme do Atlético Mineiro

Scarpa x Bigode: Pedras preciosas não valem como garantia em processo contra pirâmide cripto, diz PF

Um laudo das pedras de alexandrita apreendidas da suposta pirâmide Xland foi avaliado por um juiz, que determinou que elas não têm valor significativo
Imagem da matéria: Fed e o Banco do Japão levarão o Bitcoin a US$ 1 milhão, diz Arthur Hayes

Fed e o Banco do Japão levarão o Bitcoin a US$ 1 milhão, diz Arthur Hayes

Um complexo emaranhado entre bancos centrais em relação ao iene levará a uma frenética impressão de dinheiro, elevando o preço do Bitcoin, diz o cofundador da BitMEX