Imagem da matéria: Corretora de bitcoin da Turquia com US$ 2 bilhões  sai do ar e CEO desaparece
Foto: Shutterstock

A bolsa turca de criptomoedas Thodex interrompeu as negociações esta manhã sem aviso prévio, travando os fundos de seus 391.000 clientes ativos.

A bolsa, que funciona desde 2017, compartilhou hoje um comunicado no Twitter, citando um documento externo não especificado que exigiu a suspensão da negociação por 4-5 dias.

Publicidade

Mas isso “pode muito bem ser uma farsa”, disse ao Decrypt Oğuz Evren Kılıç, advogado turco, Ancara, que hoje entrou com uma ação judicial contra a bolsa.

O CEO da Thodex, Faruk Fatih Özer, deixou o país na noite passada, de acordo com os registros policiais compartilhados com Kılıç, e deletou suas contas nas redes sociais. A empresa também cortou todo o suporte ao cliente. “Isso tudo é assustador”, disse Kılıç.

Kılıç estima que os fundos totais bloqueados nas contas Thodex estejam em algo entre US$ 2 a US$ 10 bilhões, uma ampla faixa que ficará mais clara nos próximos dias. A investigação de hoje pela promotoria – a primeira etapa do processo legal – descobriu que há “algum dinheiro nas contas bancárias da bolsa e de seus proprietários”.

Kılıç continuou: “Mas não sabemos a quantidade exata e se isso será suficiente para todos”.

Entre 15 de março e 15 de abril, pouco antes do início do frenesi da Dogecoin, a bolsa realizou uma campanha de marketing de enorme sucesso, recompensando cada nova inscrição com 150 DOGE. Segundo relatos, milhares de novos usuários migraram para a bolsa, e seu volume de negócios no sábado atingiu um recorde diário de US$ 1,37 bilhão, o valor diário mais alto do ano passado, de acordo com dados da CoinGecko.

Publicidade

No que deveria ter soado o alarme, no entanto, a empresa vendeu DOGE a uma taxa fixa com desconto de US$ 0,11 a partir de 14 de abril. Mas DOGE valia US$ 0,42 em 16 de abril.

O desaparecimento de Thodex chega em um momento curioso para as bolsas turcas.

Na sexta-feira passada, o governo turco reconheceu legalmente os criptoativos, mas proibiu os pagamentos com eles. Também impediu as empresas de fintech de lidar direta ou indiretamente com cripto, o que afeta principalmente as corretoras estrangeiras que dependem de fintechs locais para operar no país, uma vez que os bancos locais não fazem parceria com elas.

*Traduzido e editado com autorização da Decrypt.co
VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Questões sociais são desafio para debate do Bitcoin, diz autor de livro da Editora Portal do Bitcoin

Questões sociais são desafio para debate do Bitcoin, diz autor de livro da Editora Portal do Bitcoin

“Parte técnica você descreve como funciona e acabou. Nas vacas sagradas leva um bom tanto de desconstrução de conceitos”, diz Breno Brito
Ilustração de baleia nadando com moeda de bitcoin em seu interior

Baleia movimenta R$ 321 milhões em Bitcoin pela 1ª vez em uma década

Quando o investidor desconhecido adquiriu os bitcoins em 2013, a cotação do ativo não passava de US$ 120
Anic de Almeida Peixoto Herdy é casada com herdeiro da Unigranrio

Herdeira é sequestrada em Petrópolis e criminosos exigem resgate em Bitcoin

Técnico de informática amigo do casal conversou com sequestradores por entender de criptomoedas e foi preso por suspeita de envolvimento
Pizza em uma mão moeda de bitcoin na outra

Bitcoin Pizza Day: Corretoras comemoram data histórica do Bitcoin com promoções; confira

Semana tem pizza grátis, cashback, joguinho e descontos em comemoração à primeira transação comercial com o Bitcoin realizada há 14 anos